O Ciclo PDCA visto também como Ciclo de Shewhart – Ciclo da Qualidade ou Ciclo de Deming – é uma metodologia que tem como objetivo auxiliar no diagnóstico, análise e previsão de problemas de uma empresa. Essa ferramenta conduz os profissionais às ações sistemáticas que facilitam a obtenção de resultados melhores, garantindo a sobrevivência e o crescimento da empresa.

O que você vai ver neste artigo:

Uma organização precisa alcançar seus objetivos e metas para melhorar seu desempenho no mercado atual que está sob influência de um mundo volátil, incerto, complexo e ambíguo e que cada vez mais se torna competitivo. Para que consiga isso, ela precisa se adaptar às mudanças de mercado, o que gera a necessidade de novas abordagens no seu sistema de gestão de projetos. O Ciclo PDCA é uma alternativa disponível para essas corporações

Neste artigo você terá acesso a mais informações sobre o Ciclo PDCA e o como ele é executado por empresas que querem atingir melhores resultados.

O Ciclo PDCA e seu objetivo

A metodologia PDCA foi criada por Walter A. Shewhart na década de 30 e validada pelo Willian Edwards Deming a partir da década de 50, quando começou a ser implementada em empresas japonesas para aumentar a qualidade de seus processos. Desde quando surgiu, o objetivo principal da ferramenta sempre foi permitir que a empresa disponha de controle dos seus sistemas, sendo uma alternativa contínua para gerenciar uma organização.

O Ciclo PDCA conta com quatro fases:

  1. Plan (Planejar)
  2. Do (Executar)
  3. Check (Verificar)
  4. Action (Agir)

A primeira fase, a do “planejamento”, é dedicada para estabelecer um plano de ação, sendo ela separada em duas etapas: a) definir o que se quer, com o intuito de idealizar o que precisa ser feito, ou seja, definir objetivos, estratégias e ações que precisam ser transformadas em metas alcançáveis; b) estabelecer os métodos que deverão ser utilizados para atingir os objetivos traçados.

A segunda fase, a do “executar”, é destinada à execução do que foi planejado e, assim como na fase anterior, esta também está dividida em duas partes, sendo no primeiro momento: a) preparar a empresa para que a implementação do que foi programado venha acontecer, envolvendo treinamento corporativo; e a segunda parte é b) atribuída para implementar o que foi planejado.

A terceira fase, a de “verificar”, serve para checagem de dados obtidos, os comparando com o que foi determinado no plano com os resultados da execução. Se nesta fase haver diferença entre o que foi planejado com o resultado real alcançado, isso significa que sua organização dispõe de um problema que precisa ser resolvido. 

A quarta fase, a de “agir”, constitui-se em fazer as correções encontradas na fase anterior, com objetivo de evitar que tais problemáticas venham acontecer novamente. Envolve, portanto, a busca por aperfeiçoamento contínuo até que se atinja o padrão que sempre será atualizado.

Por que o PDCA é considerado um ciclo?

O PDCA é considerado um ciclo porque apresenta uma ordem de aplicação: planejar, executar, verificar e agir. Caso no final da sequência as ações não apresentarem resultados aguardados pela instituição, então é necessário que haja alguns ajustes, feitos a partir da mesma ordem do princípio: planejamento, execução e checagem, até que se encontre a solução do problema. Lembrando que estes ajustes afetam todas as etapas do PDCA porque elas estão integradas entre si.

Já se o sucesso tão buscado é atingido, então a empresa pode padronizar o Ciclo PDCA para que seja implementado em novos projetos. O objetivo é que as práticas mais eficazes sejam reaplicadas com frequência. Além disso, o PDCA é implementado continuamente, em diversos projetos, visando melhorias, sendo outra razão pela qual a ferramenta seja considerada cíclica e exige um workflow alinhado.

Motivos para implementar o PDCA na sua organização

A primeira característica que o Ciclo PDCA dispõe de diferente aos demais sistemas de gerenciamento de qualidade, é a simplicidade. As quatro fases da ferramenta são tão simples que podem ser implementadas em diversas situações. Mas, claro, sua facilidade ou flexibilidade não são os únicos motivos que a tornam um excelente recurso para o âmbito empresarial.

Usando o PDCA como forma preventiva e contínua, ele ajuda no reconhecimento de possíveis melhorias nos processos, impede que decisões sejam tomadas de maneira impulsiva pela equipe e pela liderança e diminui o desperdício de recursos.

Quando é possível implementar o Clico PDCA?

O PDCA é um recurso que pode ser usado em diversos fins, mesmo em atividades do dia a dia. No âmbito empresarial especificamente, ele geralmente é empregue para:

  • Aperfeiçoamento de processos: estruturar e organizar de uma melhor forma sistemas e as ações que ele envolve;
  • Transformar uma não conformidade: mudar algo que não está de acordo com algum requisito preestabelecido pela cultura interna ou outros processos e selos, evoluindo o procedimento, tornando-o mais eficaz;
  • Criação de um novo produto ou serviço: as etapas que envolvem o PDCA também servem como método para construir de maneira sistematizada um produto ou serviço. A partir dele é possível identificar o que é preciso para que um produto ou serviço disponha de um padrão de qualidade;
  • Implementação de padrões: Com as etapas do Ciclo PDCA é possível identificar ao final do processo se a introdução de um padrão de fato ocorreu de maneira eficaz ou se é preciso retornar ao início do ciclo e fazer mudanças no que uma vez foi definido.

Em todas essas maneiras de implementar o Ciclo PDCA consegue-se observar a necessidade de trabalhá-lo de forma contínua. Todas as suas fases precisam estar se desenvolvendo constantemente e não devem ser abandonadas. Só dessa maneira que a melhoria do processo e das atividades irão surgir e serão visíveis a toda organização.

Como você leu por aqui, faz parte dessa metodologia desenvolver os colaboradores para que eles disponham dos conhecimentos certos para realizarem suas atividades. Assim como quando se trata de ferramentas para solucionar problemas ou melhorar processos, há diversas metodologias de ensino disponíveis para o âmbito empresarial. Separamos 4 delas para você conferir! Veja: 4 Tendências para programas de treinamento e desenvolvimento.