Um líder dispõe de diversas responsabilidades, dentre elas dar feedback negativo e positivo a seus liderados está incluso em sua rotina como gestor. Acontece que o ser humano em si tem receio de feedback, principalmente quando ele destaca pontos de melhorias que precisam ser construídos. 

Apesar de o objetivo ser auxiliar o profissional a alcançar sua alta performance no contexto profissional, muitos encaram essa ação como ruim, e acabam se desmotivam ou até mesmo prejudicando seu desenvolvimento na empresa, sendo, portanto, a tarefa de dar um feedback um desafio tanto para quem o recebe como para quem precisa transmiti-lo.

Essa perspectiva negativa que o colaborador dispõe do feedback construtivo está muito relacionada a forma que ele é dado ao colaborador. Isso acontece porque os gestores desconhecem a fórmula para dar feedback para chamar a atenção, repreender ou criticar um profissional.

O que você vai ver neste artigo:

Sim, assim como há estratégia para diversas questões do âmbito profissional, é possível contar também com roteiros para dar um feedback negativo. Portanto, para te ajudar a dar conta dessa responsabilidade de entregar um feedback negativo de maneira mais construtiva, decidimos revelar algumas dicas que podem ser agregadoras nesse momento de tensão. Confira!

Dar feedback negativo é mesmo necessário?

Devido ao grande receio para a tarefa de dar feedback negativos, muitos gestores se questionam quanto a importância e efetividade dessa ação. Mas o feedback em geral é a maneira mais efetiva de dar retorno ao colaborador acerca do seu desempenho profissional e evidenciar o que a organização espera dela.

Dessa forma, o feedback tem como papel medir a evolução e entrega do funcionário e deixar em evidência o que a empresa visa como resultado de suas práticas e comportamentos, sendo ele essencial para a evolução corporativa.

O feedback, portanto, dispõe dos seguintes benefícios:

  • Encorajamento dos colaboradores;
  • Melhora no comportamento dos profissionais;
    Aprimoramento de habilidades e competências de funcionários;
  • Aumento de confiança;
  • Solução de problemas pontuais na equipe;
  • Progresso na performance dos colaboradores.

De que maneira dar feedback negativo

Há questões que você pode se atentar para quando for dar um feedback negativo não transpassar a ideia de que aquela prática é para o mau do profissional e nós vamos compartilhá-las agora!

  1. Não espere para dar o feedback

Ao estabelecer uma data para dar um feedback ao liderado, é possível que acontecimentos mais antigos fujam da memória dele e nem tenham mais significado, por isso, quando se tratar de uma circunstância específica, procure dar o feedback o mais rápido possível. 

Leve-o em um ambiente privado e comente a postura dele com relação ao ocorrido, nunca faça isso na frente de colegas ou na presença de outras pessoas, isso poderá o constrangê-lo causando o efeito contrário do que busca.

  1. Seja claro e direto!

Situe o profissional sobre a circunstância que levou você a tomar a decisão de realizar um feedback construtivo, ouça, aponte qual seria a expectativa da empresa e cheguem a uma conclusão de quais ações podem gerar melhorias.

  1. Utilize frases na primeira pessoa

No momento do feedback negativo, o colaborador precisa sentir que a empresa se importa com ele e na performance que apresenta dentro da organização e a linguagem verbal, até mesmo a não verbal dizem muito. 

Com relação à linguagem verbal, utilizar frases na primeira pessoa vai transmitir um ar de personalidade, que fará o profissional se sentir melhor acolhido e respeitado.

  1. Solicite a mudança de comportamento

Como já comentado por aqui, o roteiro de um feedback negativo não se resume apenas a descrever a situação que causou necessidade de chamar atenção do profissional, mas também expor qual era a expectativa da empresa para com o colaborador a respeito do momento e evidenciar a necessidade de mudança a partir daquela conversa.

Por exemplo: “Foi determinado que o prazo de entrega do relatório seria dia 15, mas hoje é dia 16 e até o momento você não o apresentou. Eu gostaria que respeitasse o prazo de entrega acordado porque isso influencia na cadeia da organização como um todo. Peço que a partir de agora, você me avise se acontecer um imprevisto. Caso tenha dificuldade com prazos, o que acha de estabelecer prazos menores. Se eu solicitar a entrega no dia 20, estabelece como prazo final dia 18, assim, os riscos de atrasar uma entrega novamente serão mínimos”.

  1. Ao invés de “mas” use “e”

Outra dica relacionada a comunicação verbal é substituir a palavra “mas” pelo “e” em suas falas. A palavra “mas” opõe, ou seja, anula, tudo o que você disse anteriormente. Então se você diz “Você sabe se comunicar com os clientes, conhece bem os produtos, mas não consegue vender”, todo ponto positivo que destacou é anulado, e o funcionário passa a considerar somente os pontos negativos.

  1. Troque o “tentar” pelo “fazer”

O verbo “tentar” traz ideia de não obrigação e, apesar de você desejar dar um feedback da maneira mais construtiva possível, o colaborador precisa levar a sério aquele momento e entender que a partir dali precisa mudar suas atitudes com relação aos pontos destacados e nesta situação, o verbo “fazer” te ajuda a demonstrar tal necessidade. 

Ao invés de falar “Tente ir à reunião amanhã”, busque dizer “vá para a reunião amanhã”.

  1. Substitua o “se” pelo “quando”

Assim como nos casos anteriores, utilizar a palavra “se” ao invés de “quando” dá abertura para o profissional não levar tão a sério o que está sendo dito, portanto procure sempre mudar o “se” para “quando”.

  1. Mude a palavra “espero” para “sei”

Tire do seu vocabulário a palavra “espero” quando precisar fazer um feedback negativo de forma construtiva, opte por usar “sei” ao invés disso. Por exemplo: “Eu espero que me entregue o relatório no prazo da próxima vez”, fale: “Eu sei que você irá me entregar o relatório no prazo da próxima vez”.

Mas todo bom feedback, seja ele negativo ou positivo, ele não deve ficar em uma conversa inicial, é preciso acompanhar o colaborador para que haja a mudança de fato. Nesse processo, pequenos reforços positivos são decisórios para que a mudança de conduta ocorra. 

Resumidamente, é preciso implementar uma cultura de feedback dentro da instituição para que ele seja visto como um ponto positivo e não negativo, começando por desmistificar a ideia de que não se deve dar feedback para o seu chefe, por ser uma figura de maior poder na instituição. Quer ler sobre o assunto, confira o artigo: “Aprenda como dar um feedback para o seu chefe”.

Teste-por-7-dias-gratis-1024x286