Adotar estratégias inovadoras de ensino pode ser uma boa aposta para tornar a aprendizagem mais dinâmica, interativa e eficiente. Existem diversas metodologias que buscam exatamente esse objetivo, especialmente os métodos que aproveitam os benefícios dos recursos tecnológicos. Mas, às vezes, uma pequena mudança pode causar muitos resultados positivos: e a ideia da sala de aula invertida é uma delas.

Descubra nesse artigo como a estratégia da sala de aula invertida pode transformar o aprendizado da sua instituição de ensino ou empresa, tornando o ensino mais engajador, e trazer resultados concretos.

Ensino tradicional e suas limitações

Quem não se lembra do seu tempo de estudante, em todos ficavam sentado por longos períodos de tempo em uma cadeira nem sempre confortável, ouvindo o professor/instrutor falando quase sem parar? E quantas vezes, nesse cenário, você ficou entediado, contando as horas e às vezes quase dormindo em sala?

Com certeza nessas aulas você aprendeu diversos conteúdos e consegue relatá-los até hoje. Mas quantas vezes acabou se distraindo e não aprendeu nada? Quantas vezes esse método não foi efetivo e você e seus colegas tiveram que correr atrás do conhecimento depois?

Esse é o estilo tradicional de ensino que todos nós estamos acostumados, baseado no modelo expositivo. O professor/instrutor é a fonte de conhecimento e o estudante tem uma postura passiva de aprendizado, absorvendo os conteúdos que lhe são apresentados e apenas reagindo ao realizar os trabalhos e provas.

Apesar deste ser o modelo que até agora predominou no ensino, do básico ao superior – incluindo o empresarial também -, atualmente ele não está mais atendendo às necessidades dos estudantes. Diversas pesquisas revelam que a capacidade de concentração das pessoas está diminuindo com o passar dos anos. Essa situação acaba impactando diversas tarefas do dia a dia, como trabalhar e estudar.

Especialmente as novas gerações, como os millennials e a Z, estão se acostumando com métodos mais interativos de assimilação de conteúdo. Eles buscam maior engajamento e independência na hora de realizar suas atividades, inclusive estudar. Mesmo as gerações mais velhas estão tendo dificuldade de concentração e um estilo mais dinâmico pode ser a chave para tornar o aprendizado de diferentes públicos mais efetivo.

E entre as várias metodologias que buscam melhorar os resultados da aprendizagem de alunos e colaboradores, a sala de aula invertida é um método simples, mas que pode trazer muitos benefícios. Vamos conhecer como funciona essa estratégia?

O que é a Sala de Aula Invertida?

Também conhecida como Flipped Classroom, em inglês, esse método torna as aulas menos expositivas e mais participativas. O aluno é visto como protagonista do processo educacional, tendo uma postura mais proativa e motivadora em sua jornada para adquirir conhecimento.  

Na sala de aula invertida, o estudante é responsável por correr atrás das informações em um primeiro momento, dando seus primeiros passos ao entender o tema. Somente após essa pesquisa prévia, é que ele irá consultar o professor/instrutor para tirar dúvidas, conversar sobre seu aprendizado e se aprofundar no assunto.

Desta forma, a metodologia ajuda a aproveitar melhor o tempo tanto do aluno quanto do professor/instrutor. Em vez de ficar sentado escutando um conteúdo geral, administrado para todos os presentes, o estudante irá consultar por conta própria os materiais disponibilizados antes pelos responsáveis – como textos, videoaulas, etc – e ir se aprofundando de acordo com o seu ritmo de aprendizado. Em sala, ele irá fazer os exercícios e atividades em grupo para ter uma noção mais prática do tema, enquanto o profissional que está aplicando a atividade irá ter uma atuação mais estratégica. Desta forma, o processo inteiro se torna mais produtivo para todos os lados.

A sala de aula invertida não veio substituir, nem diminuir a figura do professor/instrutor. Pelo contrário, ao permitir que o estudante tenha um conhecimento prévio dos assuntos, o educador poderá trabalhar de forma mais aprofundada os conteúdos oferecidos – valorizando assim os profissionais e seu papel na construção do conhecimento. Eles não precisarão disponibilizar tempo para ensinar o básico, e sim tirar as dúvidas e avançar o nível do aprendizado.

Essa metodologia é bastante democrática: além de ser aplicada a diferentes faixas etárias (especialmente com o público mais maduro), essa ideia pode ser usada nas mais diversas disciplinas, temas e matérias. Isso inclui tanto as instituições de ensino como a educação corporativa.

Benefícios da Sala de Aula Invertida

Adotar a estratégia da sala de aula invertida pode ajudar a dar um novo gás às suas metodologias de ensino. Vamos conhecer algumas vantagens?

1) Autonomia

Esse método considerado inovador dá mais independência para os estudantes e torna o papel do educador mais estratégico. Ao dar protagonismo aos educandos, eles assumem uma postura mais ativa no processo educacional e, assim, desenvolvem sua autonomia.

Essa metodologia também estimula a troca de ideias entre os estudantes e o senso crítico, pois o aluno deve trazer suas considerações e dúvidas para a sala de aula – e não apenas absorver e decorar os conteúdos. Isso impacta positivamente a assimilação dos conhecimentos.

2) Flexibilidade

Por despertar a autonomia, a flipped classroom se torna uma metodologia mais flexível: o estudante consulta os materiais educacionais quando puder e respeita seu ritmo de aprendizagem. Ele não fica preso a um espaço e horário para adquirir conhecimento, e sim encaixa essa atividade em sua rotina, estudando quando achar melhor.

Essa estratégia permite uma infinidade de práticas também na sala de aula, tornando o ensino ainda mais flexível. Os professores/instrutores podem promover ações como grupos de estudos, debates, projetos práticos e entre outras ideias. Isso ajuda o processo a ser mais dinâmico e engajador.  

3) Engajamento

Com todos esses pontos, ao adotar a sala de aula invertida é possível ter maior engajamento dos educandos. Agora eles assumem uma postura mais ativa e isso estimula sua motivação e envolvimento com os estudos. Consequentemente, os alunos/colaboradores terão melhores resultados, assimilando os conhecimentos e os pondo em prática.  

Tecnologia e Sala de Aula Invertida

Vendo todas essas vantagens, dá vontade de começar a aplicar esse conceito nos processos educacionais da sua instituição de ensino ou empresa, não? Felizmente, a popularização dos recursos tecnológicos facilitou a adoção da flipped classroom em diversas realidades. Atualmente os estudantes podem consultar os textos, vídeos, imagens e outros materiais educacionais pelo próprio celular! Isso tornou essa estratégia ainda mais acessível.

Métodos inovadores como EAD, blended learning e gamificação também trouxeram novas possibilidades à essa estratégia, oferecendo ainda mais engajamento e autonomia aos estudantes.

A gamificação, por exemplo, permite criar uma experiência imersiva e interativa de aprendizagem – tornando esse processo mais motivador, dinâmico e efetivo. As aulas gamificadas vem sendo usadas em diversos contextos no mundo todo, revolucionando o ensino.

Ao aliar métodos inovadores, é possível ter mais resultados no ensino da sua instituição de ensino ou empresa. Quer conhecer mais estratégias eficientes dessa área? Acompanhe nosso blog e fique por dentro das novidades no segmento da educação!