As últimas décadas trouxeram uma série de avanços tecnológicos que transformaram profundamente a sociedade e os negócios. Inúmeras possibilidades de aplicações surgiram, porém é preciso conhecer cada uma delas para saber aproveitar o melhor das tendências: como os diferentes tipos de inteligência artificial disponíveis. 

Essa tendência pode ser adotada em diversos processos de empresas, instituições e outros públicos, otimizando seus processos, melhorando experiências e abrindo um universo de possibilidades. Descubra neste artigo os diferentes tipos de inteligência artificial e aproveite o melhor dessa ferramenta. 

O que é a Inteligência Artificial e para que Serve?

Resumidamente, inteligência artificial é a tecnologia que permite às máquinas realizarem tarefas similares aos seres humanos. Essa é uma definição ampla de uma tendência disruptiva, que compreende questões mais complexas como o machine learning, deep learning, linguagem natural, redes neurais e algoritmos de inferência.

Tudo isso parece complexo, distante e algo tirado da ficção científica? Na verdade diversos tipos de inteligência artificial já fazem parte do dia a dia das pessoas: ao ver a lista de recomendações dos serviços de streaming de filmes, séries e músicas; ao fazer uma pesquisa em um buscador; descobrir a rota mais rápida para chegar a determinado lugar; fazer uma transação bancária pela internet — tudo isso envolve esta inovação!

Atualmente a inteligência artificial vem sendo adotada por empresas — desde em produtos e serviços; processos internos a gestão de pessoas — instituições de ensino, organizações públicas e relacionadas, além de outras aplicações. Geralmente esta tecnologia é implementada com o objetivo de otimizar processos, reduzir erros, agilizar processos e até melhorar a experiência dos usuários. 

A humanidade ainda está descobrindo as possibilidades da inteligência artificial. Há previsões que indicam que no futuro as máquinas ultrapassarão as capacidades humanas e serão autoconscientes, gerando assim uma série de possibilidades e de questões éticas para serem investigadas. 

Mas, enquanto este cenário não chega, existem vários recursos que a inteligência artificial já proporciona aos usuários e entusiastas da tendência. 

Tipos de Inteligência Artificial

A IA é uma solução que compreende uma ampla gama de ferramentas. Isso significa que não há um tipo de inteligência artificial, sim existem diversas possibilidades — umas mais sofisticadas do que as outras. 

É importante conhecer cada solução antes de implementar essa estratégia em sua realidade, avaliando quais são mais adequadas às necessidades presentes e que tragam os resultados desejados. 

Podemos usar dois grande grupos de classificação da IA:

Primeira Classificação

Máquinas Reativas: faz parte dos primeiros tipos de inteligência artificial já criados, por isso possui recursos limitados. Esse modelo não tem capacidade de armazenar memórias, apenas registrando algumas informações previamente cadastradas e reagindo aos estímulos. Exemplos desse uso são os computadores capazes de derrotar campeões em jogos como xadrez, mas que não podem realizar qualquer outra tarefa.

Memória Limitada: representa um avanço do tipo anterior ao ter a capacidade de armazenar memórias e usá-las para tomar decisões. Esse modelo está presente nas nossas casas, como os sistemas de recomendação em streamings e lojas virtuais, e até mesmo no conceito de carro autônomo;  

Também é possível considerar nessa classificação dois outros tipos, que ainda não são realidade ou estão em progresso: 

  1. Em que a inteligência artificial será capaz de entender com maior profundidade as crenças, necessidades, emoções e processos de pensamento das pessoas. Assim, a máquina não apenas “lê” os seres humanos, mas os compreende verdadeiramente;
     
  2. A inteligência artificial autoconsciente, que muitos preveem que será inventada no futuro, não será apenas capaz de entender os seres humanos, como desenvolver suas próprias crenças — algo que alguns especialistas e líderes da área de tecnologia veem com preocupação. 

Esse tipo de separação facilita o entendimento dos leigos, mostrando como a IA evoluiu e onde os especialistas imaginam que esta solução chegará. 

Segunda Classificação

Existe uma categorização mais técnica, que também traz a mesma linha de pensamento do explorado acima. Ela está dividida em três tipos de IA: 

Inteligência Artificial (ANI), também chamada por IA fraca (weak): são modelos feitos com único objetivo. São capazes de armazenar grandes quantidades de dados e fazer tarefas complexas, porém somente relacionadas ao seu foco de atuação e para aquilo que foram programadas. 

Inteligência Artificial Geral (AGI) ou IA forte (strong): também conhecido como IA nível humano (human level AI), é capaz de fazer operações semelhantes aos seres humanos, como aprender (machine learning, deep learning), entender e agir a determinados estímulos. Este modelo é empregado em tarefas mais complexas, que a ANI não poderia atuar;

Superinteligência (ASI): esta é uma suposição para o futuro, onde a IA será um pouco melhor do que a inteligência humana ou irá superá-la de forma inimaginável. Será capaz de tomar decisões e acumular uma enorme quantidade de dados e memória. 

Assim, os dois modelos de classificação, por mais ou menos técnicos que sejam, se espelham: pensando no passado, presente e futuro da tecnologia — com suas limitações e até possibilidades intimidadoras. 

Conclusão

A inteligência artificial é uma tecnologia que veio transformar as nossas vidas: facilitar tarefas cotidianas; otimizar processos complexos e até mesmo resolver problemas humanos. 

Empresas, instituições de ensino e outras organizações podem usar essa solução para melhorar seus resultados, seja oferecendo uma experiência mais personalizada aos clientes e públicos (com IA capazes de entender e responder aos estímulos humanos); automatizar operações (aumentando sua eficiência, reduzindo erros e gastos) e modernizando sua forma de ver o mundo. 

Mas isso é só o começo: imagine o que será possível daqui a alguns anos ou na próxima década? Quais serão as ferramentas que irão facilitar nossas vidas, modo de trabalho e de consumo? 

Por isso é importante estar preparado para aproveitar as tecnologias atuais e as que virão, não ignorando os avanços tecnológicos — sob o risco de acabar ficando para trás em seu campo de atuação. 

E uma forma de aproveitar o melhor de todas as soluções é com a transformação digital: essa tendência está sendo adotada por empresas de diferentes setores e tamanhos para usar a tecnologia não de forma isolada, mas como recurso fundamental para a estratégia e sucesso dos negócios. 

Não deixe sua empresa ficar para trás: conheça a transformação digital e melhore seus resultados!