O intraempreendedorismo é uma tendência que vem crescendo no mundo dos negócios. Muitas empresas estão investindo no desenvolvimento dessa habilidade ou buscando profissionais que tenham essa característica para serem mais inovadoras e competitivas no mercado.

Quer saber mais vantagens de se apostar no intraempreendedorismo? Confira este artigo e garanta o espaço da sua empresa!

O Cenário Competitivo Atual

O mundo dos negócios está cada vez mais competitivo: são tantos lançamentos; inovações e tendências que é natural qualquer empresa encontrar-se em dificuldade de lidar com tanta informação. Em alguns segmentos, a disputa é extremamente acirrada e aqueles que não investem em diferenciais acabam ficando para trás.

Existem várias formas de se enfrentar essa batalha e uma das mais importantes é adotar uma cultura de inovação. Essa postura contribui para que a organização esteja aberta a novas ideias e melhorias, que irão impactar diversas áreas — dos seus processos, produtos, serviços à gestão de pessoas. 

A inovação é fundamental para bater de frente com a concorrência, trazendo novidades para os clientes, otimizando operações e fortalecendo a equipe. Inúmeros negócios se destacaram no mercado ao investir nessa característica, como o Google e a 3M.

No entanto, inovar é algo essencial para empresas de todos os portes e segmentos de mercado. Por menor que pareça ser, um concorrente sempre pode ter uma grande ideia e que irá atrair os olhos do público para a sua marca.

Alguns empreendedores têm receio de investir nessa tendência por medo de arriscar ou por achar que é um processo complexo e caro. Enquanto toda inovação tem sua parcela de riscos, a semente desse movimento pode já estar dentro da sua organização — só basta cultivar para colher os frutos mais tarde. É aí que o intraempreendedorismo entra na história.

O que é o Intraempreendedorismo e quais são seus Benefícios?

Existem diversas competências que são desejadas por empresas de todo o mundo — como a proatividade, motivação, pensamento crítico e criatividade — que aumentam a qualidade e produtividade da equipe, tornando-se um grande diferencial para qualquer negócio.

Entre tantas aptidões importantes, uma tendência valiosa é o espírito de intraempreendedorismo. Esse conceito, basicamente, diz respeito a empreender dentro da própria empresa. Um colaborador com essa habilidade costuma trazer ideias e novos projetos, sabe resolver problemas, propõe soluções e age com criatividade e responsabilidade. 

Fácil entender como alguém assim pode ser tão desejado por uma empresa, não? Mas esta não é uma questão apenas dos funcionários: organizações que exploram essa característica em seus colaboradores permitem com que eles tenham liberdade para criar novos produtos, serviços, processos, entre outros itens importantes, transformando todo negócio. 

O intraempreendedorismo é uma estratégia que torna os funcionários mais proativos e as empresas mais inovadoras, abertas ao aprimoramento e a uma relação mais forte com seu público-interno.

Por isso, o intraempreendedorismo é uma via de mão dupla: os colaboradores precisam ter uma postura inovadora, enquanto a organização deve lhe dar espaço para criar. Funcionários proativos que não tem liberdade para usar seus talentos acabam desmotivando e, nos piores casos, saindo da empresa. Enquanto negócios inovadores não se mantêm no mercado com profissionais acomodados. 

Uma nova ideia tem o potencial de transformar a empresa. Imagine uma solução inovadora que desperte a atenção dos clientes, garanta mais vendas e atraia os olhares do mercado no seu negócio: não seria uma situação excelente para a organização? 

No entanto, alcançar esse objetivo não ocorre de uma hora para outra. É preciso investir e se esforçar para montar uma empresa inovadora e ter colaboradores intraempreendedores.

Como estimular o Intraempreendedorismo na Empresa?

Existem várias estratégias que podem ajudar a estimular essa postura na organização e torná-la mais inovadora. 

Identificar e valorizar os talentos

Um primeiro passo que a empresa pode dar é descobrir quais são os colaboradores que, naturalmente, têm tendência a serem empreendedores. Quais funcionários são mais proativos, gostam de trazer novas ideias e são responsáveis? 

Após identificar essas pessoas, uma boa ideia é montar estratégias que valorizem e deem mais espaço para estes talentos brilharem. Investir em gestão de projetos, colocando esses profissionais para desenvolverem novas soluções é uma excelente forma de usar suas competências para beneficiar a empresa e estimular sua motivação e participação no negócio.  

Oferecer um ambiente mais saudável

Mesmo os profissionais mais competentes e criativos não irão florescer em um ambiente considerado hostil. Se a empresa tem problemas no clima organizacional, dificilmente os colaboradores se sentirão motivados ou à vontade para terem uma postura inovadora e intraempreendedora.

Por isso, é fundamental estar atento ao ambiente da equipe, adotando estratégias para torná-lo mais acolhedor e saudável, fortalecendo o respeito, comunicação e cooperação entre todos os membros da equipe. 

Nesse sentido, as lideranças têm um papel importante: dar espaço e liberdade para os talentos da empresa, além de desenvolver um relacionamento respeitoso, mas aberto com seus liderados. A postura dos gestores impacta profundamente a dinâmica interna e até mesmo a motivação dos colaboradores. 

Investir em treinamento e desenvolvimento

Uma das ferramentas mais poderosas da gestão de pessoas pode ajudar bastante a despertar o intraempreendedorismo na empresa, inclusive nos profissionais que não tenham esse espírito naturalizado. 

O treinamento contribui para aumentar a capacitação técnica dos funcionários, atualizando seus conhecimentos, fortalecendo as boas práticas da área de atuação e melhorando sua produtividade. Isso dará um gás a suas competências profissionais e até mesmo na confiança em seu próprio trabalho.

Além disso, é importante considerar as habilidades subjetivas nessa questão. Um colaborador intraempreendedor apresenta algumas qualidades especiais:

  • Proatividade;
  • Criatividade;
  • Pensamento crítico e analítico;
  • Responsabilidade;
  • Capacidade de enxergar falhas e “pivotar”;
  • Espírito empreendedor.

Nem sempre um profissional apresenta naturalmente tais características, mas isso não significa que jamais será capaz de tê-las. Pelo contrário, é possível despertar várias competências nos colaboradores por meio de ações de desenvolvimento de pessoas — que irão incentivar sua equipe a ter essa postura no dia a dia e, assim, obter melhores e mais inovadores resultados. 

Entretanto, não adianta investir em qualquer ação de treinamento e desenvolvimento de pessoas e esperar alcançar os objetivos desejados. Essa atividade precisa ser engajadora e eficiente para atingir os resultados e transformar o desempenho dos colaboradores.
Dê um UP na sua gestão de pessoas: conheça 5 ideias de treinamentos interativos para sua empresa!