O lúdico faz parte da nossas vidas. Enquanto esse elemento é usado muitas vezes apenas para entreter, ele também pode ser adotado em outros contextos para trazer resultados inovadores. Descubra nesse artigo quais são os objetivos dos jogos empresariais e como implementar no seu negócio uma estratégia ainda mais eficiente, mas que ainda usa a mesma lógica.

Jogos Empresariais: diversão e resultados

Jogar é algo natural a experiência humana: desde as brincadeiras infantis aos games mais sofisticados na vida adulta, os elementos lúdicos fazem parte do nosso cotidiano. Quem nunca jogou algo para passar o tempo, socializar ou para se divertir? Não é à toa que diversos estudiosos buscaram entender como a dinâmica pode influenciar as pessoas, inclusive em relação a sua motivação.

A verdade é que os jogos são atividades extremamente populares. A Pesquisa Game Brasil 2018, realizada pelo Sioux Group, Blend New Research, ESPM através do GameLab e Go Gamers, descobriu que mais de 75% dos brasileiros consomem jogos eletrônicos, independentemente da plataforma. Já quase 35% dos respondentes gostam de cartas e 30% de tabuleiro.  

Isso mostra como os jogos, independentemente da modalidade, são bem aceitos na vida das pessoas. E muitos se perguntaram: por que não usar essa preferência em contextos que não sejam com fins apenas de entretenimento?

Assim os jogos acabaram sendo incorporados a outras áreas, como saúde, educação e gestão de pessoas, usando justamente a sua capacidade de atração para engajar as pessoas em atividades mais sérias.

Nesse sentido, os jogos empresariais foram desenvolvidos para usar o melhor das dinâmicas lúdicas nas atividades da rotina corporativa. Essa metodologia pode ser adotada em diversos processos, como no treinamento corporativo e ações de desenvolvimento pessoal, transformando a forma com que são recebidos pelo público-alvo. 

Aliás, essa ferramenta é democrática: os jogos empresariais podem ser implementados em setores específicos da empresa ou com todos colaboradores em geral, independentemente da sua faixa etária, gênero e grau de escolaridade. 

Geralmente os jogos empresariais são estratégias pontuais, aplicadas para alcançar objetivos específicos. Outras metodologias, como a gamificação, já são soluções usadas de forma ampla e contínua, justamente para que seus resultados se mantenham no médio e longo prazo. Por isso, antes de tudo, é preciso saber quais são os propósitos da ação para depois escolher a ferramenta que será usada para alcançá-los.

Adotar os jogos empresariais pode trazer várias vantagens para a gestão de pessoas, tornando as estratégias dessa área mais engajadoras e dinâmicas, além de permitir trabalhar tanto as capacidades técnicas quanto desenvolver habilidades sociais na equipe. 

Mas existem outras possibilidades de resultados ao aplicar essa estratégia na organização.

Quais são os objetivos dos Jogos Empresariais?

Existem vários motivos para implementar os jogos na rotina da empresa, desde para aprimorar os treinamentos a melhorar o clima organizacional. Quando se adota esta estratégia, diversos objetivos podem ser alcançados:

Reforçar os treinamentos corporativos

A educação corporativa é uma estratégia fundamental para aprimorar a qualidade e produtividade dos colaboradores. Porém, nem sempre os treinamentos conseguem os resultados esperados, ainda mais quando apenas utilizam métodos tradicionais, como o expositivo — o instrutor fala, os participantes escutam. 

Adotar os jogos empresariais nos treinamentos ajuda na capacitação técnica dos colaboradores, associando os conhecimentos a estímulos positivos e assim fortalecendo a memorização das informações. Além disso, por ser uma dinâmica interativa, será mais prazeroso e motivacional realizar as atividades obrigatórias. 

Despertar habilidades sociais

Um colaborador não é medido apenas por suas capacidades e conhecimentos técnicos. Seu relacionamento com a equipe e com a empresa acabam influenciando seu trabalho, seja positiva ou negativamente. Como exemplo, pense como o excesso de competitividade ou de insegurança podem prejudicar o desempenho de um funcionário e, consequentemente sua produção. Fácil imaginar, não?

Por ser uma dinâmica lúdica, os jogos podem ajudar a desenvolver comportamentos positivos na equipe, até mesmo sem perceber. As atividades podem contribuir para reforçar qualidades como trabalho em grupo, espírito de liderança e proatividade. 

Motivar os colaboradores

Como mostramos, os jogos são atividades que ajudam a despertar a motivação das pessoas — e isso também se aplica a sua vida profissional. Os elementos lúdicos reduzem o peso das atividades obrigatórias, engajando os colaboradores em processos como treinamento e desenvolvimento. 

Assim, os funcionários irão se dedicar mais a estas tarefas, melhorando seus resultados e reduzindo os índices negativos, como o de abstenção. 

Melhorar o clima

Usar métodos lúdicos no dia a dia é uma forma de reduzir o estresse das obrigações e correrias, tão comuns à rotina das empresas. Isso irá ajudar a tornar o clima interno mais agradável e harmonioso, consequentemente impactando o trabalho da equipe positivamente. 

Considerando os outros itens acima, todos os pontos contribuem para a construção de um ambiente de trabalho saudável e mais produtivo, beneficiando os colaboradores, líderes e empresa. 

Gamificação: uma evolução aos jogos empresariais

Aplicado de forma correta, os jogos empresariais tem muito a agregar no dia a dia das equipes. No entanto, eles servem mais como ações pontuais, e ainda sim correm o risco de serem vistos mais como entretenimento do que instrumento útil para o treinamento e desenvolvimento dos colaboradores. 

Uma solução mais ampla e que vem trazendo resultados positivos, tanto em empresas de fora como aqui no Brasil, é a gamificação. Essa metodologia usa elementos comuns aos jogos — como o storytelling, pontuação e missões — em contextos que não se resumem ao entretenimento. 

A gamificação vem sendo adotada em processos como treinamento corporativo, programa de integração de novos funcionários, recrutamento, comunicação interna e até nas tarefas cotidianas dos colaboradores. Os recursos lúdicos motivam os funcionários a realizarem suas atividades, criando uma experiência imersiva e interativa aos participantes.

Além disso, no caso da versão eletrônica, as plataformas gamificadas oferecem relatórios detalhados do desempenho dos colaboradores nas tarefas, fornecendo dados confiáveis para a tomada de decisões do RH. Com essas informações é possível identificar os pontos que precisam ser aprimorados nos processos, quais estão funcionando corretamente e quais funcionários precisam de mais incentivos para melhorar seus resultados. 

Desta forma, a gamificação alia os elementos motivacionais e lúdicos dos jogos empresariais, mas usa-os mais amplamente e com recursos adicionais que podem fazer toda a diferença. Claro, adotar uma estratégia não significa excluir completamente a outra: é possível utilizar as duas — e outras tantas — na equipe, potencializando o desempenho da gestão de pessoas.

Quer saber mais como funciona a gamificação? Converse conosco e descubra mais benefícios desta estratégia!