Como a gamificação ajuda na formação de liderança nas organizações
Comportamento

Como a gamificação ajuda na formação de liderança nas organizações

Preencha seu email e receba conteúdos exclusivos
Obrigado pelo seu cadastro!
Oops! Something went wrong while submitting the form.

Ter um líder capacitado dentro de um grupo faz toda a diferença no desempenho dos colaboradores. Você mesmo já deve ter passado por várias situações em que sentiu falta de uma figura central que orientasse as ações de todas as outras equipes. Por isso mesmo, gestores devem sempre investir na formação da liderança nas organizações. E um método novo que se mostra bastante eficaz nesse processo é a gamificação.

Gamificar, como o nome dá a entender, significa usar a dinâmica e regras de jogos para promover alguma forma de aprendizado e/ou engajamento. Ao atribuir objetivos claros, recompensas e desafios diretos em uma tarefa, é possível torná-la mais estimulante. O resultado é parecido com o que acontece ao jogar videogame: horas e horas de concentração e esforços sem que a pessoa perceba.

Agora, como isso se aplica à liderança nas organizações? Continue a leitura e descubra!

O que caracteriza um bom líder?

As características de quem ocupa a posição de liderança podem variar muito dependendo do contexto. Certos grupos e dinâmicas favorecem diferentes perfis profissionais, do mais enérgico ao calculista. Porém, existem alguns pontos mais recorrentes, como:

  • proatividade;
  • saber tomar riscos;
  • atenção aos próprios colegas;
  • tentar ser um exemplo;
  • busca aprimoramento.

De forma geral, são essas características que você deve buscar e/ou desenvolver para que um colaborador se torne um bom líder.

Como a gamificação contribui com a formação da liderança nas organizações?

Considerando a lista acima, como a gamificação poderia ajudar no desenvolvimento de tais habilidades? Aqui estão alguns exemplos:

Simulação de cenários

Jogos são, em essência, uma forma de simulação, seja de cenários reais ou de situações completamente abstratas e hipotéticas. Não é comum ver um encanador saltando sobre tartarugas no dia a dia, não é? Porém, o princípio de simular algo real em um jogo para aprender a lidar com aquela situação ainda é perfeitamente válido.

Durante uma simulação, é possível expor o indivíduo a diferentes situações, permitindo que você faça testes de sua capacidade de liderança de maneira prática — bem melhor que uma prova escrita ou uma autoavaliação inconclusiva. E, claro, será bem mais fácil avaliar tudo com o uso de pontuação e critérios claros de desempenho.

Feedback rápido

Uma característica dos jogos eletrônicos que afeta diretamente o engajamento dos jogadores é a velocidade do feedback. Assim que alguém emite um comando, a máquina responde e é possível saber de imediato o resultado de seus atos. Em parte, é essa condição que permite ao jogador agir e planejar suas ações.

Com relação à liderança nas organizações, essa é uma questão um pouco mais difícil. Em geral, cada ação tomada pode levar muito tempo para gerar uma resposta, talvez dias. Logo, criar um ambiente onde esta resposta seja mais rápida, mesmo que na forma de uma projeção, ajuda a transmitir segurança e permite ao indivíduo avaliar as próprias ações com facilidade.

Nível adequado de desafio

Por fim, jogos são trabalhados para desafiar o jogador. Em parte, é isso que contribui para a manutenção do engajamento. Desafios em excesso geram frustração, enquanto desafios de menos levam ao tédio. E acredite: alcançar o equilíbrio perfeito entre esses dois extremos é mais difícil do que parece.

Para desenvolver um líder, é importante fazer com que ele se mantenha engajado na tarefa já considerando o nível de desafio esperado. Por meio da gamificação, você poderá mostrar os principais obstáculos a serem encontrados em determinadas tarefas e fazer com que novos líderes permaneçam focados no trabalho, superando cada dificuldade regularmente.

Quais habilidades podem ser trabalhadas a partir da gamificação?

Um dos principais propósitos da gamificação em relação à liderança nas organizações é trabalhar habilidades específicas que um profissional precisa nessa posição. Além da capacitação técnica durante um processo de treinamento, é possível avaliar as habilidades intangíveis que caracterizam o perfil de um líder. Algumas delas são:

Tomada de decisão sob pressão

Quando algo sai do controle, independentemente do tamanho do problema, a primeira pessoa para a qual todos costumam olhar é o líder do grupo. É nele que os demais buscam soluções e orientações em caso de emergência. Porém, se esse líder não souber como reagir corretamente, poderá prejudicar o trabalho de todo o grupo.

Em um ambiente simulado, é possível expor o indivíduo a situações de pressão por meio de condições de derrota, recursos e tempo limitado. Nesses momentos, o profissional pode aprender a manter a calma e tomar uma decisão assertiva, mesmo que as condições não sejam as mais favoráveis para seu raciocínio.

Trabalho de equipe

Todos os jogos são boas experiências para aprender a trabalhar em equipe. E todo exercício em conjunto é uma oportunidade para destacar as lideranças nas organizações. Quando os participantes interagem e não têm certeza sobre o que fazer, é normal que se voltem ao indivíduo mais confiável e capaz de guiá-los.

Tanto as simulações quanto o trabalho gamificado podem ajudar no desenvolvimento dos perfis de liderança. Basta observar como funciona a dinâmica do grupo para notar aqueles que mais se destacam e que possuem as características e habilidades citadas acima.

Nível de persistência diante de dificuldades

Por fim, um bom líder deve ser exemplo de persistência e diligência. Muitas tarefas já deixam de ser executadas porque um time perdeu entusiasmo pelo trabalho ou se perdeu no planejamento. Se não houver alguém que estimule todos a continuarem com o mesmo desempenho, será muito mais difícil alcançar qualquer objetivo.

Um dos papéis do líder é justamente manter o grupo unido e engajado no trabalho. É ele quem deve coordenar esforços, recompensar os colegas mais dedicados e garantir que ninguém esteja carregando um peso maior do que deveria. Em outras palavras, a figura de liderança nas organizações deve atuar como “moderador do jogo” para os demais participantes, garantindo que todos aproveitem a experiência ao máximo.

Agora que você entende a relação entre gamificação e formação de líderes, pode usar as técnicas listadas para melhorar o desempenho das suas equipes. Também aproveite para entrar em contato conosco e entender como a plataforma gamificada Ludos Pro pode ajudar sua empresa!

O que você achou deste conteúdo?
Conte nos comentários.
Veja outros posts relacionados
icon localização
Av. Nova Independência, 87 - 9º andar - São Paulo/SP • CEP 04570-000
icon telefone
+55 11 5171-6940
logo sioux grouplogo siouxlogo ludos prologo pgblogo movieplaylogo go gamers
icon facebookicon instagramicon linkedin