Aderir a gestão de pessoas por competências é uma forma de investir nos talentos da empresa para melhorar seus resultados. Saber quais são as habilidades necessárias para alcançar os objetivos da organização ajuda o RH a direcionar suas estratégias a estas características, fazendo um trabalho mais assertivo e atingindo suas metas.

Descubra nesse artigo o que é a gestão de pessoas por competências, suas vantagens e como adotar essa metodologia na sua empresa.

O que é a Gestão de Pessoas por Competências?

Esta estratégia é uma forma de gerir os conhecimentos, habilidades e atitudes dos colaboradores para atingir os objetivos empresariais e obter melhores resultados com a organização. Cada negócio tem a sua meta: ser a mais inovadora; ter um atendimento de excelência; valorizar a diversidade – adotar a gestão de pessoas por competências pode direcionar os esforços de toda equipe para atingir esse alvo em cheio.

A competência, em resumo, é a junção das habilidades, conhecimentos e atitudes que contribuem para os resultados da empresa. Podemos considerar que existem três tipos dessa aptidão:

Competências Individuais: são as habilidades, conhecimentos e atitudes pessoais de cada colaborador;

Competências Funcionais: são as características necessárias para o cumprimento de determinada função/cargo;

Competências Organizacionais: são as aptidões da empresa em si. Os funcionários também devem apresentar tais características para bem atuar nela.

A gestão de pessoas por competências nada mais é do que uma estratégia para alinhar esses valores, desenvolvê-los no público interno e fortalecê-los em seu dia a dia – tudo para atingir as metas da organização. Por isso, esse trabalho vai desde promover processos seletivos para encontrar talentos com as características buscadas pela empresa, criar ações para despertá-las em seus colaboradores, fazer avaliações sobre como está sua implementação a até formar um sistema para recompensar os profissionais que estão se destacando nesse sentido.

Assim, é possível montar um processo completo que fomente e incentive as competências que a empresa valoriza. Como ficou implícito, essas características não são unicamente inatas aos profissionais: elas podem ser despertadas e trabalhadas nos colaboradores por meio de ações de treinamento e desenvolvimento de pessoas.

Essas competências podem ser as mais variadas – inovação, proatividade, criatividade, resiliência, espírito colaborativo, liderança – só para dar alguns exemplos. Esse modelo de gestão valoriza as soft skills, afinal, não basta apenas desenvolver competências técnicas para melhorar o desempenho da organização: as habilidades comportamentais também são fundamentais para o bem da empresa. Porém, trabalhar essas qualidades é apenas um dos benefícios de se adotar essa metodologia.

Vantagens da Gestão de Pessoas por Competências

Além de alinhar as qualidades da equipe com as metas da empresa, existem outros pontos positivos em se adotar a gestão de pessoas por competências. Vamos entender como essa estratégia impacta a organização?

Alinhamento com os objetivos da empresa

Fazer uma gestão de pessoas por competências ajuda a alinhar o comportamento dos colaboradores com as metas da organização. Assim, fica mais claro aos funcionários o que é esperado deles e a missão, visão e valores internos, o que por sua vez torna seu trabalho mais direcionado aos objetivos estratégicos da companhia – um passo no caminho certo para atingi-los.

Aumento da produtividade

Alinhar as necessidades das funções com as habilidades dos colaboradores é uma boa ideia para melhorar a qualidade do seu trabalho e até mesmo impulsionar a produtividade. Além disso, o próprio direcionamento às metas da empresa – geralmente ligadas ao aumento da produção/vendas/lucro – também ajuda nesta questão.

Redução da rotatividade

Ao investir na capacitação dos funcionários, você passa uma mensagem clara de que se importa com o seu crescimento profissional e pessoal. Isso aumenta a motivação e engajamento da equipe e, aliado a melhora do desempenho no trabalho, ajuda a combater o turnover – um mal que gera prejuízos financeiros, produtivos e até intelectuais para as empresas. 

Melhora no clima organizacional

Ter profissionais bem capacitados, motivados, engajados e que permanecem na empresa são fatores que impactam positivamente no clima organizacional. Esse ambiente agradável, por sua vez, ajuda a melhorar a qualidade do trabalho dos colaboradores e até mesmo sua produtividade, melhorando os resultados da companhia.

Como Implantar a Gestão de Pessoas por Competências?

É preciso seguir algumas etapas para adotar esse modelo de gestão na sua empresa de forma completa:

1- Diagnóstico

Antes de mais nada, é fundamental compreender em que pé está sua empresa e a gestão de pessoas. Por isso, primeiramente faça uma coleta dos feedbacks e um estudo com os dados do RH para entender a realidade da organização.

Além disso, faça uma avaliação de desempenho por competências para identificar o perfil da sua equipe e um mapeamento dessas habilidades, descobrindo quais características são necessárias para atingir os objetivos estratégicos da empresa e o papel de cada departamento/cargo/função para alcançar essa meta.

Comparar essas duas análises ajuda o RH a entender onde a gestão de pessoas está e onde ela deve chegar – dando dados e conclusões consistentes para pautar o seu trabalho para diminuir essa lacuna. Se uma empresa tem o objetivo de ser inovadora, mas essa competência não foi encontrada na sua equipe, é necessário desenvolver estratégias para desenvolver essa habilidade nos colaboradores, por exemplo.  

2- Implementação da gestão de pessoas por competências

Após fazer esse levantamento da realidade da empresa e sua meta agora é a hora de pôr as conclusões em prática. Há várias formas de fazer isso:

Processos internos: é preciso mudar diversas concepções e modos de trabalho para aplicar a gestão de pessoas por competências. Cada cargo deve ter definidas claramente as aptidões necessárias para atingir as metas da empresa, e a remuneração dessas funções tem que refletir essas novas exigências. As avaliações de desempenho também devem considerar essas habilidades e a evolução dos funcionários em desenvolvê-las. 

Recrutamento: não basta avaliar o currículo dos profissionais nesse modelo de gestão. É necessário desenvolver um processo seletivo capaz de identificar as competências dos candidatos e comparar suas habilidades com as desejadas para o cargo e os objetivos estratégicos da empresa.  

Treinamento e desenvolvimento: o RH deve montar ações de educação corporativa para despertar e fortalecer as competências desejadas em cada profissional, de acordo com os objetivos da empresa e o resultado dos estudos feitos anteriormente.

3- Avaliação e aprimoramento das ações

Assim como todo projeto, é fundamental acompanhar seu desempenho e resultados alcançados para saber se a estratégia está no caminho certo e o que pode ser feito para aprimorá-la. Por isso, faça avaliações periódicas das ações – como os treinamentos e processos de recrutamento – para verificar a efetividade dessa mudança de modelo.

Precisa de ajuda com a gestão de pessoas da sua empresa? Confira mais artigos sobre RH no nosso blog e melhore o desempenho dos seus colaboradores!