Ludos Pro

Plataforma de aprendizagem corporativa

Português PT

A gestão de crise é uma ferramenta crucial para toda organização que se preocupa com a prevenção de problemas que possam gerar prejuízos bastante significativos e que busca se preparar para quando um cenário desses acontecer.

Toda empresa está sujeita a passar por circunstâncias que levem a organização a enfrentar uma crise, seja ela de pequeno ou grande porte, isso porque existem diversos fatores não controláveis que podem causar essa situação difícil, como problemas de operação, conflitos internos e externos e acidentes.

O que você vai ver neste artigo:

Se é fato que há grande probabilidade que toda organização venha um dia passar por uma crise que possa afetá-la de modo considerável, logo tomar medidas para evitá-la, bem como conseguir diminuir o impacto que ela pode gerar, se torna crucial. 

Sendo assim, confira este artigo que irá revelar o que é gestão de crise, os principais tipos que podem afetar uma organização e maneiras de gerenciá-la.

O que é gestão de crise?

Gestão de crise é um método voltado para duas principais finalidades: auxiliar a corporação a lidar com um problema que possa motivar prejuízos graves e evitar que crises aconteçam.

A gestão de crise envolve um conjunto de estratégias e ações que têm como objetivo minimizar ou reverter possíveis consequências de problemas que venham acontecer em uma organização. Envolve-se aqui qualquer evento grave que mude a normalidade de uma empresa, trazendo grandes prejuízos ou até mesmo podendo interferir na segurança e vida das pessoas.

A crise não é causada apenas por uma única circunstância, ao contrário, há diversos elementos que podem interferir no andamento normal de uma corporação e a empresa precisa dispor desse entendimento para identificar que ações irão gerar resultados assertivos em cada circunstância. 

Confira, agora, as principais causas da crise no mundo corporativo para poder saber corresponder com cada uma delas.

  • Econômica ou financeira: bastante comum, a crise econômica ou financeira se dá quando a organização sofre uma redução considerável no caixa do seu negócio. Isso pode acontecer por diversas circunstâncias, mas a principal ocorre quando há maior oferta do que procura do produto ou serviço que vende, influenciando no capital de giro que pode se tornar insuficiente para equilibrar as contas, diminuindo o faturamento e, consequentemente, a lucratividade.
  • Falhas estruturais: relacionadas à falha de equipamentos e de estrutura interna da empresa, essas falhas podem resultar em perda de vidas e a necessidade de indenização para a família afetada.
  • Boatos ou sabotagem: causados por concorrentes ou mesmo clientes não satisfeitos, os boatos podem afetar a imagem da empresa, causando grande repercussão negativa. Essa crise hoje pode causar impactos significativos em um curto tempo devido à tecnologia e o surgimento das redes sociais.
  • Reputação: a reputação pode ser abalada por incontáveis questões, mas o vazamento de informações internas e sigilosas são situações que podem ocasionar crises severas à empresa, principalmente se elas forem relacionadas a questões ilegais.

  • Desastres naturais: eventualidades naturais, como terremotos, enchentes e tempestades podem influenciar no funcionamento de uma empresa, gerando dificuldade no âmbito operacional que pode afetar a parte financeira.

Como lidar em uma situação de crise?

A gestão de crise é feita através de um bom planejamento estratégico, sendo, portanto, importante dispor de profissionais visionários, criativos e multidisciplinares na equipe, que estejam dispostos a prever e solucionar problemas que sequer existem.

Alguns tópicos que podem ser contemplados no planejamento são:

Análise do cenário

A proposta de um planejamento deve ser encontrar soluções para um cenário específico que a empresa venha enfrentar. 

Então, é preciso fazer uma análise de cenário para ter claro quais os impactos que tal crise poderá causar no seu negócio e, a partir dessas informações levantadas, desenvolver estratégias eficazes para evitar e também diminuir o efeito.

Recriar o planejamento anual

O planejamento anual feito no final do ano e projetado para o próximo ano leva em consideração a perspectiva do momento presente que a empresa se encontra, ou seja, não inclui medidas de contenção e solução para nenhum tipo de crise que possa ocorrer ao longo do ano, ele foca em fazer previsões de projetos, férias, contratações e mais.

Em uma gestão de crise, é necessário reavaliar o planejamento anual para analisar quais ações precisam ser modificadas conforme o cenário de crise. Gastos altos em um momento de recessão econômica, por exemplo.

Capacitação de equipe

O cenário de crise pede corte de curtos, entretanto algumas ações não são vistas como custo, mas investimento, como é o caso da capacitação de equipe

O treinamento em um momento como este ajuda a motivar a equipe a enfrentar o problema e melhorar a comunicação empresarial tão importante.

Desta forma, treinamento e desenvolvimento são ações fundamentais para enfrentar o cenário de crise.

Otimizar processos internos

Otimizar processos internos é uma etapa fundamental na gestão de crise, isso porque tal ação garante economia financeira e de tempo, dois elementos que são determinantes no processo de recuperação de uma empresa que se encontra em meio à uma crise. Portanto, observar o cenário da empresa dando ênfase no que pode ser melhorado na produção.

Ter foco

O planejamento estratégico de gestão de crise deve estar focado em reestruturar a empresa no novo cenário que se encontra. Reestruturar ou manter operações em um cenário em que há determinado tipo de crise financeira, por exemplo. 

Para garantir que o objetivo seja alcançado, sua organização pode dispor de um plano A e um plano B, assim, se o primeiro falhar, ainda há outra alternativa que poderá contar para diminuir os impactos que tal crise pode causar.

Como você viu, o planejamento estratégico está diretamente relacionado ao processo de gestão de crise, sendo ele uma ferramenta que pode ou não te ajudar a passar por situações complexas, tudo dependerá de como ele for realizado.

Veja o case da Sompro, empresa que entendeu a importância do planejamento estratégico e utilizou a gamificação para treinar e capacitar seus funcionários a desenvolver um de maneira efetiva.

teste-gratis-por-7-dias

Fale com um consultor

Preencha os campos abaixo e receba o contato de um especialista.

X
Imagem semi-disco Imagem triângulo

Obrigado!

Entraremos em contato o mais breve possível