A liderança autocrática é um modelo de gestão em que o controle das decisões está diretamente ligado a um único e exclusivo indivíduo. 

A própria palavra “autocrática” se refere a isso, o radical de origem grega “autos” significa “por si próprio” enquanto a palavra “kratos” (também grega) quer dizer “poder”.

A primeira descrição desse perfil de liderança surgiu em 1939, em um artigo divulgado na revista “American Journal of Sociology”, de autoria do psicólogo Kurt Lewin e outros colegas.

Por muito tempo a liderança autocrática prevaleceu como majoritária nas empresas: uma figura quase sempre autoritária e pouco inclusiva, que determinava todos os processos, metas e objetivos e todas as outras questões da empresa, sendo suas ordens absolutas e inquestionáveis.

E mesmo com a imagem negativa que ela começou a passar, esse tipo de liderança demonstrou ser muito eficaz por muito tempo. 

Mas com o advento de novas tecnologias, que mudou a maneira com que os dados são gerados e analisados, os processos e até mesmo decisões passaram a ser tomadas de diferentes formas.

Os colaboradores começaram a não necessariamente depender de uma figura exclusiva para isso, transformando, portanto, o papel do líder. 

Líder hoje já não é mais responsável tão somente por tomar decisões, o foco dele no contexto atual é o de definir planos estratégicos para a empresa e para seus colaboradores.

Mesmo em meio a tantas mudanças no mundo corporativo, há organizações (normalmente as mais tradicionais) que optam por continuar com este tipo de liderança.

O que você vai ver neste artigo:

Nisso fica a dúvida: quais os impactos que uma empresa que deseja parar no tempo em termos de modelo de gestão pode sofrer na geração atual?

Para resolver esta questão, nós decidimos desenvolver este artigo exclusivo, então confira a seguir!

Características de uma liderança autocrática

Liderança autocrática é aquela em que o líder centraliza em si todo poder de decisão, podendo ser de uma equipe, um departamento ou da empresa como um todo. 

A relação entre líder e liderado é verticalizada, então na estrutura organizacional o líder se encontra acima de qualquer colaborador e – consequentemente – os profissionais abaixo.

Neste tipo de gestão, os colaboradores ainda dispõem de pouca ou nenhuma voz acerca das ideias, metas, objetivos e processos de trabalho, sendo, basicamente, a função deles obedecer às ordens que são impostas pelo líder.

Outra competência de liderança bem presente neste tipo de gestão é com relação aos processos, que são todos bem definidos pelo chefe e precisam ser empreguados pelos colaboradores da maneira que planejado.

O líder até pode dar lugar aos profissionais e ouvi-los acerca de algum assunto específico, mas a palavra final sempre será a dele, sendo ela a mesma ou não que a compartilhada pelos colaboradores sobre o assunto.

Em resumo, pode-se dizer que a liderança autocrática se caracterizar por:

  • dispor de pouca ou nenhuma participação dos colaboradores na tomada de decisões ou nos processos de trabalho;
  • ter um ambiente completamente controlado;
  • conter processos muito bem definidos pelo líder; e
  • dispor de uma postura mais firme;

Liderança autocrática tem suas vantagens

Qualquer tipo de gestão dispõe de pontos positivos e negativos, o mesmo acontece com a liderança autocrática, que mesmo com o surgimento de novos modelos ainda consegue dispor de algumas vantagens. 

Veja duas principais características:

Decisões mais rápidas

Como a decisão cabe a uma única pessoa, no caso a do líder, ela pode acontecer de forma mais rápida, visto que não depende ser analisada e aprovada por outros profissionais. 

Essa rispidez pode influenciar até mesmo no tempo em que os resultados serão gerados ou na vantagem competitiva de uma empresa, visto que o mercado exige isso, o posicionamento estratégico, rápido e inteligente das marcas. 

E aquelas que não conseguem acompanhar esse sistema acabam ficando para trás.

Produtividade em foco

Equipes geridas por uma liderança autocrática tendem a ser produtivas porque são estimuladas a corresponderem com as expectativas do líder. Isso porque o profissional está sempre presente analisando o desempenho individual e coletivo de seus liderados.

Além disso, a característica mais rígida imposta neste tipo de liderança diminui a falta de foco ou possíveis desvios que os colaboradores possam acometer.

Os impactos da liderança autocrática atualmente

Qualquer modelo de liderança contém suas vantagens e suas desvantagens. Mas devido ao fato da liderança autocrática estar presente em gerações que não presenciaram as mudanças significativas que as gerações Y e Z testemunharam (advento da internet, computador, celular, redes sociais, entre outros), questiona-se se os impactos dessa liderança são mais positivos do que negativos, balança a qual permite identificar se ela ainda se faz relevante nessas gerações.

O perfil da geração atual é majoritariamente composto por profissionais que desejam aprender e não só cumprir uma tarefa que foi solicitada. 

Então, o líder autocrático pode ter dificuldade em gerar engajamento dos colaboradores na sua gestão, ao menos que ele seja flexível, os impactos deste tipo de liderança podem ser em maioria negativos.

O líder autoritário, por exemplo, normalmente requer que suas ideias sejam as únicas implementadas, mas neste novo tempo, ele pode extrair ideias da equipe e considerá-las na uma decisão final.

Outra característica bastante presente neste tipo de gestão, é com relação ao acompanhamento da equipe. 

Este gestor tende a ter controle absoluto de todas as tarefas que seus colaboradores dispõem, o que acaba gerando um sentimento de tensão e frustração e atitudes de autoproteção. 

Nesse novo cenário, a liderança autocrática deve encontrar um meio termo, fiscalizando parte do trabalho, sem que seja em um nível extremo, assim o ambiente se torna mais flexível e mais saudável, ou seja, ele deve se tornar um líder situacional.

Isso significa que ainda há espaço para este tipo de liderança na geração atual, desde que ela seja desempenhada de forma mais flexível do que normalmente era trabalhada nas gerações anteriores.

Se você quer se aprofundar no assunto, há diversos livros sobre liderança que você pode conferir. Fizemos uma lista com os principais deles. Veja: 7 Livros sobre liderança que vão mudar sua forma de pensar.