A gestão participativa é um modelo de gestão corporativo pautado na confiança entre os colaboradores, independente de seus níveis hierárquicos. A partir dele, os profissionais têm voz ativa em todos os processos decisórios da empresa, cultivando um clima onde todos buscam os mesmos objetivos.

Esse tipo de administração tem sido aderida por diversas corporações que buscam substituir o modelo convencional por outro mais flexível. Afinal, ao contrário do tradicional em que as decisões são tomadas por um grupo seleto composto pelo conselho, CEOs e diretores, nessa todos os profissionais são parte importante para as decisões e definição dos próximos passos do negócio.

O que você vai ver neste artigo:

Quer descobrir detalhes sobre a gestão participativa? Como ela funciona, seus benefícios e como você pode implementá-la na sua organização? Então acompanhe este artigo, pois vamos compartilhar tudo com você!

Gestão participativa, o que é?

A gestão participativa, como o nome sugere, tem como principal característica envolver todos os colaboradores nas decisões importantes da empresa. Nesse modelo, toda a empresa ocupa uma posição de relevância e, portanto, é considerada para desenvolver propostas e soluções para a empresa.

Então esse tipo de modelo de gestão diminui a distância que a hierarquização gera e possibilita que os cargos não exerçam tanto poder, sendo uma gestão que estimula a troca de experiência e informação.

Como funciona a gestão participativa?

A gestão participativa objetiva descentralizar a liderança engajar os colaboradores para que interajam e cooperem no objetivo principal da empresa, logo os processos da empresa devem ser voltados para isso. Sendo importante observar a estrutura e seus aspectos:

  • Estrutural: é necessário reavaliar os cargos e hierarquias da empresa, para que sejam encontradas oportunidades para dar mais flexibilidade aos profissionais, de modo que consigam exercer seus direitos de decisão e opinião;
  • Resultados: a gestão participativa se baseia em dados compartilhados e interpretados pelos profissionais, sendo importante organizar e analisar dados que sejam confiáveis de modo que eles estimulem uma discussão produtiva que posteriormente ajude nas tomadas de decisão.
  • Comportamental: A estrutura comportamental se refere a postura da liderança, devem ser desenvolvidas práticas que as validem, mas que gerem novos comportamentos para que a gestão participativa seja de fato implementada.

No geral, os processos internos devem ser cada vez mais transparentes e coletivos, assim como as decisões relacionadas ao negócio.

Vantagens da gestão participativa

Ao implementar uma gestão participativa na sua empresa, você passa a dispor de inúmeras vantagens, confira algumas delas.

1- Maior engajamento e motivação

Ao entenderem que podem influenciar na tomada de decisões da sua empresa, os colaboradores se comprometem ainda mais com as atividades e os objetivos disponibilizados pela organização.

2- Melhora na comunicação e estrutura mais eficientes

A gestão participativa abre espaço para a troca de informações, o que melhora a comunicação entre as equipes.

jornada-da-gamificacao

A partir de uma comunicação efetiva e uma estrutura mais eficiente – que não depende da hierarquização –, o ambiente se torna mais agradável e estimulante.

3- Maior desenvolvimento e produtividade

O desenvolvimento e a produtividade se destacam em todas as áreas. Isso acontece porque ao abrir espaço para a colaboração dos profissionais, cria-se um sentimento de maior pertencimento, que os tornam mais criativos e proativos, o que traz resultados positivos para a própria empresa.

Esse processo acontece de forma natural, visto que agora as decisões estratégicas não são de responsabilidade de apenas um ou poucos membros, mas de toda a empresa, tornando o processo de tomada de decisão muito mais rápido.

4- Melhora na retenção de colaboradores

Na gestão participativa os colaboradores sentem que de fato estão contribuindo ativamente para o avanço da empresa e com isso passam a reconhecer o ambiente e desenvolver o sentimento de gratidão, o que os fazem querer ficar, influenciando na taxa de retenção de funcionários da empresa.

Como aplicar a gestão participativa?

A implementação da gestão participativa envolve algumas práticas constantes, veja quais são elas.

Diálogo aberto quanto as hierarquias e gestão 

É preciso identificar se a equipe que compõe a sua empresa está preparada para esse tipo de gestão, para isso é necessário analisar o perfil dela e ver se o modelo de participação se encaixa. Nessa etapa o diálogo é essencial.

como-motivar-e-engajar-as-geracoes-y-e-z-1

Envolva os profissionais na mudança

A empresa precisa se certificar que oportunidades sejam criadas a fim de que a interatividade, o compartilhamento de experiências e ideias de fato ocorram na prática. Então ao iniciar o processo participativo tenha certeza que todos os profissionais estejam envolvidos na mudança.

Acompanhe a evolução dos processos

É necessário acompanhar de perto as mudanças para avaliar se os funcionários de fato estão se adaptando a elas. Essa análise deve se dar de forma individual e em grupo e com ela é preciso entender o porquê de possíveis resistências e trabalhar para que elas sejam eliminadas.

Compartilhe os resultados positivos

Uma empresa com gestão tradicional mudar para uma mais flexível não é um processo fácil, isso porque os colaboradores estão acostumados a seguir o mesmo padrão de gestão comportamental.

Quando é implementado mudanças, principalmente com relação à gestão de pessoas, é normal que muitos resistem, principalmente quando envolve o relacionamento entre liderança e liderados, mesmo que sejam mudanças positivas.

Por isso toda e qualquer conquista terá um grande significado para a empresa e deve ser marcada com comemoração. Quando um resultado positivo aparecer, reúna e parabenize a equipe.

Compartilhe responsabilidades e méritos

As responsabilidades estratégicas não devem mais ser responsabilidades de gerentes, diretores e CEOs, é preciso compartilhá-las com os demais profissionais. É claro que a última palavra permanece sob os cargos de liderança, mas antes de dá-la, a empresa levará em consideração as observações feitas pelos demais colaboradores.

Essa prática não se limita às responsabilidades, mas também aos méritos. Quando um colaborador abraça a causa da empresa e passa a contribuir com ideias, ajudando assim na tomada de decisão, então é interessante mostrar quão a empresa respeita e valoriza essa ação.

Para auxiliar nesse processo, é importante contar com fontes de apoio e ferramentas de gestão são alternativas que podem te ajudar nessa nova caminhada. Quer ficar por dentro das ferramentas de gestão mais úteis para uma empresa? Então confira nosso artigo.

teste-gratis-por-7-dias
Gestão participativa, o que é?

A gestão participativa, como o nome sugere, tem como principal característica envolver todos os colaboradores nas decisões importantes da empresa. Nesse modelo, toda a empresa ocupa uma posição de relevância e, portanto, é considerada para desenvolver propostas e soluções para a empresa.

Como funciona a gestão participativa?

A gestão participativa objetiva descentralizar a liderança engajar os colaboradores para que interajam e cooperem no objetivo principal da empresa, logo os processos da empresa devem ser voltados para isso.

Como aplicar a gestão participativa?

– Diálogo aberto quanto as hierarquias e gestão 
– Envolva os profissionais na mudança
– Acompanhe a evolução dos processos
– Compartilhe os resultados positivos
– Compartilhe responsabilidades e méritos