A Pirâmide das Necessidades de Maslow é um conceito que defende a ideia de que todo ser humano é motivado em satisfazer cinco necessidades: fisiológicas, de segurança, social, de autoestima e de realizações pessoais. Essas necessidades são distribuídas em uma pirâmide hierárquica, sendo a base atribuída para as necessidades de sobrevivência e a ponta de autorrealização.

No contexto empresarial, a Pirâmide de Maslow se faz relevante porque está diretamente ligada às motivações dos colaboradores. Isto é, ao fenômeno motivacional e a sua influência sobre o comportamento humano dentro do ambiente corporativo. Em outras palavras, ao interesse do profissional em desenvolver seu trabalho.

O que você vai ver neste artigo:

Através deste artigo, você terá acesso ao conceito Pirâmide das Necessidades de Maslow e como exatamente ele se insere no contexto empresarial, de modo que saiba como utilizá-lo a seu favor e, assim, tornar seus colaboradores mais engajados com suas atividades. Se você tem essa necessidade na sua empresa, é só conferir os parágrafos abaixo!

Compreendendo melhor a Pirâmide das Necessidades de Maslow

Hierarquia das Necessidades de Maslow (ou Pirâmide de Maslow) pode ser compreendida como um modelo que defende e explícita que o indivíduo possui necessidades que precisam ser atendidas, tanto do ponto de vista pessoal quanto profissional, e que são elas que geram motivação para a realização de todas ações que são realizadas.

Criada pelo professor e psicólogo americano Abraham Harold Maslow (1908 – 1970), a perspectiva foi apresentada em um artigo nomeado “Uma teoria da motivação humana”, em 1945. A teoria possui o nome de pirâmide, pois é o formato em que as necessidades humanas estão dispostas, segundo o ponto de vista de Maslow.

Sua forma é dividida em cinco níveis hierárquicos, cada um especifica sobre uma necessidade:

  • Necessidades fisiológicas (base)

A base da pirâmide é destinada às necessidades fisiológicas, tais como sono, sede, fome, sexo e excreção. Na perspectiva do criador da teoria, Maslow, é impossível um indivíduo alcançar as etapas seguintes se não estiver bem física e psiquicamente.

  • Necessidades de segurança (segundo nível)

O segundo nível da pirâmide é atribuído para a segurança do ser humano, segurança em diferentes aspectos: segurança do corpo, do emprego, de recursos, de moralidade, da família, da saúde, da propriedade, por exemplo.

  • Necessidades sociais (terceiro nível)

As necessidades sociais são aquelas que possibilitam que o indivíduo se sinta aceito e parte de um grupo, do âmbito familiar, amigos ou colegas de trabalho. Este nível também se refere à necessidade de dispor de um parceiro ou parceira sexual.

  • Necessidades de autoestima (quarto nível)

Nesta etapa, a busca do indivíduo está em ser reconhecido pelo o que é. Em outras palavras, a pessoa passa a querer que sua postura, personalidade e atitudes sejam reconhecidas e respeitadas pelas pessoas com as quais convive.

  • Necessidades de realização pessoal (topo)

O topo da pirâmide é destinado para a autorrealização. Aqui, portanto, encontram-se o crescimento, o autocontrole, a independência, os desafios, e a possibilidade de fazer aquilo que se gosta. É importante lembrar que, a busca pela realização pessoal só é feita a partir do momento que todas as demais necessidades foram supridas.

Os benefícios da Pirâmide de Maslow no âmbito corporativo

Através da Pirâmide de Maslow e seus níveis é possível ver que as ações humanas são motivadas para a conquista desses elementos, o que difere é a ordem elencada na pirâmide. Em outras palavras, alguns seres humanos estão visando a realização social e outros de autoestima, por exemplo.

No que diz respeito ao âmbito empresarial, ele é um lugar que pode oferecer recursos para que como ser humano ele alcance e encontre satisfação, tanto em termos profissionais como pessoais. 

Como o profissional entende que seu trabalho pode abrir portas para alcançar essas realizações, logo ele se sente mais interessado em desempenhar suas atividades no trabalho, gerando um ciclo motivacional constante.

Porém, para que essa motivação de fato ocorra, a empresa deve exercer seu papel de criar iniciativas que gerem esta estima por parte do colaborador. Investir em programas de benefícios pode ser uma solução para isso, por exemplo. Mas é possível explorar a Pirâmide de Maslow no âmbito corporativo de diversas formas. Veja.

  • Base

As necessidades fisiológicas no âmbito corporativo podem ser transformadas na liberdade de horário, ou seja, dispor de um horário mais flexível, em que o profissional possa exercer suas atividades nos horários que ele saiba ser mais produtivo; sua empresa até pode exigir o cumprimento de 40 horas semanais, por exemplo, mas sem estabelece especificamente o horário que ele deve cumpri-las.

Outra ação relacionada à saúde e bem-estar que sua organização pode promover, é inserir pequenos intervalos entre uma tarefa e outra, além de respeitar os limites do profissional, a empresa ainda evita que doenças do contexto corporativo venham ocorrer, como Lesões por Esforços Repetitivos (LER) e Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT).

  • Segundo nível

O segundo nível é destinado a segurança. No ambiente corporativo, ela pode ser oferecida de duas maneiras: local e condição de trabalho adequado para que o profissional desempenhe suas atividades e na garantia de ter um salário correspondente para cada função, que permita com que o profissional consiga sustentar sua família.

  • Terceiro nível

As necessidades sociais podem ser supridas no ambiente de trabalho com ações para dar espaço de diálogo aos profissionais e tornar clara a comunicação interna. A empresa pode ir além e promover bem-estar dos familiares dos colaboradores, como disponibilizar auxílio-creche, plano de saúde ou outras práticas.

  • Quarto nível

Quarto nível pode ser aplicado por meio de feedbacks respeitosos e reconhecimento profissional; convertidos em prêmios, bônus, aumento salarial e vales para serem utilizados fora do ambiente de trabalho.

  • Quinto nível

Ao alcançar este nível, o topo, significa que tanto o profissional como a empresa alcançaram o nível mais alto de satisfação. Neste contexto, a organização tem a liberdade de dar autonomia para o profissional realizar seu trabalho, tomar decisões no dia a dia e participar de ações importantes na empresa.

A corporação pode promover bolsas de estudo ou cursos em plataformas LMS para que os profissionais tenham as competências e habilidades necessárias para assumirem tais responsabilidades e se sentirem mais aptos e confiantes.

Gostou deste conteúdo? Pois bem, agora que você já sabe o caminho que deve percorrer para aplicar a Pirâmide das Necessidades de Maslow no seu trabalho, basta partir para ação.

Nos siga nas redes sociais para saber quando tem conteúdo novo por aqui!