A gestão de talentos é uma estratégia usada para garantir que a empresa terá os melhores profissionais em seu quadro. Contar com colaboradores eficientes é um dos caminhos mais certeiros para aumentar o desempenho de um negócio. No entanto, fazer este trabalho não é tão fácil: o RH precisa montar as estratégias corretas para atrair, contratar e reter esses bons funcionários.

Confira neste artigo o que é e quais as vantagens de se adotar a gestão de talentos, além de saber porque esta estratégia demanda trabalho e atenção especial do RH. 

O que é a Gestão de Talentos?

O RH não é feito somente de processos burocráticos: sim também de estratégias para formar um ambiente de trabalho saudável e ajudar os colaboradores a terem um excelente desempenho — seja ao adotar estratégias para aumentar sua capacitação, fortalecer sua motivação e engajamento ou para atrair talentos para seu quadro de funcionários. 

Neste sentido, a gestão de talentos é uma estratégia completa para encontrar, selecionar e reter os melhores profissionais para a empresa. Sendo assim, ela compreende três eixos principais:

  • Atração dos candidatos: ações para trazer os profissionais certos para as vagas;
  • Seleção dos melhores: implementar processos de recrutamento eficientes;
  • Retenção dos talentos: estratégias para evitar que bons profissionais saiam da empresa.

Cada um deles traz uma série de estratégias para atingir seus objetivos. Nesta metodologia tira-se o foco dos processos burocráticos, como fazia-se antigamente no RH, e coloca-se nas pessoas: assim, a gestão de talentos busca tornar a empresa mais eficiente ao cuidar da qualidade de seu público interno. 

Mas, como este trabalho específico pode trazer vantagens para as empresas?

Benefícios de se adotar a Gestão de Talentos

Implementar esta estratégia ajuda a empresa a, primeiro, atrair os profissionais mais adequados para as vagas oferecidas. O recrutamento é um processo importante para montar uma equipe que seja não só tecnicamente eficiente, como também saiba trabalhar em harmonia — caso contrário, o clima interno será prejudicado, o que consequentemente impacta negativamente o desempenho dos colaboradores. 

Se o processo de seleção não é eficiente, gasta-se tempo, recursos e esforços com um profissional que não ficará por muito tempo. Isso também aumenta os índices de rotatividade na empresa: um número que não é bom quando está alto. 

E este é apenas um dos motivos para reter os bons profissionais na empresa. Quando um talento saí, ele leva consigo toda expertise, treinamento e qualificação que foi construída em seu tempo na organização. É impossível substituir totalmente um colaborador de destaque: quem assumir a posição dificilmente desempenhará a função com a mesma qualidade, ainda mais em pouco tempo. 

Todo este cuidado com os colaboradores irá ajudar a melhorar os resultados da empresa. São os funcionários os responsáveis por produzir o produto ou prestar o serviço, acompanhar os processos, tomar decisões, atrair o público-alvo e atender o cliente. Se eles fazem essas tarefas com qualidade e produtividade, consequentemente aumentarão o desempenho da organização.

Porém, montar a gestão de talentos não é uma tarefa tão fácil assim — se não todas as empresas jamais deixariam profissionais excelentes irem embora e os índices de rotatividade em alguns setores não seriam tão altos.

Por que é desafiador implementar a Gestão de Talentos?

Existem algumas barreiras que podem prejudicar a adoção da gestão de talentos. Primeiro: a empresa deve ter uma boa compreensão do papel do RH e de se apostar na qualidade da equipe. Isso significa investir em uma série de estratégias — que demandam constante avaliação de resultados e aprimoramento — e nem todas as organizações estão dispostas a priorizar estes processos. 

Segundo, um dos problemas recorrentes nos processos seletivos é encontrar profissionais que sejam realmente qualificados para as vagas. Esta é uma situação que ocorre em todo país: muitas empresas têm dificuldade de achar mão de obra para determinadas funções. 

Outro desafio da gestão de talentos é integrar os novos colaboradores na cultura organizacional. Como cada pessoa tem suas características, e nem sempre elas se alinham aos valores da empresa, é preciso descobrir uma forma de fazer este serviço sem acabar podando o recém-contratado.  

Por último, podemos citar que um grande desafio das empresas, ainda mais na gestão de talentos, é reter os bons profissionais. Atualmente os colaboradores não se contentam mais com apenas incentivos financeiros: uma série de elementos influencia a permanência ou não de um funcionário. E é o papel do RH e dos líderes descobrir o que pode motivar sua equipe a ficar. 

Mesmo com todas estas questões, investir na gestão de talentos é uma excelente maneira de montar um time de sucesso na organização, justamente para superar estes obstáculos de uma vez. 

Como implementar a Gestão de Talentos

Existem três eixos principais na gestão de talentos, como dissemos antes. Cada um tem o seu escopo de atuação e as estratégias que melhor resolvem seus desafios. 

Atração dos candidatos

Sua empresa deve chegar até os melhores profissionais. Isso significa investir em diversos canais de comunicação para que os talentos saibam que sua organização os procura. Mas, além disso, é preciso construir uma imagem de credibilidade no mercado. 

Os profissionais devem enxergar a sua empresa como um lugar excelente para trabalhar, oferecendo oportunidades de crescimento, remuneração e benefícios adequados para os cargos e um ambiente saudável, que permita o equilíbrio entre vida profissional e pessoal.

Seleção dos melhores

Após trazer candidatos qualificados, é a hora de selecionar qual deles será o novo funcionário. Além de analisar o currículo e aspectos técnicos, é importante descobrir o perfil comportamental dos profissionais e saber se eles se adaptariam a cultura organizacional.  Todas estas questões, de uma forma ou outra, influenciam no desempenho dos colaboradores e na dinâmica interna da equipe, por isso não podem ser ignoradas no recrutamento.

Uma dica é investir em metodologias como a gamificação nos processos seletivos, que ajudarão a mapear corretamente o perfil dos candidatos e, desta forma, tornarão a escolha mais assertiva.

Retenção dos talentos

Não adianta contratar os melhores profissionais e depois deixá-los partir. É preciso investir em uma série de estratégias para motivar e engajar os colaboradores na empresa. Isso passa tanto por oferecer benefícios como plano de carreiras e bônus por resultados, promover treinamentos para qualificá-los constantemente e como realizar atividades para aumentar sua motivação.

Neste sentido, existem metodologias que podem resolver diversas questões de uma vez. Saiba mais no artigo Soluções de RH: como a gamificação pode solucionar os desafios do setor?