Conhece o termo “Sala de Guerra”? No tempo em que vivemos, onde tudo parece incerto, essa é uma estratégia do âmbito empresarial que pode ser utilizada como recurso para definir as próximas ações de sua corporação e garantir resultados mesmo na dificuldade.

A Sala de Guerra saiu literalmente desse ambiente, mais precisamente na Segunda Guerra Mundial. O então primeiro ministro do Reino Unido, Winston Churchill, determinou o desenvolvimento de um bunker no subsolo de sua morada oficial. Esse ambiente era exclusivamente para criar e debater estratégias que pudessem deter o exército nazista.

Ali, apenas contribuintes, membros do governo e militares podiam estar. Todos eles passavam horas traçando rotas, unindo informações e coletando opiniões para chegar ao melhor resultado, o que pudesse combater o inimigo, Hitler. Foram mais de cinco anos nessa rotina.

Veja neste artigo o que é Sala de Guerra e como tal ambiente pode auxiliar sua impressa a traçar um objetivo e atingi-lo mesmo sob pressão do momento em que vivemos.

Sala de Guerra e sua contribuição para o ambiente corporativo

Sala de guerra é uma tradução literal do termo War Room. Como foi comentado aqui, quando surgiu, seu propósito era estabelecer um passo a passo que fosse efetivo na luta contra as tropas de Hitler na Segunda Guerra Mundial.

Mas esse termo se popularizou e chegou até os dias de hoje, sendo implementado em outros ambientes que se assimilam em partes com o ambiente da Segunda Guerra Mundial. A princípio, ele passou a ser utilizado na área de vendas, mas a crescente onda de resultados, tem tornado da Sala de Guerra um potencial para ser inserido em vários ambientes corporativos.

Isso porque, no ambiente corporativo, a sala de guerra cria um cenário mais lúdico que integra a equipe, bem como leva à discussão das alternativas e definição de ações estratégicas, com metas agressivas, por isso é ideal para o gerenciamento de projetos complexos.

Em síntese, a sala de guerra é, portanto:

  • Um ambiente onde são reunidas pessoas de diversas áreas (vendas, social mídia, designers e executivos de branding);
  • Um recurso com propósito de ajudar na definição de ações que tornem uma determinada meta alcançável ou na busca por soluções de problemas;
  • Uma sala composta com ferramentas e metodologias que estimulem a criatividade e propiciem uma tomada de decisão; e
  • Um local com suporte a toda tecnologia necessária para o recolhimento de informações.

No próximo tópico, nós vamos explicar como você pode introduzir a sala de guerra na gestão de equipes de vendas, para que possa alcançar de vez, seus objetivos mesmo sob pressão.

Criando uma sala de guerra

Escolha do ambiente

A escolha do ambiente é a primeira etapa na criação da sala de guerra porque ele não deve ser simplesmente uma sala comum. Primeiro, é aconselhável que seja um espaço que tenha uma certa liberdade de discussão que não atrapalhe os demais colaboradores da empresa. Afinal, provavelmente esses encontros não serão realizados de madrugada, por exemplo. Então precisa ser feito de modo a não atrapalhar o desempenho de ninguém.

Outro ponto é a preparação da sala. Nela é preciso que haja todas as ferramentas necessárias para a tarefa. Quais são elas, isso você irá determinar com sua equipe. Mas, a princípio, acesso a internet, notebooks, lousa, papel, canetas e canetão já são recursos suficientes.

Define um time estratégico

Quem está na sala de guerra faz toda a diferença para o resultado final, então essa segunda ação deve ser pensada estrategicamente. Quais pessoas e áreas fazem sentido estarem na sala? Profissionais de mídia, programadores, criativos, estrategistas de conteúdo, vendas, profissional de ti para dar assistência? O crucial aqui é ter todo capital humano fundamental para o objetivo que foi traçado.

Dispor de um representante de cada área, por exemplo, não faz sentido, pois pode dificultar o trabalho. A essência, aqui, é selecionar as pessoas certas. Mesmo que alguma equipe não componha o quadro da sala de guerra, ela pode estar a par do projeto, caso você precise.

Estabeleça papéis e responsabilidades a cada participante

Depois de escolhida o local que será implementado a sala de guerra e definido o time que irá trabalhar nela, é fundamental que cada participante tenha claramente definido a sua função na sala.

Se o objetivo que será discutido é relacionado ao time de vendas, então é interessante que o gerente do setor esteja ali para aprovar as decisões. Mas além do aprovador das ideias, também é necessário pensar nas funções dos outros colaboradores que farão parte da Sala de Guerra.

Digamos que o design que fará a campanha, o produtor de conteúdo para gerar um roteiro que envolva toda dramaturgia ali decidida, um representante de venda e mais. Como o propósito é sair com a solução pronta, é importante dispor de pessoas que auxiliem na rápida tomada de decisão e que saibam seu papel ali dentro.

Tenha diversos planos

O imprevisto é inevitável, mas se preparar para ele é fundamental. Mesmo que considere ter a melhor equipe do mundo, pode ser que na hora da execução, algum problema surja e ela não consiga resolver tão de imediato, então você precisa estar com outras alternativas em prontidão para executar.

Então não se limite em uma única alternativa, desenvolva o plano a, b e c, relacionando todos os cenários de erro possível.

Essas são as quatro características fundamentais para implementar a Sala de Guerra no seu contexto empresarial. Você viu, então, que o importante aqui é a organização. Deixar claro qual será o ambiente, as pessoas que farão parte, a finalidade de cada uma das pessoas que irão incorporar o ambiente, os recursos que serão usados e a importância de possuir vários planos. Portanto, não é necessário dispor de muitos recursos, sendo a Sala de Guerra interessante para qualquer instituição empresarial. Para potencializar os resultados que serão obtidos na Sala de Guerra, é importante que sua equipe tenha uma excelente comunicação, afinal, não basta apenas discutir, é preciso ter a mesma visão. Para isso, leia o artigo: A importância da comunicação empresarial e como melhorá-la.