O mundo foi pego de surpresa com a pandemia do coronavírus. Não somente a rotina das pessoas foi impactada profundamente, como também das empresas, organizações e sociedade em geral. Muitas mudanças só serão percebidas daqui alguns anos, porém já é possível apontar algumas tendências — ainda mais quando pensando no mercado de trabalho.

Se há um ensinamento que pode ser extraído esse ano é a importância da preparação, antecipando os acontecimentos para lidar melhor com eles, em vez de esperar com que as mudanças peguem a todos desprevenidos.

Prepare-se para o futuro: conheça 5 tendências para o mercado de trabalho nesse pós-pandemia e organize sua empresa ou carreira!

Pandemia e Empresas

A pandemia colocou diversas empresas e RHs de cabeça para baixo. De um dia para o outro, era necessário adotar medidas sanitárias diante de uma ameaça desconhecida, implementar — até às pressas — um modelo de funcionamento que muitos não estavam preparados, o trabalho remoto, e encarar um cenário de incertezas: seja tanto na questão do impacto nas vendas e faturamento; futuro do negócio e até mesmo dos cargos.

Muitas organizações penaram para se ajustar às transformações e restrições dos últimos meses. Infelizmente, algumas fecharam as portas, enquanto outras precisarão se reinventar para continuar sobrevivendo. Milhões de vagas de emprego foram encerradas.   

Porém, a flexibilização e reabertura de diversos setores não significa que os impactos da pandemia terminaram. Pelo contrário, muitos efeitos ainda serão observados nos próximos anos, tanto na sociedade de forma geral, como nas empresas e relações de trabalho. 

Por isso é fundamental estar por dentro das mudanças que essa situação trouxe para se preparar para o futuro e evitar novos prejuízos. 

5 Tendências do Mercado de Trabalho para depois da Pandemia

A vida nas empresas não será mais a mesma após o coronavírus: algumas irão correr atrás de reduzir os danos, enquanto outras descobriram oportunidades de negócio e modelos de trabalho que funcionam melhor para sua realidade. 

No meio de tantas mudanças, destacam-se as o que agora são tendências no mercado de trabalho no pós-pandemia:

1- Investimento em tecnologia

As mudanças geradas pela pandemia provaram como o online é fundamental nos tempos atuais. Seja para socializar ou manter o negócio vivo durante as medidas mais restritivas — montando e-commerces e vendendo pelas redes sociais — as empresas não podem mais ignorar essa realidade.

Uma tendência que já era apontada antes é a transformação digital: um conceito que significa aproveitar o melhor da tecnologia, não como figurante, mas como protagonista na empresa. 

Nesse sentido, deve-se abraçar o potencial que as inovações podem trazer ao seu negócio, implementando processos como recrutamento e seleção online, softwares de gestão, automação, gamificação, entre outras soluções, que irão otimizar os processos da organização e abrir um universo de possibilidades. 

Deixar de investir na tecnologia, assim como foi possível ver durante a pandemia, pode significar no fim da empresa: portanto, é necessário estudar a fundo as ferramentas disponíveis no mercado para saber qual será mais benéfica à organização.

2- Home Office integral e parcial

O trabalho remoto era uma grande tendência nas relações de trabalho e que foi acelerada devido à pandemia. Muitas empresas tiveram que adotar esse modelo às pressas e, no fim, viram como ela pode ser benéfica para o negócio e colaboradores.

Diante de tantas vantagens, as organizações notaram a diminuição de gastos com a manutenção do espaço físico de trabalho presencial e de outros itens, enquanto os funcionários relataram a redução do estresse ao evitar — ainda mais nos que vivem em cidades grandes — ter que passar um tempo considerável no trânsito e transporte público. 

Há organizações que pretendem adotar o home office de forma integral, enquanto outras estudam permitir o trabalho remoto durante alguns dias da semana. Essa flexibilidade dará mais liberdade aos colaboradores, ao mesmo tempo que não irá ignorar a necessidade do contato humano com os colegas e lideranças.

Para esse modelo continuar dando certo, é preciso que os profissionais adotem métodos de organização de suas atividades, para serem produtivos mesmo de casa, e que o RH esteja preparado para lidar com essa mudança de rotina. 

3- Novas modalidades de trabalho

Além do home office, uma tendência que foi reforçada no pós-pandemia apontada por especialistas é o aumento da adoção de modalidades de trabalho alternativas. A diminuição dos empregos formais e a necessidade de reduzir o serviço presencial vem abrindo espaço para a chamada Gig Economy, com os contratos por demanda, temporários, freelancers, entre outros. 

Essa flexibilização pode ajudar no controle dos recursos da empresa e dar oportunidade de trabalho para profissionais que prefiram esse modelo de trabalho ou que ainda não conseguiram retornar ao mercado como CLTs. 

4- Perfil dos profissionais 

Além da forma de trabalho, o perfil dos profissionais também será impactado nesse pós-pandemia. Muitos trabalhadores voltaram ao mercado de trabalho após o término de seus contratos e os de seus familiares. Pessoas com décadas de qualificação, jovens, idosos… a procura será acirrada pelas vagas de emprego formal e outras modalidades de serviço. 

Por isso o RH deve estar preparado para saber selecionar os melhores profissionais e pinçar os talentos em potencial, não deixando nenhuma joia passar pela peneira (e acabar indo para a concorrência). 

5- Reforço na qualificação

Nesse cenário de maior competição no mercado de trabalho, muitas empresas irão contratar profissionais excelentes que acabaram saindo de seus antigos empregos. E um dos maiores diferenciais serão os trabalhadores que souberem valorizar o aprendizado constante, abertos ao aprimoramento profissional e não fiquem estagnados em suas antigas funções.

Isso não irá apenas funcionar para as contratações: é preciso investir em treinamentos corporativos para fortalecer os talentos que já estão na empresa, tornando-os mais produtivos e realizando um trabalho de qualidade para que a organização tenha maior competitividade no novo cenário que se está se formando. 

Além de tudo isso, a empresa precisa sempre estar de olho no bem-estar dos seus profissionais. Com a pandemia, um ambiente de incertezas se instalou em diversas instâncias — da sociedade ao trabalho e vida pessoal.

É preciso que o RH consiga manter um clima estável e saudável nas empresas, evitando que as inseguranças de fora prejudiquem a dinâmica interna e produtividade dos funcionários. 

Uma dica é apostar em metodologias diferenciadas para dar um UP na gestão de pessoas. Descubra como usar os jogos corporativos para engajar e motivar colaboradores e melhore o clima interno na sua organização!