O Estado de Flow, ou de fluxo, em português, é um tema que vem ganhando destaque nos últimos anos, ainda mais com o interesse das empresas e profissionais em aumentar sua produtividade, sem descuidar do bem-estar dos profissionais. 

É possível ser feliz no trabalho, produzindo bastante e manter a motivação no cotidiano? Saiba como o estado de fluxo pode ajudar a alcançar esse objetivo!

O que é o Estado de Flow?

A produtividade é uma das maiores preocupações das empresas e profissionais na atualidade. Com tantas demandas e estímulos disputando a atenção das pessoas, muitas vezes é um desafio conseguir se concentrar inteiramente em suas tarefas.

No entanto, muitos experienciam, por alguns momentos ou horas, um momento que se desligam completamente do mundo exterior e mantém seu foco no trabalho, projetos e outras atividades — quase como em um passe de mágica. 

Esse “fenômeno” vem ajudando os profissionais não somente a melhorarem sua produtividade, afastando as distrações, como também se sentirem mais motivados em seu trabalho. Mas, essa situação não é algo isolado, nem ocorre do nada: e sim é o “Estado de Flow” ou de Fluxo.

Esse conceito é uma teoria criada pelo psicólogo Mihaly Csikszentmihalyi nos anos 70. Em uma palestra para o TEDTalks, em 2004, ele conta um pouco mais sobre o tema e como chegou nele. Naquela época, o autor pesquisava sobre como atingir a felicidade no cotidiano, entrevistando artistas e cientistas, além de analisar diversas pesquisas e dados, para saber o que fazia essas pessoas sentirem que sua vida valia a pena, mesmo sem a expectativa de alcançar benefícios como fama e riqueza. 

No vídeo, ele mostra várias respostas dessa questão estão ligadas a uma sensação de êxtase, de uma realidade alternativa — diferente das atividades do cotidiano. O psicólogo apontou essa “experiência de fluidez” (usando o termo traduzido no TedTalks), um processo visto como intenso, automático e espontâneo pelos entrevistados. A mesma pesquisa encontrou afirmações semelhantes em outros públicos, como atletas e CEOs.

Foram mais de 8 mil entrevistas com pessoas do mundo inteiro, de pastores Navajos a frades dominicanos, descobrindo 7 condições deste “estado de fluidez”: 

1- Foco: concentração completa em suas atividades;

2- Senso de êxtase: sentir-se fora da realidade cotidiana;

3- Clareza interna: saber exatamente o que precisa ser feito e como fazê-lo;

4- Atividade alcançável: saber que suas habilidades são compatíveis com a tarefa, que é possível realizá-la, apesar das dificuldades;

5- Senso de serenidade: ter a sensação de fazer parte de algo maior;

6- Percepção de tempo diferente: completamente focado no presente, a sensação de que as horas passaram em minutos;

7- Motivação intrínseca: o que gerou o estado se torna a própria recompensa do esforço empregado em sua realização. 

Em outras pesquisas, Csikszentmihalyi e sua equipe analisaram o humor das pessoas em suas atividades cotidianas, descobrindo que esta experiência de fluidez ocorria quando os indivíduos precisavam realizar tarefas desafiadoras e que seu nível de habilidade demandada era igualmente alto. 

Seus estudos apontaram que muitas pessoas não conseguem atingir este estado, chegando mais ao momento de apatia. Por isso, a equipe passou a aprofundar suas as pesquisas para descobrir como trazer esse “flow” para a rotina dos indivíduos. 

Ou seja, o estado de flow é o momento em que o profissional é mais produtivo e motivado, evitando as distrações e desfrutando o prazer de um bom trabalho: o que é o sonho de muitos. E não é somente Csikszentmihalyi que está interessado em saber como incentivar esse fenômeno no cotidiano.

Como Atingir e Aplicar o Estado de Flow no Dia a Dia

Mesmo em um trabalho que se ama, existem algumas atividades não tanto engajadoras e que desafiam a motivação de qualquer profissional: e isto torna adotar o estado de fluxo ainda mais interessante.

É importante pontuar que o estado de flow, por mais que pareça automático e espontâneo — usando as respostas da entrevista de Csikszentmihalyi —, não significa trabalhar menos. Pelo contrário, o gráfico do psicólogo mostra que este fenômeno surge justamente quando uma tarefa altamente desafiadora se encontra com a necessidade de exercer grandes habilidades, o que resulta em motivação, mas também em muito esforço. 

Existem algumas ideias que podem ajudar a incentivar esse espírito no cotidiano:

1- Definir metas desafiadoras

Os estudos de Csikszentmihalyi mostram que o estado de flow acontece quanto maior o desafio e as habilidades necessárias para realizar a tarefa. Montar metas ousadas, mas ainda realistas com suas capacidades e realidade pode ser uma boa ideia para aumentar a motivação no trabalho e quebrar a rotina. 

Realizar tarefas entediante e que exijam pouca concentração ou habilidade pode ser uma barreira para o estado de fluxo: outra saída é buscar organizar as demandas para separar os momentos em que o flow seria bem-vindo ou aqueles em que as atividades mais monótonas terão de ser resolvidas. 

2- Gerenciar seu tempo

A sobrecarga no trabalho somente gera estresse e ansiedade, fatores que podem prejudicar o estado de flow — que deveria ser um momento prazeroso. Assim como organizar as a tarefas, como citado no item anterior, é preciso fazer um bom gerenciamento de tempo, ainda mais quando se atua em regime home office. 

Esse controle pode ajudar a reduzir a sensação de ter que resolver mais tarefas do que se tem de tempo disponível para completá-las, melhorando assim o bem-estar no trabalho e projetos. 

3- Usar estratégias para aumentar a motivação

Quando se tem tarefas que não são tão engajadoras, um truque que pode ajudar na concentração — e tentar induzir um estado de flow — é usar alguns métodos para motivar a sua realização. 

Uma ideia é definir recompensas para cada demanda completada. Escolher um mimo, um alimento delicioso, um momento de atividade de lazer ou outras sugestões que realmente despertem o interesse do profissional é uma solução simples para isso. Assim, ele terá um incentivo para realizar sua tarefa em determinado tempo. 

Outra possibilidade é gamificar suas atividades, adotando elementos comuns aos jogos — como pontuação, missões e “inimigos” — para aumentar a motivação mesmo nas tarefas mais monótonas. 

Nem sempre é possível realizar somente aquilo que é engajador e prazeroso. Nos casos mais exigentes, existem técnicas que podem ajudar o profissional a completar suas tarefas e manter o controle de suas demandas. 
Descubra 5 Ferramentas para auxiliar na gestão de tempo e produtividade e não tenha problemas ou descontrole em seu trabalho!