Uma das questões que atualmente preocupa empresas no mundo inteiro é a proteção de seus dados no ambiente cibernético. Organizações vem reforçando suas tecnologias e implementando estratégias para se defender de ataques e crimes nessa esfera. Entre diversas possibilidades, a gamificação se mostra uma grande aliada na segurança da informação.

Neste artigo vamos explicar como essa metodologia pode ser adotada para melhorar a proteção dos dados da empresa e evitar problemas — como golpes e vírus — mais tarde!

Tecnologia e Segurança: uma relação necessária

A popularização da internet trouxe uma série de benefícios à sociedade: informações a alguns cliques de distância; a quebra de distâncias físicas e até temporais, além de milhares de possibilidades que facilitam as nossas vidas em diversas esferas, como pessoal, social e profissional.

No entanto, com este movimento, também veio o lado negativo: vírus; golpes; informações falsas; ataques e outros milhares de tipos de crimes cibernéticos aumentaram à medida em que o número de usuários cresceu. Não são apenas pessoas que sofrem com estes problemas — as empresas também enfrentam este desafio ao adentrar o universo online. 

Por mais que a tecnologia e suas oportunidades, como a transformação digital, sejam vantajosas aos negócios, é preciso saber lidar com estes riscos para se prevenir das consequências deste lado sombrio da internet.

Felizmente existem uma série de soluções que podem ajudar empresas de todos os portes e segmentos de mercado a protegerem seus dados de ataques e golpes, evitando assim dezenas de problemas futuros. A adoção de ferramentas de segurança — como antivírus e outras possibilidades mais sofisticadas — é fundamental, mas existem outros gargalos nessa situação que precisam ser resolvidos.

E a gamificação pode contribuir justamente em algumas dessas lacunas.

Gamificação e Segurança da Informação

Uma das principais portas de entrada dos crimes cibernéticos é a falha dos usuários. Por desconhecimento e muitas vezes sem a intenção, muitas pessoas acabam acessando conteúdos e links maliciosos na rede, instalando programas espiões e vírus nos equipamentos pessoais e até mesmo nos da empresa onde trabalham. 

Este é o maior gargalo que preocupa profissionais de segurança da informação em todas as partes do mundo, pois essa pequena falha pode gerar grandes problemas como o roubo de dados, inclusive sigilosos, e golpes em contas bancárias e cartões de crédito. Assim, não somente são causados prejuízos financeiros, como estratégicos para a empresa.   

Problemas como estes não atingem apenas grandes corporações mundiais — até mesmo pequenos negócios podem sofrer as consequências de uma falha de segurança em suas operações. Por isso, esta questão deve ser uma preocupação de todas as empresas e RHs. 

Além de implementar sistemas de segurança e outras ferramentas tecnológicas, é importante que todas as empresas treinem seus colaboradores para saberem lidar corretamente com a tecnologia e não caiam em ciladas que possam prejudicar terrivelmente suas organizações. 

O treinamento corporativo pode educar os funcionários nas melhores práticas de segurança da informação, sabendo identificar tentativas de golpes e vírus, além de outras situações de risco, e ajudando a preservar os equipamentos e dados da organização. Desta forma, reduz-se as chances de ataques cibernéticos e problemas da área. 

E é neste contexto que a gamificação se torna uma grande aliada da segurança da informação. Essa metodologia vem sendo adotada por empresas do mundo todo em suas estratégias de educação corporativa, tornando ações como o treinamento corporativo mais eficientes. 

Mas, como isso ocorre? A gamificação usa elementos comuns aos jogos para estimular as pessoas a realizarem determinadas ações ou mudarem comportamentos, gerando assim impactos positivos concretos em suas vidas. Recursos como storytelling, pontuações e recompensas são aplicados em uma dinâmica educativa para motivar os colaboradores a realizarem os treinamentos.

Em vez de apenas adotar palestras, atividades meramente expositivas ou simples comunicados com dicas de segurança, e que podem passar batido pelos colaboradores e tornar a experiência até monótona, usar a gamificação nos treinamentos pode aumentar o engajamento dos funcionários na ação.

Imagine só: em vez de apenas explicar que clicar em links inseguros pode infectar o computador da empresa com vírus, imagine um jogo com vilões, pontos e missões que ajudem a ensinar o colaborador sobre estas ameaças: uma atividade bem mais divertida, não? 

Ao oferecer uma experiência imersiva e interativa, os funcionários associarão os momentos de estudo com algo positivo, aumentando assim o seu engajamento e fortalecendo os conhecimentos adquiridos na dinâmica. 

A gamificação consegue captar e reter a atenção dos participantes nas ações, usando elementos dos jogos que os tornam atividades naturalmente motivadoras. Desta forma, aliando o lúdico a objetivos reais, é possível melhorar os resultados dos treinamentos e outras estratégias educativas da empresa — seja pensando na segurança da informação ou em outros temas importantes para os colaboradores, fortalecendo seu desenvolvimento técnicos e até suas habilidades sociais. 

Curiosamente, a relação entre jogos e proteção de dados é ainda mais profunda. Uma pesquisa do McAfee, traduzida pelo site Meio Bit em 2018, apontou que a geração que cresceu jogando videogames é vista como a mais preparada para assumir cargos em cibersegurança. Entrevistando diretores e profissionais da área, 78% deles acreditam que os gamers são os candidatos mais fortes às vagas em Segurança da Informação — justamente pelas habilidades adquiridas na atividade. 

Para 72% dos respondentes contar com profissionais que tenham essa vivência em suas equipes de Tecnologia da Informação (TI) ajudaria a fechar brechas de segurança em seus produtos e serviços. Mais ainda — 75% contratariam um profissional gamer, mesmo que este não tenha experiência na área, investindo em treinamentos específicos para complementar a sua formação mais tarde.

Todo este otimismo tem justificativa: para 92% dos participantes da pesquisa os jogos ajudaram essa geração a desenvolver competências que acreditam ser fundamentais, como competição, entendimento de lógica, perseverança, desenvoltura para lidar com frustrações e criatividade.

Imagine conseguir desenvolver essas habilidades na sua equipe? Mesmo em questões que não se relacionem à segurança da informação e a área de TI, essas competências também são importantes para se despertar nos colaboradores da empresa, fortalecendo os talentos internos. 

E a gamificação pode ajudar nesse processo, tornando o treinamento ainda mais engajador. Além de ser uma ótima solução para este tipo de ação, a metodologia vem sendo adotada nas empresas em processos como recrutamento e seleção, onboarding de novos funcionários, comunicação interna e até mesmo nas tarefas diárias dos colaboradores. 

Quer conhecer mais benefícios dessa estratégia? Converse conosco e descubra o que a gamificação pode fazer por sua empresa!