Transformar uma ideia de negócio em realidade não é uma tarefa fácil. Mesmo que alguns passos pareçam naturais, é preciso seguir um planejamento para evitar problemas e aproveitar as oportunidades. E, de tantas operações nesse contexto, uma das mais importantes é o processo de desenvolvimento de produto.

Ofereça o melhor para seus clientes e aumente suas vendas ao investir no desenvolvimento dos produtos da sua empresa!

Planejamento é Sucesso (e Sobrevivência)

Abrir e administrar uma empresa não é nada fácil. São diversos desafios que um empreendedor tem que superar a cada dia: de cuidar do financeiro e contabilidade; fazer uma boa gestão de pessoas; treinar os colaboradores para atenderem o público até montar estratégias — tudo precisa funcionar da melhor forma para que o negócio não somente sobreviva, como também tenha sucesso.

E uma das partes mais importantes para isso ocorrer é oferecer produtos de qualidade e que resolvam as necessidades do público-alvo. Criar algo que não tem valor para as pessoas ou que não corresponda às suas expectativas pode ser fatal para a empresa: imagine as mercadorias encalhadas e os clientes falando mal de sua marca — um pesadelo para qualquer empreendedor. 

Desenvolver um produto de forma precipitada, e sem planejamento, pode gerar uma série de riscos, investindo-se muito em algo que poderá não ter o retorno desejado. Na pior das hipóteses, uma crise desta natureza irá colocar a sobrevivência do negócio em xeque-mate. 

Além disso, algo importante de se lembrar é que o processo de desenvolvimento de produto, de forma eficiente, envolve diversos profissionais e especialidades:

  • Quem vai adquirir a matéria-prima? 
  • Quem vai fabricar a mercadoria?
  • Quais equipamentos e ferramentas deverão ser usados?
  • Quem vai testar a aceitação do produto com o público-alvo?
  • Quem vai organizar o estoque e a logística? 
  • Quem vai divulgar a solução?
  • Quem vai atender os clientes?

Então, por mais simples que pareça ser, desenvolver um produto é um processo sério e complexo, e que precisa de um cuidado especial.

Por isso, é importante seguir alguns passos para evitar riscos desnecessários e que podem prejudicar a organização mais tarde, criando uma mercadoria que atenda às necessidades e vontades dos clientes e ajude a empresa a ter sucesso no mercado. 

O Processo de Desenvolvimento de Produto: como funciona?

Muitos acham que inventar um produto é algo mágico, um lampejo de inspiração, uma grande ideia, onde tudo se encaixa naturalmente e — voilá! — uma solução incrível vai surgir. Isso é um grande equívoco: desenvolver uma mercadoria é um desafio que envolve muito planejamento, suor, tentativas e erros. 

Essa situação é ainda mais presente quando é um novo produto, que pretende inovar no mercado e, por isso, corre mais riscos. Se feito de forma estratégica, uma inovação pode se transformar no carro-chefe da empresa e ajudá-la a ganhar mais espaço no mercado.  

Desta forma, é importante seguir algumas etapas para ter mais garantias de sucesso do produto, mesmo que essa ação esteja sempre ligada a arriscar-se nos negócios: afinal, um cliente mais exigente pode detestar sua mercadoria apenas por conta da cor, formato ou preço e não necessariamente por sua qualidade ou inovação.

Alguns passos podem contribuir para tornar o processo de desenvolvimento de produto mais eficiente e bem sucedido:

1- Descobrir a necessidade do cliente

Claro, tudo começa com uma boa ideia. Porém isso não basta: seu produto pode ser maravilhoso, mas, se ele não resolver alguma necessidade do cliente — ou de algum público em especial — ele não vai vender. 

Por isso, é importante estudar o perfil do consumidor que se deseja alcançar: quais são suas dores? O que facilitaria sua vida? Quais são seus hábitos, desejos e expectativas? Tudo isso ajudará a identificar brechas para o desenvolver seu próximo produto. 

Nesse ponto também é importante se atentar às tendências do mercado, não para replicar o que a concorrência faz, mas para descobrir oportunidades de negócio e movimentação do comportamento do público-alvo. 

2- Pesquisa e Avaliação

Após ter a ideia, segundo o estudo do público-alvo, é importante verificar se ela é compatível com o posicionamento da empresa e se há viabilidade econômica para ela se materializar. Não adianta ter uma solução incrível, mas que não vai se bancar ou que não está de acordo com a cultura e identidade da organização — é preciso ter coesão e firmeza à imagem da marca

Também é preciso saber quais são os profissionais que estarão envolvidos no projeto, o orçamento e os prazos para sua realização. Isso ajudará o processo a ser mais organizado e a reduzir desperdícios, seja de recursos ou de tempo.

3- Testes e Prototipação

Antes de investir na fabricação do produto, uma dica é tentar testar um protótipo com o público para saber se a ideia dá certo na prática. Ainda mais nas startups, usa-se o conceito do Produto Mínimo Viável (Minimum Viable Product, MVP, em inglês) — que é a realização do projeto, mas da maneira mais simples possível.

Em vez de montar a mercadoria como ela será vendida, faz-se um protótipo ou alguma solução que possa ser testada com o público-alvo. Assim, valida-se diversas características e ideias do projeto, reduzindo o risco de investir em algo que não terá retorno. 

4- Desenvolvimento

É o momento de botar a mão na massa e fazer a ideia se materializar. Essa etapa deve considerar os estudos e testes das anteriores, para desenvolver um produto que agrade o público e que não gere problemas, como estourar o orçamento, não dar o lucro desejado, ir de encontro à imagem da empresa, entre outros. 

5- Validação de mercado

Após desenvolver o produto, muitas empresas fazem um teste final antes de lançá-lo oficialmente. Quantas mercadorias são entregues a clientes especiais, pessoas que participam de programas específicos ou então são comercializados em cidades e localidades propícias antes de sua venda em larga escala? Algumas organizações usam estratégias como grupos focais para este passo, entre outras metodologias de pesquisa. 

Isso ajudará o negócio a ter mais segurança antes de lançar o produto, ou para identificar lacunas no projeto ou até novas oportunidades para ele. 

6- Lançamento e Marketing

Não adianta ter o melhor produto se ninguém o conhece. É preciso investir em estratégias de divulgação e marketing para atrair o olhar do público para a mercadoria e ter vendas. Uma das formas de fazer isso é por meio de ações estratégicas, voltadas para o perfil do cliente em potencial e destacando as necessidades que a solução irá sanar.

Faça um excelente lançamento ao investir em comunicação empresarial e aumente suas vendas!