A educação na atualidade enfrenta diversos desafios: como motivar estudantes — das mais diversas idades e contextos — a se concentrar em um mundo cheio de distrações? Como aproveitar os recursos tecnológicos para engajar e enriquecer a experiência de aprendizagem? Essas e outras questões podem ser resolvidas ao criar um plano de aula com gamificação!

Confira neste artigo como adotar essa metodologia inovadora nas suas aulas e instituição de ensino e melhore os resultados dos processos de ensino-aprendizagem!

Desafios da Educação e as Oportunidades da Tecnologia

Tornar as aulas mais engajadoras e eficazes é um dos maiores desafios de qualquer educador. Seja trabalhando com crianças pequenas ou adultos, é difícil manter a atenção dos estudantes com tantos estímulos externos ao alcance de todos. 

Por isso instituições de ensino e profissionais da educação estão buscando formas alternativas para não só reter a atenção dos estudantes, mas tornar todo processo de aprendizagem mais eficiente e realmente educar cada aluno. 

Nesse sentido, a tecnologia vem sendo uma grande aliada, provendo soluções inovadoras para engajar os estudantes e oferecer recursos que não estão disponíveis nos métodos analógicos. Entre tantas ferramentas, a gamificação vem gerando resultados impressionantes em salas de aula no mundo todo. 

Gamificação: o que é e quais são suas vantagens para o ensino?

Já passou o tempo em que a tecnologia era vista como “vilã” da educação: atualmente escolas e instituições de ensino estão adotando em seu cotidiano ferramentas como aplicativos, EAD e até mesmo a realidade virtual. No entanto, de tantas inovações, uma que vem ganhando destaque nessa área é a gamificação.

Essa metodologia usa elementos, design e lógica comuns aos jogos em contextos que não tem como objetivo central o entretenimento. Diversas áreas sérias, como saúde, política, negócios e educação estão adotando a gamificação em suas atividades e processos para alcançar resultados que não ocorrem com meios tradicionais.

Essa ferramenta costuma ser aplicada para estimular as pessoas a realizarem determinadas ações ou a mudarem certos comportamentos, tudo para conseguirem benefícios concretos em diversos níveis de suas vidas.

Mais do que um jogo, a gamificação ajuda a despertar a motivação dos participantes em atividades que normalmente não tão engajadoras: como fazer um exercício físico; aprender sobre política; realizar as atividades de educação corporativa ou estudar assuntos em geral.

No ensino, a gamificação está sendo adotada com estudantes de diversas faixas etárias — do ensino básico ao universitário e em cursos livres —, e em variados contextos. É possível ensinar história e até mesmo matemática com elementos lúdicos, que quebrarão a monotonia das aulas expositivas tradicionais e tornarão o momento de aprendizagem mais imersivo e interativo.

Nesse sentido, existem várias vantagens em se adotar a gamificação na educação:

  • Aumento do engajamento

Quantas pessoas têm vontade de aprender coisas novas, mas, só de imaginar ficar sentado por horas escutando um professor explicando os conteúdos ou então ter que ler livros grossos, não dá um desânimo? Imagine quem já enfrenta essa rotina por meses, durante anos. 

Adotar a gamificação é uma forma de quebrar a monotonia do estilo expositivo tradicional e aumentar o engajamento dos estudantes nas atividades. Essa ferramenta oferece uma experiência imersiva e interativa de aprendizagem, melhorando assim a motivação dos alunos nas aulas e, consequentemente, o seu aprendizado.

  • Fortalecimento dos conhecimentos

Tudo que é aprendido com estímulos positivos é mais fácil de ser guardado na memória. Essa constatação torna a gamificação uma excelente metodologia para reforçar os conteúdos aprendidos em sala de aula, tornando o momento de estudo mais divertido.  

Além disso, o estilo de aprendizagem ativo e os recursos diferentes daqueles empregados na tradicional metodologia expositiva ajudam a instigar uma postura mais proativa dos estudantes, o que também contribui para a melhor assimilação dos conhecimentos adquiridos em sala de aula. 

  • Uso de dados

Em sua versão eletrônica, as plataformas gamificadas conseguem coletar informações do desempenho dos estudantes nas atividades e as organizam em relatórios detalhados. Isso possibilita com que professores e equipe pedagógica tenham dados estratégicos do aprendizado de cada aluno, das turmas e da instituição de ensino em geral.

Assim, além de saber qual estudante precisa de reforço e quais conteúdos estão sendo bem assimilados, é mais fácil e prático identificar falhas e oportunidades de melhoria nas aulas — ajudando a aprimorar cada vez mais todo o processo de ensino-aprendizagem. 

Mas, nesse assunto algo precisa ficar claro: usar jogos é diferente de adotar a gamificação na educação, pois as duas estratégias têm objetivos e metodologias distintas. Por isso, é importante conhecer cada ferramenta para saber como e quando usar a melhor solução em sala de aula. 

Plano de Aula com Gamificação

Com tantas vantagens, usar a gamificação em sala de aula se torna uma excelente ideia. Mas é preciso saber adotar essa metodologia — e com planejamento! — para conseguir colher esses benefícios mais tarde. 

Primeiramente é preciso definir qual será o objetivo da estratégia: quais lacunas de aprendizagem precisam ser resolvidas na turma? Quais temas não despertam o interesse dos alunos? Em quais o uso da gamificação seria possível? 

Uma dinâmica gamificada pode ser realizada de diversas formas. Um exemplo é montar missões que devem ser completadas pelos estudantes, desenvolvendo uma atividade em que exista um objetivo final, regras definidas e uma recompensa ao atingir as metas. 

Isso significa criar uma dinâmica que traga estímulos para despertar a ação dos estudantes e depois oferecer feedback de suas atitudes na atividade. Assim, forma-se um ciclo que incentiva o engajamento dos alunos nos desafios. E a cada missão resolvida, o estudante também progride em seu caminho de aprendizagem.

Usar a criatividade para aplicar a gamificação no plano de aula sempre é necessário: recursos como storytelling; medalhões; ranking; avatares; itens especiais; e tantos outros recorrentes em jogos tornam a experiência ainda mais engajadora e imersiva. 

Nesse sentido é fundamental conhecer o perfil dos estudantes, descobrindo quais são suas referências, preferências, expectativas e outras questões fundamentais para desenvolver uma dinâmica que verdadeiramente desperte seu interesse. 

Todo este trabalho pode se tornar mais eficiente e prático ao contar com uma empresa especializada neste tipo de estratégia. Essa parceira tem o domínio da tecnologia e da metodologia para aplicar os elementos de jogos e alcançar os objetivos desejados. 

Descubra o que a gamificação pode fazer por sua aula e instituição de ensino: converse conosco e aprimore o processo de aprendizagem de seus estudantes!