O Plano de Desenvolvimento Individual (PDI) é uma estratégia para alavancar a carreira dos colaboradores e torná-los mais valiosos a empresa. O RH pode auxiliar os profissionais a entenderem aonde querem chegar profissionalmente e ajudá-los a atingir essa meta, também contribuindo para o sucesso do negócio.

Confira neste artigo o que é e como elaborar um plano de desenvolvimento individual em seus colaboradores:

O que é o Plano de Desenvolvimento Individual (PDI)?

Uma boa parte dos profissionais tem ideia de onde querem chegar na carreira: conquistar um cargo de diretoria? Se tornar especialista em sua área de atuação? Mudar de setor? Conseguir uma sonhada promoção? 

Porém, nem sempre é fácil enxergar como alcançar esse objetivo. Muitos ficam em dúvida sobre quais ações tomar, quais conhecimentos precisam ser adquiridos ou habilidades que devem ser desenvolvidas. Isso pode desanimar os colaboradores, diminuindo sua motivação profissional e até mesmo desejo de continuar na empresa — o que pode aumentar a temida taxa de rotatividade. 

Uma forma de combater esse mal é implementando um plano de carreira. Mas, para trabalhar ainda melhor esta questão dentro dessa estratégia, é preciso também pensar esta situação de um ângulo mais pessoal.

O Plano de Desenvolvimento Individual (PDI) é uma ferramenta que ajuda o colaborador a compreender onde ele quer chegar dentro da empresa e descobrir as ações que serão necessárias para evoluir até lá. 

O PDI é uma estratégia que sistematiza o caminho que o funcionário deverá percorrer para crescer em sua carreira, trazendo metas e prazos para que isso aconteça. O planejamento considera quais competências pessoais e profissionais o colaborador terá que desenvolver para atingir a promoção que deseja, tudo pensado de forma individual. 

Este plano alinha as expectativas da empresa sobre este profissional com o seu desejo pessoal de carreira, para que ambos caminhem na mesma direção. Desta forma, tanto a organização quanto o seu colaborador saem ganhando com a adoção dessa estratégia. 

A implementação do PDI pode contribuir para despertar o melhor de cada profissional no quadro da empresa, além de motivá-los a se dedicar cada vez mais em suas funções. Isso ajuda na retenção dos talentos, evitando que tenham o desejo de sair ou então que sejam desligados. Assim, reduz-se o risco de aumentar a temida rotatividade, que traz prejuízos financeiros, produtivos e intelectuais.  

O Plano de Desenvolvimento Individual pode ser feito particularmente por cada profissional, no entanto o RH pode ajudá-los a planejar seu crescimento dentro da empresa, de forma a beneficiar todos os lados. 

Como elaborar o Plano de Desenvolvimento Individual (PDI)?

Usar essa ferramenta na organização não é um processo complicado. Porém é preciso trabalhar em conjunto com os profissionais da empresa e considerar os objetivos estratégicos da organização antes de iniciar esse processo.

Para te ajudar a elaborar o plano de desenvolvimento individual, trouxemos um pequeno passo a passo:

Contato com o Colaborador

A primeira ação para criar o planejamento é conversar com o colaborador. Deve-se usar esse contato para conhecer seus objetivos profissionais, anseios na carreira e expectativas na empresa. 

Essa conversa vai ajudar o RH a descobrir qual caminho o funcionário deseja para sua carreira, montando o começo de toda estratégia.

Mapeamento das Competências

Além de saber os desejos do funcionário, é preciso descobrir quais são seus pontos fortes e aquilo que ele precisa melhorar para alcançar seus objetivos. Existem conhecimentos técnicos que serão indispensáveis para o futuro cargo? Habilidades sociais que irão lhe ajudar nessa meta? 

O RH deve usar várias ferramentas para encontrar as respostas, desde analisar o currículo a entrevistar o líder e colegas deste colaborador, tentando montar o seu perfil técnico e comportamental. 

Definir o Objetivo

A partir desses passos, o RH deve definir o objetivo específico do PDI desse colaborador: é mudar de área? Conseguir determinada promoção? Nessa etapa também é necessário estabelecer as metas a curto, médio e longo prazo e indicadores para medir a evolução dos funcionários na estratégia. 

Assim, definindo o ponto que deverá ser alcançado, será mais fácil atingi-lo. Lembrando: este plano também deve levar em consideração os objetivos estratégicos da empresa. 

Acompanhamento do Colaborador

O trabalho do RH não acaba com a definição do planejamento, simplesmente entregando um relatório para o colaborador e pronto. Pelo contrário!

Os profissionais devem fazer um trabalho de acompanhamento do funcionário para saber se o PDI realmente está alinhado às suas vontades, e às estratégias da empresa, verificar se o colaborador está se desenvolvendo — por meio da análise da sua produtividade e qualidade do trabalho, usando os indicadores definidos anteriormente — e se o plano está trazendo os resultados desejados. 

Desenvolvimento de atividades

Além disso, o RH pode e deve implementar ações para capacitar tecnicamente e desenvolver as competências sociais dos colaboradores. Montar treinamentos, dinâmicas e usar outras estratégias é o caminho certo para atingir essa meta.

As ações devem ser planejadas seguindo algumas etapas para desenvolver treinamentos eficientes, criando estratégias que tragam os resultados esperados. Mas, além disso, é preciso considerar também as metodologias adotadas nas estratégias.

A escolha de um método pouco engajador pode acabar prejudicando todo processo. O colaborador provavelmente irá desanimar se souber que, para alcançar aquela sonhada promoção, terá que ficar horas sentado em uma cadeira escutando um instrutor. Por isso é importante investir em metodologias que estimulem o progresso dos funcionários, não o contrário.

Existem diversas estratégias que estão contribuindo para empresas melhorarem os resultados dos treinamentos, como o EAD e a gamificação. Essas soluções inovadoras ajudam a quebrar a monotonia das atividades e adicionam dinamismo aos processos de aprendizagem. 

A gamificação é uma metodologia que usa elementos comuns aos jogos em contextos que não são de entretenimento. Recursos como o storytelling, missões e recompensas ajudam a motivar os colaboradores a realizarem determinadas atividades e até mesmo a mudarem comportamentos. 

Assim, é possível trabalhar o treinamento corporativo e desenvolvimento de habilidades de forma inovadora, criando uma experiência imersiva e interativa de aprendizagem. Um exemplo é a utilização de elementos como níveis e pontuação para que os colaboradores enxerguem mais claramente a sua evolução no PDI — isso os estimulará a crescerem cada vez mais, atingindo os seus objetivos. 

Legal, não? A gamificação ainda pode ser adotada em outras estratégias da empresa.  Converse conosco e descubra o que mais essa estratégia pode fazer por sua organização!