O mundo do empreendedorismo é cheio de siglas: algumas mais conhecidas, outras nem tanto. Cada área tem conceitos diferentes e, na gestão de projetos, alguns dos que mais chamam a atenção são o PMI, PMO e PMBOK. 

Neste artigo vamos falar sobre a gestão de projetos, uma área que está ganhando cada vez mais relevância nas empresas — e vamos te explicar um pouco sobre o que são os conceitos do PMI (Project Management Institute); PMO (Project Management Office) e o PMBOK (Project Management Body of Knowledge). 

Gestão de Projetos: inovação e resultados

O mundo dos negócios está cada vez mais competitivo. Quem fica na zona de conforto e não investe em inovação, mesmo nas pequenas tarefas e processos, vai acabar ficando para trás. Por isso as empresas estão lutando para se diferenciar, apostando em estratégias diversificadas e nos talentos internos para melhorar seu desempenho. 

Uma forma de fazer isso é investindo em projetos, realizando ações internas de melhoria e inovação. Essa estratégia pode ser aplicada nas mais diversas áreas de uma organização: da gestão de estoque, à vendas e marketing. 

Um projeto costuma quebrar o “status quo” dentro da empresa, especialmente em seus processos. Para facilitar o entendimento, vamos usar um exemplo: imagine que no setor financeiro todos os processos são feitos manualmente e isto acaba gerando lentidão na realização das tarefas e constantes erros. Essa situação muda quando decidem implementar um sistema de gestão para essa operação, automatizando diversas atividades e assim reduzindo as falhas e otimizando o tempo dos colaboradores da área. 

Apenas uma mudança, a ideia de se adotar um sistema de gestão, pode gerar vantagens para o negócio. Incentivar o desenvolvimento de projetos pode trazer diversos benefícios para a empresa — é possível otimizar processos, reduzir desperdícios, criar produtos ou serviços, implementar indicadores e métodos de controle de processos mais eficientes e até atender melhor os clientes. 

Uma ação dessas pode envolver profissionais de diversos setores da empresa, cada um trazendo suas competências particulares para pensar em novas soluções para o dia a dia da organização. Geralmente estes colaboradores são acompanhados por um especialista em gestão de projetos, que guiará todo trabalho para que seja o mais eficiente o possível. 

Uma característica dos projetos é que eles sempre são ações temporárias: eles têm início e fim, por isso apresentam objetivos específicos, recursos e prazo definidos. Eles não são como os processos, que são rotineiros, mas sim são estratégias pontuais e transformadoras. 

Nesse sentido, existe um ciclo de vida que todo projeto deve seguir:

  • Início: é o momento em que a ideia nasce ou o desafio é lançado (como aprimorar os processos de vendas, por exemplo);
  • Organização e preparação: etapa em que é realizado o planejamento das ações; 
  • Execução: hora de tirar as ideias do papel;
  • Monitoramento e controle: acompanhamento de como está sendo a execução do projeto, para saber o que pode ser aprimorado e corrigido;
  • Encerramento do projeto: etapa final em que avalia-se os resultados da estratégia, identificando os pontos em que ocorreram dificuldades e ideias para ações futuras — ajudando assim na elaboração de novos projetos.

E para fazer todo este trabalho com eficiência, é preciso investir na gestão de projetos. Essa estratégia usa conhecimentos, habilidades e técnicas específicas para que as ações tragam os melhores resultados para a empresa. 

A gestão de projetos é uma especialização na área de administração, que traz conhecimentos e desdobramentos complexos. Por isso é preciso estudar a fundo esse assunto, buscando cursos, treinamentos e conteúdos atualizados para estar sempre por dentro das novidades e melhores práticas.

Nesse sentido, entram os conceitos do PMI, PMO e PMBOK.

O que é PMI, PMO e PMBOK?

Essas três siglas tem um grande significado na gestão de projetos. Elas estão relacionadas a como implementar essa metodologia na empresa, de forma profissional e confiável. 

Project Management Institute (PMI)

O Instituto de Gerenciamento de Projetos, em português, é uma das maiores associações da área. Fundada no fim dos anos 60, a entidade busca fomentar a troca de experiências e conhecimentos entre os profissionais que atuam com o tema, promovendo a educação e ações positivas neste setor.

O PMI é o órgão responsável tanto pelo PMBOK quanto pelo PMP (Project Management Professional ou Profissional de Gerenciamento de Projetos) — uma reconhecida certificação da área. 

Project Management Office (PMO)

Também chamado em português de Escritório de Projetos, o PMO nada mais é do que o setor da empresa responsável pela gestão dos projetos. Essa área trabalha no sentido de auxiliar o desenvolvimento das estratégias e conduzi-las por seu ciclo de vida para que sejam implementadas com sucesso na organização. 

O PMO é composto por profissionais especialistas na gestão de projetos, garantindo que esta metodologia seja aplicada corretamente na empresa e traga os benefícios desejados. 

Project Management Body of Knowledge (PMBOK) 

O PMI desenvolveu um guia para ensinar sobre gerenciamento de projetos e processos de trabalho: o Project Management Body of Knowledge (PMBOK).

Esse documento traz padrões mundiais para a implementação da gestão de projetos, educando os profissionais da área nas melhores práticas e atualizações do setor. Porém, são conhecimentos gerais, que não consideram as questões particulares de cada empresa. 

PMI, PMO e PMBOK e a sua Empresa

Buscar aprimoramento é fundamental em cada área. Ainda mais no mundo dos negócios, quem não se mantém atualizado acaba perdendo espaço para a concorrência. Por isso conhecer os órgãos, certificações e cursos renomados é importante para se capacitar com os especialistas certos, e não acabar investindo em conteúdos rasos, desatualizados ou até mesmo enganosos. 

A gestão de projetos é uma área que vem ganhando cada vez mais relevância nas empresas, devendo ser vista com seriedade e recebendo investimentos para estimular a melhoria contínua nas organizações. Com ela, é possível otimizar os processos internos, pensar em soluções inovadores e fortalecer seu espaço no mercado.

E esta tarefa deve ser realizada com a supervisão de especialistas, capacitados para lidar com os projetos e desenvolvê-los com eficiência na empresa, colhendo os benefícios dessa metodologia.

Mas esse mesmo espírito de aprimoramento e contínua capacitação também serve para outras áreas da empresa, inclusive a gestão de pessoas. Fique sempre atualizado com as melhores práticas empresariais: confira artigos educativos sobre negócios, educação e comportamento em empresas com o nosso blog!