Microlearning: o que é, quando e como utilizar
Comportamento

Microlearning: o que é, quando e como utilizar

Preencha seu email e receba conteúdos exclusivos
Obrigado pelo seu cadastro!
Oops! Something went wrong while submitting the form.

A vida corrida e hiperconectada tem causado diversas mudanças no comportamento das pessoas. Cada vez mais indivíduos têm dificuldade de se concentrar em apenas uma atividade, o que por sua vez prejudica ações rotineiras, como estudar, por exemplo. Nesse sentido, foram criadas novas metodologias de aprendizagem que buscam superar esse desafio atual, ajudando as pessoas a aprender mesmo com tantas distrações. Conheça agora o que é o microlearning, quando e como utilizar esse método para aprimorar o treinamento corporativo da sua empresa.


O que é o Microlearning?


Em linhas gerais, essa metodologia de ensino busca facilitar o aprendizado das pessoas ao oferecer doses menores de conteúdos educacionais, mais simples de serem assimiladas e disponíveis de forma mais planejada e focada. Ou seja, no microlearning os assuntos são organizados para não consumir tanto tempo ou concentração dos estudantes, sendo um estilo mais flexível e orientado ao aluno.


Isso não significa que o estudante irá aprender menos ou que esse método seja menos efetivo. Pelo contrário, o microlearning tem como objetivo ajudar na melhor compreensão dos alunos, além de possibilitar que eles acessem os tópicos que realmente precisam aprender - e não percam tempo em um curso completo com conteúdos que já dominam. Nessa metodologia um grande tema é dividido em pequenos grupos, com cada pedaço produzido para resolver um objetivo de aprendizagem por si só.


Desta forma essa estratégia é uma boa opção para aprimorar os treinamentos corporativos, não tomando muito tempo dos colaboradores de suas tarefas cotidianas, diminuindo o peso da obrigação de estudar determinados conteúdos e facilitando seu aprendizado. Tudo isso fortalece o engajamento dos empregados nas dinâmicas, podendo-se trabalhar com necessidades específicas dos estudantes, tornando o processo mais rápido e barato em comparação a realizar um curso macro.


Com a adoção do microlearning todos ganham: os funcionários que aprendem informações importantes para seu trabalho e atualização profissional; a empresa que contará com equipes mais capacitadas e, consequentemente, melhores resultados e o RH que terá uma nova e eficiente ferramenta para elevar seus indicadores e atingir seus objetivos.


Quando utilizar o Microlearning?


O microlearning pode ser adotado em diversas situações, como na educação formal ou na empresarial. Uma dica é aplicar esse método quando se é possível dividir um tema em conteúdos menores. Um exemplo é vendas: pode-se criar um módulo para cada metodologia, outro sobre superar as objeções mais frequentes, assim por diante.  


Essa estratégia também pode ser usada quando é necessário reforçar o treinamento de algo bem específico - como uma nova legislação que entrou em vigor, um determinado procedimento que não está sendo bem executado ou algum conceito importante que sua equipe ainda não domina, por exemplo.


Por serem conteúdos pequenos, outra vantagem do microlearning é a facilidade em atualizar ou corrigir alguma informação. Não é preciso rever o curso inteiro quando se identifica algum equívoco ou conteúdo obsoleto: basta ir diretamente ao material específico e realizar as mudanças. Isso economiza tempo e dinheiro, além de permitir rapidamente o retorno normal às atividades educacionais.  


Todos os materiais podem ser disponibilizados em uma biblioteca ou universidade corporativa, estando acessíveis a todos os colaboradores para que estudem internamente e não precisem recorrer a outras fontes externas - cujos procedimentos e normas podem não ser compatíveis às praticadas na empresa.


Como adotar o Microlearning?


O primeiro passo de toda estratégia é o planejamento. Primeiramente defina qual o objetivo do curso em geral: quais são as necessidades da equipe? Quais processos precisam ser aprimorados por meio de capacitação? Quais conhecimentos precisam ser atualizados? Reflita sobre isso e outras questões importantes para sua empresa.


Depois divida o tema geral em conteúdos menores, com cada um solucionando determinado problema educacional dos seus colaboradores. Pense agora em que maneiras essas informações podem ser apresentadas de forma mais efetiva e atrativa. Lembre-se de não produzir materiais muito extensos, que certamente precisarão de maior concentração dos colaboradores, e de adotar ferramentas que tornem a aprendizagem flexível, como disponibilizar os conteúdos para serem baixados e acessíveis em qualquer hora e em diferentes dispositivos.


Uma dica é utilizar diversas linguagens, como vídeos (que são altamente atrativos e a aposta de mídia que será mais consumida no futuro), podcasts (que podem ser ouvidos enquanto a pessoa realiza outras atividades), textos e artigos (uma ideia é que eles sejam produzidos até mesmo pelos próprios alunos, ajudando a fixar o conteúdo ao tornar o processo mais interativo), imagens e infográficos. Essa variedade também ajuda as pessoas com diferentes estilos de aprendizagem a assimilarem melhor o conhecimento ofertado.


Também é possível usar estudos de caso, simulados e atividades diferentes para tornar o processo mais prático, reforçando o aprendizado. Além disso é importante planejar pequenos testes para avaliar o desempenho dos colaboradores, se eles estão realmente aprendendo e o que é possível fazer para aprimorar a estratégia.


Uma metodologia que pode ser adotada com o microlearning e ajudar nessas questões, trazendo ainda mais resultados, é a gamificação. Esse método inovador costuma ser adotado nas empresas em processos como treinamento corporativo, onboarding de novos funcionários, comunicação interna e até na realização das tarefas cotidianas para tornar essas atividades mais dinâmicas e engajadoras.


A gamificação alia elementos comuns aos jogos com objetivos que tragam resultados concretos. Itens como pontuação, medalhas e missões estimulam os colaboradores a prosseguir na dinâmica, o que faz com que adquiram mais conhecimento ao estudar os materiais informativos oferecidos na plataforma.


O estilo lúdico torna o aprendizado um processo interativo e imersivo, prendendo a atenção dos usuários e garantindo que a experiência seja prazerosa - isso tudo ajuda na melhor fixação dos conhecimentos assimilados. Desta forma, se reduz a possibilidade dos colaboradores se distraírem ou não prestarem atenção nos ensinamentos e, assim, os treinamentos serão mais eficientes.


Em seu modelo eletrônico, as plataformas gamificadas oferecem relatórios detalhados sobre o desempenho dos colaboradores nas atividades, facilitando o trabalho do RH de analisar a performance da estratégia, os pontos dos treinamentos que precisam ser reforçados e os que estão sendo bem aprendidos e praticados.  


Quer saber como aliar a gamificação com outras metodologias adotadas na sua empresa? Converse agora conosco e descubra mais vantagens em se investir nessa estratégia!


No items found.
Veja outros conteúdos sobre assuntos relacionados:
O que você achou deste conteúdo?
Conte nos comentários.
Veja outros posts relacionados
logo sioux grouplogo siouxlogo ludos prologo pgblogo movieplaylogo go gamers
icon facebookicon instagramicon linkedin