Investir nos colaboradores é fundamental para o sucesso de uma empresa. São os talentos internos que fazem a roda mexer: produzindo mais e com qualidade; trazendo novas ideias e sugestões de melhoria; atendendo bem os fornecedores, parceiros e – principalmente – o cliente. Por isso é imprescindível apostar em treinamento e desenvolvimento de pessoas para aprimorar constantemente a equipe e ter vantagem competitiva no mercado.

Porém, você sabe quando usar uma estratégia ou outra? Quais são as vantagens que cada uma aborda? Neste artigo vamos tirar suas dúvidas e explicar a diferença entre treinamento e desenvolvimento de pessoas para você dar um up na sua equipe!

A diferença entre treinamento e desenvolvimento de pessoas

Os dois termos vivem juntos e muitas pessoas podem até achar que são sinônimos. Porém isso está equivocado! Treinamento e desenvolvimento são duas ferramentas fundamentais para uma boa gestão de pessoas da companhia, sim, mas tem significados e funções diferentes dentro das estratégias para lidar com o público interno. Vamos conhecer melhor cada uma e entender seu papel dentro das ações do RH?

O que é treinamento e quais são suas vantagens?

Esse tipo de capacitação busca modificar comportamentos, habilidades e conhecimentos do colaborador em relação às suas funções cotidianas. Pode-se aplicá-lo ao preparar o funcionário para uma promoção ou transferência de cargo, para melhorar sua performance no trabalho atual ou para integrar os novos profissionais na empresa.

O treinamento é usado para melhorar a produtividade, o desempenho profissional e até mesmo as relações interpessoais. Assim, o seu foco é aumentar a eficiência e qualidade do serviço da equipe, reduzindo o retrabalho.

Geralmente os resultados da capacitação podem ser vistos logo no curto prazo, o que agrada bastante as estratégias que precisam de resultados mais rápidos, e são uma resposta mais imediata para solucionar os pontos fracos de uma equipe.

Existem diversos métodos de treinamento: desde o tradicional presencial; dinâmicas mais interativas; EAD a metodologias mais inovadoras como a gamificação. É possível combinar estratégias diferentes para aproveitar o melhor de cada uma – como mesclar encontros cara a cara, mas também usando a comodidade do ensino a distância e adotando a gamificação para tornar o processo mais engajador e eficiente, por exemplo.

Para isso, é importante conhecer um pouquinho de cada metodologia para saber como aplicá-la no seu contexto.

Presencial: permite o contato pessoal com os instrutores e incentiva a troca de conhecimentos, debates e tira dúvidas também com os colegas. É o método tradicional, por isso alguns colaboradores podem ficar satisfeitos com a familiaridade e outros frustrarem-se com o estilo expositivo, considerado monótono, ou ficarem tímidos ao lidar com os outros participantes cara a cara.

Dinâmicas: são atividades mais interativas, ajudando o funcionário a se engajar no treinamento. Porém é preciso ter cuidado para não fugir do objetivo e acabar sendo mais uma ação recreativa. Por isso o planejamento é fundamental nessa estratégia.

EAD: a tecnologia permitiu com que as pessoas pudessem estudar em qualquer lugar e horário, até por meio do próprio celular. Os conteúdos online dão flexibilidade ao colaboradores, que podem estudar e fazer as atividade em seu próprio ritmo. Porém, é importante monitorar constantemente o progresso dos funcionários e seus resultados para certificar-se de que estão utilizando e se desenvolvendo na plataforma.

Gamificação: é uma metodologia inovadora que traz maior dinamismo, interação e imersão para a experiência do colaborador. Usando elementos comuns aos jogos, o participante é motivado a realizar as atividades e estudar os conteúdos ofertados. Assim, os conhecimentos são melhor fixados ao aliar estímulos positivos com a ação. No caso das plataformas gamificadas, o RH pode acompanhar o desempenho do profissional com maior praticidade e agilidade ao consultar os relatórios detalhados de performance.

Ao conhecer cada modelo, você pode explorar melhor as possibilidades de treinamento para funcionários e adotar as mais condizentes a sua realidade.

E o que é o desenvolvimento de pessoas e seus benefícios?

Se o treinamento tem um caráter mais direcionado a mudar o comportamento do colaborador para se encaixar melhor no cargo, o desenvolvimento trabalha mais com o lado interno das pessoas, sejam os funcionários, líderes ou gestores.

O desenvolvimento de pessoas é uma estratégia voltada a criar ou despertar novas habilidades nos funcionários. A metodologia costuma ser mais focada no indivíduo, buscando o seu aprimoramento para impactar o resultado de seu trabalho.

Ao contrário do treinamento que é uma ação mais pontual, o desenvolvimento é um trabalho contínuo para capacitar o funcionário e também aprimorar o seu lado pessoal, lidando com questões como motivação, satisfação e engajamento profissional – que acabam de uma forma ou outra influenciando o serviço do colaborador. Por isso é considerado uma estratégia de médio a longo prazo para visualizar os resultados.

Ter atenção a essa área é uma maneira de tornar os funcionários mais valiosos para a empresa, despertando seu potencial e habilidades pessoais que podem fazer a diferença em seu trabalho. É fácil entender que funcionários insatisfeitos e desmotivados trazem prejuízos para organização: não produzem com o volume ou qualidade desejado e podem acabar saindo do cargo e, desta forma, gerar gastos e perdas de capital intelectual.

Enquanto o treinamento é uma resposta a um problema, o desenvolvimento de pessoas costuma ser uma antecipação para justamente evitar as falhas, como ter uma equipe desmotivada e consequentemente menos produtiva, por exemplo.

Assim como o treinamento, existem algumas metodologias para se implementar o desenvolvimento de pessoas na empresa. É possível contratar um serviço de coaching para acompanhar os colaboradores e trabalhar de forma individual suas habilidades e potenciais. Também pode-se aliar esse trabalho com métodos mais tecnológicos, trazendo as facilidades das inovações para esse processo.

A gamificação, como falamos anteriormente, é uma estratégia que pode ser adotada no treinamento corporativo. Porém, seu lado lúdico pode auxiliar em questões como motivação e engajamento dos colaboradores, tornando as atividades obrigatórias que poderiam ser consideradas maçantes em experiências lúdicas e agradáveis.

Além de treinamento e desenvolvimento, a gamificação pode ser adotada em processos como recrutamento, onboarding de novos funcionários, comunicação interna e até mesmo nas tarefas cotidianas – para motivar os colaboradores e aumentar sua produtividade.

Quer conhecer mais sobre essa metodologia? Confira nosso ebook gratuito Guia para Elaborar um Treinamento Online Gamificado e aprimore a educação corporativa da sua empresa.