Ludos Pro

Plataforma de aprendizagem corporativa

Português PT

O Diagrama de Ishikawa — também conhecido como matriz ou diagrama de causa e efeito, espinha de peixe ou metodologia dos 6M’s — é uma ferramenta que pode ajudar sua empresa a resolver problemas e aprimorar seus processos.

O que você vai ver neste artigo:

Quer saber mais sobre ela? Invista na otimização das operações e use o diagrama de causa e efeito no seu negócio!

O que é o Diagrama de Causa e Efeito — Ishikawa?

Mesmo as melhores empresas enfrentam problemas no seu cotidiano e operações: seja por equívoco em alguma tarefa; incompatibilidade técnica de um software ou instrumento; pane em um sistema; lacuna na qualificação dos colaboradores… São várias as situações que podem prejudicar a produtividade, qualidade e atendimento no negócio.

Às vezes um pequeno erro pode gerar grandes problemas. Nessas horas, é preciso apagar o “fogo” para que não se espalhe e forme um incêndio — fazer isso é mais fácil quando se usa as ferramentas corretas e, neste caso, quando se aplica o diagrama de Ishikawa.

Essa metodologia ajuda a identificar a causa principal de um problema na organização, avaliando diversas áreas para resolvê-lo e aprimorar os processos na empresa.

O diagrama de causa e efeito foi desenvolvido em 1943 pelo engenheiro químico japonês Kaoru Ishikawa, autor de diversos livros sobre qualidade. Especialista na área, suas considerações ganharam fama ao redor do globo e são reconhecidas no mundo dos negócios até os dias atuais.

Essa ferramenta traz uma representação visual simples e bastante identificável — por isso muitas vezes é chamada de diagrama espinha de peixe (fishbone), devido ao formato que lembra esta figura.

Isso torna a matriz de causa e efeito um método fácil de ser adotado e entendido por todos os envolvidos na empresa, desde os colaboradores à direção, trazendo vários impactos positivos para os diferentes setores e processos de um negócio.

Benefícios do Diagrama de Ishikawa

A fama dessa metodologia não é à toa: existem várias vantagens em usar essa ferramenta na empresa.

● Ajuda a identificar problemas nas operações com um modelo de fácil entendimento e aplicação;

● Auxilia o descobrimento das possíveis causas para estes problemas, categorizando-as em ordem de prioridade;

● Coleta dados que podem ser usados e analisados futuramente;

● Contribui para aprimorar processos e áreas da organização;

● Facilita a descoberta de novas soluções para problemas recorrentes;

● Fortalece o investimento em qualidade e melhoria contínua dentro da empresa.

Desta forma, o diagrama de causa e efeito pode gerar impactos significativos no desempenho da organização, contribuindo para o seu sucesso ao ajudar funcionários, líderes e empreendedores a corrigir erros que possam prejudicar toda a estrutura.

Como Funciona o Diagrama de Causa e Efeito?

Muitas vezes não adianta tratar os sintomas de algo, sem corrigir a causa que os gerou. O diagrama de Ishikawa age desta forma — descobre-se a raiz do problema para consertar e melhorar o desempenho da empresa.

Para fazer isso, é importante seguir alguns passos:

1) Definição do problema: é preciso escolher a situação que deverá ser analisada e resolvida por meio da ferramenta;

2) Análise das causas: cada problema tem possíveis causas, que devem ser descobertas para se corrigir a falha. A equipe responsável pela estratégia deve fazer um levantamento de cada possibilidade.

Ishikawa definiu seis categorias de causas que são responsáveis para grande parte dos problemas em uma empresa — por isso essa ferramenta também é chamada de Metodologia dos 6M’s:

1- Método

Uma das fontes de geração de falhas são os métodos usados na empresa e em seus processos: um modelo inadequado para determinada realidade pode prejudicar as tarefas e operações. Deve-se investigar se a forma com que os trabalhos são feitos impacta ou não no problema analisado.

2- Materiais

Nesse item deve-se verificar se a qualidade e quantidade dos materiais usados na produção e empresa interferem na situação-problema investigada no diagrama. Uma incompatibilidade técnica, defeito ou escassez podem influenciar no resultado final dos produtos e serviços do negócio.

3- Mão de obra

A falta de qualificação, desmotivação, entre outros fatores influenciam na produtividade e qualidade do trabalho dos colaboradores, impactando o desempenho do departamento e da empresa como todo. Por isso, é importante avaliar como anda o serviço dos funcionários, adotando medidas como treinamento corporativo para resolver eventuais problemas nesse sentido.

4- Meio Ambiente

Como elementos do ambiente podem influenciar no problema analisado? Situações como calor, poeira, layout, espaço físico, clima e até mesmo os relacionamentos internos podem gerar problemas para a produção e qualidade do trabalho da organização. Tudo isso deve ser investigado na matriz de causa e efeito.

5- Máquina

O maquinário, equipamentos e ferramentas de boa qualidade podem melhorar a produtividade e resultados de uma empresa, enquanto aqueles que não são adequados à realidade podem gerar problemas para a produção e resultado final ao cliente. Por isso, é importante analisar esse item e seu papel nas causas avaliadas no diagrama.

6- Medida

Às vezes o problema pode estar nas métricas e indicadores usados nos processos e tarefas, ou então na medida dos instrumentos aplicados. A falta de calibração, alinhamento às metas e objetivos, entre outras situações, podem impactar nesse caso.

3) Desenho do diagrama: deve-se fazer a representação da espinha de peixe, fazendo a marcação das categorias de causas (as 6 que vimos acima) relacionadas ao problema raiz, que é escrito na “cabeça” da figura.

A matriz pode usar todas as 6 categorias ou menos, em combinações diferentes, tudo dependendo do problema que está sendo investigado por meio da ferramenta.

Baixar diagrama de ishikawa:

4) Definição das subcausas: após desenhar o diagrama de acordo com as necessidades da análise, os envolvidos na estratégia devem listar quais seriam as causas relacionadas a cada categoria. A falta de investimento em treinamento, por exemplo, é uma subcausa do item mão de obra.

A equipe deve fazer um brainstorm para enxergar todas as possíveis causas para o problema raiz, tornando o estudo mais completo. Uma boa ideia é classificar cada uma por sua gravidade e importância no quadro como um todo.

Assim é feito o diagrama de causa e efeito: descobrindo o que gera um problema para resolvê-lo e melhorar o desempenho da empresa. No entanto, esse não é o único estudo que deve ser realizado — e com frequência — em uma organização.

Sabe de um fundamental? O planejamento estratégico! Descubra como fazê-lo e mantenha seu negócio sempre na frente da concorrência.

Fale com um consultor

Preencha os campos abaixo e receba o contato de um especialista.

X
Imagem semi-disco Imagem triângulo

Obrigado!

Entraremos em contato o mais breve possível