Como utilizar a gamificação em processos seletivos?
Negócios

Como utilizar a gamificação em processos seletivos?

Preencha seu email e receba conteúdos exclusivos
Obrigado pelo seu cadastro!
Oops! Something went wrong while submitting the form.

Contratar os melhores profissionais é fundamental para o bom desempenho da empresa. Atrair talentos com capacidades técnicas e que também partilham dos mesmos valores organizacionais é o sonho de todo RH: porém, isso não é uma tarefa fácil. Felizmente existem métodos inovadores que podem ajudar nesse processo e torná-lo mais assertivo e dinâmico. Descubra nesse artigo como utilizar a gamificação em processos seletivos para formar uma equipe de excelência.


Vamos lá?


A importância de um bom processo seletivo


Investir na qualidade dos colaboradores é uma estratégia fundamental para que uma empresa produza bem, conquiste clientes, destaque-se da concorrência e, consequentemente, tenha sucesso. Não é fácil, nem rápido encontrar os profissionais adequados para as oportunidades oferecidas - indivíduos que tenham capacidades técnicas, mas que, ao mesmo tempo, tenham habilidades pessoais que combinem com a cultura interna e se adaptem a sua realidade.  


Por mais desafiador que seja, esse processo é extremamente necessário para montar uma equipe de alta performance que trará os resultados desejados para a organização. Portanto, é fundamental ter um cuidado especial com o desenvolvimento do processo seletivo.


Quando há essa preocupação e os melhores profissionais passam a fazer parte do quadro de funcionários, a empresa tem muito a ganhar. Primeiramente, os colaboradores serão competentes para assumir as obrigações do cargo, realizando as tarefas com excelência e trazendo bons resultados. Mas, também poderão enxergar além do cotidiano: analisando o trabalho de forma estratégia e pensando em maneiras de aprimorar os processos e, assim, tornar tudo ainda mais eficiente.


Já com as capacidades subjetivas adequadas, esses profissionais irão se adaptar bem ao ambiente organizacional - se é necessário criatividade, eles serão inovadores; se é comum agir colaborativamente, saberão trabalhar em equipe; se é importante ser proativo, irão tomar frente de suas atividades; se é fundamental saber solucionar problemas, eles irão dar conta do recado.


Por isso é preciso enxergar os candidatos além de seu currículo, suas formações e experiências: ao realizar o processo seletivo é essencial identificar as características pessoais necessárias para agregar forças a equipe e ter um bom relacionamento com a empresa. Essa pessoa precisa estar de acordo com os valores e identidade organizacional, caso contrário, não ficará na instituição por muito tempo.


E este é um dos problemas que um processo seletivo não executado corretamente causa: o aumento do turnover. Se os funcionários não se adequam a realidade da função ou não se adaptam à empresa, o resultado costuma ser sua saída. Além do tempo e recursos gastos com o recrutamento malsucedido, o desligamento também gera mais perdas financeiras e produtivas - por isso uma grande taxa de rotatividade na equipe é um sinal vermelho para a gestão.


Diversas empresas apostam em métodos diferenciados para evitar problemas e contratar os melhores profissionais, desenvolvendo dinâmicas, investindo em divulgação e até contratando instituições especializadas para realizarem esta tarefa. Entretanto, existem estratégias inovadoras que podem ajudar nessa situação e trazer resultados surpreendentes: como a gamificação  


Gamificação em processos seletivos


Essa estratégia é utilizada em diversas áreas, como saúde, educação e até em empresas para tornar alguns processos mais dinâmicos e eficientes. Em linhas gerais, gamificação é aplicar elementos comuns aos jogos em contextos que não se resumem ao entretenimento. Recursos como pontuações, storytelling* e recompensas são usados de forma estratégica para motivar os participantes a realizarem determinadas ações ou desenvolverem certos comportamentos - tudo em uma atividade lúdica e engajadora.


Ao criar uma experiência imersiva e interativa, essa metodologia pode ajudar o RH a identificar habilidades e posturas dos candidatos que não seriam descritas no currículo ou comprovadas com certificados. É possível testar as competências dos profissionais por meio de desafios e avaliar os resultados com os dados oferecidos pelas plataformas, tornando a análise mais assertiva e analítica.


Essa avaliação de competências é realizada de forma ágil e prática, especialmente com o modelo eletrônico de gamificação: que gera imediatamente os resultados e proporciona feedback instantâneo. Desta forma o processo seletivo se torna mais rápido, o que beneficia tanto o RH e empresa quanto os candidatos que aguardam o retorno de seu desempenho.


Além disso, o elemento lúdico da gamificação ajuda a descontrair esse momento que pode ser angustiante e estressante mesmo para as pessoas mais qualificadas. O jogo proporciona que o candidato se sinta mais à vontade para mostrar suas verdadeiras habilidades e, desta forma, permite que o RH entenda melhor seu perfil comportamental e escolha o profissional que mais se enquadra no cotidiano da organização.


A gamificação ainda se torna um diferencial da empresa, impressionando os profissionais e demonstrando sua postura de investimento em inovação e tecnologia - o que atrai bastante as gerações mais novas, como a Y e Z*. Neste momento já é possível educar os futuros colaboradores a respeito da cultura interna, ajudando-os a entender e se adaptar aos valores organizacionais.


Ou seja, adotar a gamificação em processos seletivos torna essa tarefa mais amigável aos candidatos, mais esclarecedora ao RH (que irá conhecer novas habilidades dos profissionais e ter mais segurança ao escolher o novo funcionário), mais eficiente para a empresa (que terá um colaborador não somente tecnicamente mais indicado, como também uma pessoa mais adequada a sua cultura e funcionamento interno) e para o futuro empregado, que terá mais confiança de que está na organização mais correta ao seu perfil profissional e pessoal.


Como utilizar a gamificação em processos seletivos


Primeiramente é preciso avaliar quais características e habilidades deverão ser avaliadas no processo seletivo para as vagas da empresa. O que a dinâmica deverá revelar sobre o candidato? Que sabe trabalhar em equipe? Sabe solucionar problemas e ser resiliente? Tem capacidade de raciocínio lógico? Essas são apenas algumas questões que a gamificação pode trazer a tona do comportamento dos profissionais entrevistados.


Após isso é necessário encontrar uma empresa confiável e especializada para desenvolver o processo de gamificação. Esse fornecedor irá considerar as suas expectativas, a cultura da empresa e o objetivo da ação, criando uma solução que seja lúdica, mas principalmente eficiente. Sempre é importante realizar testes com a plataforma, verificando se ela está adequada e quais mecanismos poderão ser aprimorados.


Além do recrutamento, uma dica é adotar a gamificação em outros processos da empresa. O novo funcionário poderá se beneficiar de realizar o onboarding de forma mais dinâmica, se atualizar profissionalmente e desenvolver novas habilidades pessoais em um treinamento corporativo engajador, saber das novidades da organização com uma comunicação interna inovadora e, inclusive, estar mais motivado a cumprir suas tarefas cotidianas. Tudo isso graças a essa estratégia.


Quer saber como a gamificação pode beneficiar a sua empresa? Venha tirar todas as suas dúvidas e converse conosco!


No items found.
Veja outros conteúdos sobre assuntos relacionados:
O que você achou deste conteúdo?
Conte nos comentários.
Veja outros posts relacionados
logo sioux grouplogo siouxlogo ludos prologo pgblogo movieplaylogo go gamers
icon linkedinicon instagramicon facebook