Oferecer um treinamento 5s é uma forma de fortalecer o conceito dessa metodologia na empresa e ter melhores resultados. Desenvolvido no Japão, o esse método surgiu como uma estratégia para aumentar a eficiência operacional e vem sendo implementado por diversas organizações no mundo.

Conheça nesse artigo o que é a metodologia 5s, como funciona e como implementar esse conceito por meio dos treinamentos.

A Metodologia 5s: conceitos, benefícios e pilares 

O conceito do 5s foi criado no Japão pós-segunda guerra (1939-1945), em um cenário de luta para a reconstrução do país. Porém, a metodologia começou a ficar mais conhecida no ambiente empresarial por volta dos anos 90, momento em que as empresas passaram a focar na qualidade total.

O objetivo do 5s é melhorar a eficiência operacional, por meio da redução de desperdícios (assim como na filosofia Lean) e da otimização de recursos, como tempo e esforços. Às vezes são pequenas falhas que prejudicam as operações, acabam impactando negativamente na qualidade dos produtos e/ou serviços, na entrega para o cliente e, assim, influenciam o resultado da empresa: adotar essa metodologia é um maneira de corrigir as lacunas na gestão e fazer sua organização funcionar melhor. 

Algumas vantagens de se adotar a metodologia 5s são:

  • Facilitar a identificação de falhas e lacunas nos processos;
  • Otimizar recursos;
  • Aumentar a produtividade;
  • Aumentar a qualidade dos produtos/serviços/processos;
  • Melhorar o ambiente de trabalho.

Para a metodologia do 5s as pequenas melhorias, feitas continuamente e de forma honesta podem trazer resultados incríveis. Assim, o conceito é bem fácil de ser adotado por empresas de diferentes portes e segmentos de mercado.

São 5 pontos que formam os pilares dessa metodologia, vindos de palavras japonesas que começam com a letra S e indicam a ação ou meta que deve ser alcançada. Para o português, os conceitos foram traduzidos com o termo “senso de…” para melhor entendimento. Vamos explorar cada um deles?

1S- Senso de Utilização (Seiri)

Esse conceito busca identificar o que é útil ou não no ambiente de trabalho e melhorar a utilização daquilo que é aproveitado. Geralmente essa ideia está ligada aos objetos e materiais empregados no cotidiano: quais itens você não usa e que estão somente ocupando espaço na sua mesa? Quanto tempo leva para encontrar algum documento importante e que está perdido no meio da papelada ou no computador? Sua produtividade é prejudicada por conta da desorganização e pela ansiedade que ela gera?

Tornar o espaço de trabalho mais organizado e eficiente é o valor por trás deste conceito, reduzindo assim desperdício de tempo, esforço e de espaço.

2S- Senso de Organização (Seiton)

Aliado ao item anterior, esse conceito vem para otimizar ainda mais o espaço de trabalho. Quanto mais arrumado for o ambiente, mais fácil será encontrar os objetos e informações que você irá precisar. Assim, economiza-se tempo e esforços, elementos que ajudam especialmente em casos onde a agilidade é essencial.

Usar etiquetas, organizar os arquivos e pastas (tanto físicas quanto digitais), deixar os itens mais importantes por perto e os menos utilizados mais distante são algumas ideias para tornar o ambiente mais eficiente e organizado.

3S – Senso de Limpeza (Seiso)

Esse item parece bem básico, porém ele não é tão praticado no cotidiano das pessoas: evitar sujar algo e, quando isso acontecer, limpar. Fazer uma varredura do ambiente de trabalho em busca de situações que causem sujeira ou imperfeições – como falhas na iluminação, barulhos, falta de lixeiras, etc – e resolver esses problemas é o foco desse conceito. 

Isso significa tornam o local de trabalho mais confortável e satisfatório para os colaboradores, o que inclui verificar se os equipamentos estão funcionando adequadamente. Todos esses fatores impactam, de uma forma ou outra, na produtividade da empresa. O RH pode promover treinamentos específicos com boas práticas de limpeza e conservação para reforçar esse conceito na equipe.

4S – Senso de Padronização/Saúde (Seiketsu)

Não basta implementar algumas melhorias e depois não dar continuidade ao projeto: este conceito diz respeito a manutenção das ações benéficas descritas anteriormente, garantindo assim os efeitos duradouros da metodologia 5s. 

Definir regras, boas práticas e treinamentos para fixar essas condutas são formas de dar continuidade ao projeto de melhoria nas operações da empresa. Além disso, ter bons exemplos dos gestores e líderes também é um fator importante para disseminar essa mudança na cultura da organização, que não muda de uma hora para a outra. 

5S – Senso de Autodisciplina (Shitsuke)

Esse conceito significa assumir a responsabilidade por suas ações. É a etapa que mostra que a metodologia está sendo implementada com eficiência. Nesse patamar, cada colaborador tem a consciência de seu papel em todo processo, se esforçando para adotar as ideias dos itens anteriores.

Manter a disciplina dos funcionários em dar continuidade do projeto de melhoria pode ser uma tarefa desafiadora. Por isso é importante propor treinamentos frequentes para fixar essa noção nos colaboradores atuais e futuros, garantindo que a postura de redução de desperdícios e otimização dos processos não se perca na correria do dia a dia. 

O Treinamento 5s: como implementar e ter resultados

Nesse sentido montar uma estratégia de treinamento 5s, pensando em todos os conceitos que pautam essa metodologia, ajuda a empresa em capacitar seus colaboradores a identificar falhas nas operações e lacunas que podem prejudicar o seu resultado. Além disso, ter essa ação educativa deixa viva a postura de qualidade e aprimoramento na equipe, que sem incentivo pode acabar sendo deixada de lado por conta das obrigações cotidianas. 

Desta forma, seus funcionários irão saber otimizar seu trabalho, reduzindo desperdícios e gerando valor para a organização. Tudo isso, claro, sempre pensando nos 5 pilares:

1- Utilização

2- Organização

3- Limpeza

4- Padronização/Saúde

5 – Autodisciplina

Ao adotar essa mentalidade junto com o treinamento 5s para fixar cada conceito, sua empresa irá capacitar os colaboradores para identificarem falhas e lacunas nos processos, aumentar sua habilidade de organização, otimizar as operações, reduzir desperdícios de tempo, esforços e dinheiro e tornar a empresa mais eficiente. Consequentemente, ela irá se destacar no mercado, cada vez mais competitivo e dinâmico.

Para isso, é fundamental investir em treinamentos de qualidade. Fique por dentro de ações inovadoras com os artigos do nosso blog sobre educação corporativa!