Mesmo a ficção pode nos ensinar muita coisa. Ter contato com histórias nos ajuda a desenvolver novas perspectivas sobre nossos relacionamentos e amplia a nossa visão de mundo, impactando a forma com que lidamos com as situações do nosso dia a dia.

Vários filmes abordam questões ligadas à liderança: motivação; trabalho em equipe; clima organizacional; relacionamentos interpessoais – são muitos os assuntos que as histórias trazem à tona e que podemos analisar por este prisma, entendendo como os gestores influenciam os colaboradores.

O líder é uma peça importante em toda equipe. Se ele não cumpre seu papel, os funcionários podem perder a motivação e engajamento, não serem produtivos, incitar problemas de relacionamento interno e até mesmo saírem da empresa. Porém, um bom gestor sabe inspirar e extrair o melhor de seus liderados, trazendo mais resultados para a organização.

Por isso é importante que quem vai assumir ou já está em cargo de liderança passe por um treinamento específico, desenvolvendo não somente capacidades técnicas, mas principalmente habilidades pessoais.

E por que não se inspirar também na ficção e ampliar os seus horizontes? Confira nossa lista de filmes sobre liderança e prepare a pipoca!

4 Filmes sobre liderança que você precisa assistir

1- O Diabo Veste Prada (2006)

A competição é uma ótima motivação para sempre buscarmos o nosso melhor, inclusive no emprego. Porém, em excesso, ela pode envenenar o ambiente profissional e causar mais dano do que bem. Isso fica claro no clássico O Diabo Veste Prada, estrelado por Meryl Streep. A atriz interpreta a icônica Miranda Priestly, a principal executiva da badalada revista de moda Runway, que está em busca de uma nova assistente e encontra em Andrea Sachs (Anne Hathaway) essa profissional.

No entanto, Miranda não é o tipo de chefe que alguém gostaria de ter, deixando claro com o seu comportamento porque a palavra “diabo” está no nome do filme. Ela é admirada e temida por todos, por conta de sua extrema exigência e péssimo jeito de tratar os outros. O clima de rivalidade que é desenvolvido entre Andrea e a outra assistente, Emily (Emily Blunt) é outro fator que traz pioras ao clima organizacional.

Além de mostrar como a relação entre chefe e funcionária trouxe pontos positivos e negativos para ambas, existe outra questão que o filme levanta. É incontestável que Miranda é excelente em seu trabalho na chefia da revista, apesar de suas falhas de relacionamento com os outros. Porém, há um claro desequilíbrio entre sua vida profissional e pessoal que põem em risco o seu casamento.

É importante que o líder saiba ter esse equilíbrio entre o lado pessoal e profissional, para ter qualidade de vida e não ter prejuízos em ambos. Isso ajudará a ter um bom desempenho e a ser exemplo para seus colaboradores.

E não precisa lembrar que ninguém aguenta trabalhar para uma Miranda por muito tempo, certo?. Saiba sempre respeitar e tratar bem os seus funcionários, ao contrário do “diabo” do filme.

2- Coach Carter – Treino para a Vida (2005)

Baseada em fatos reais, esse filme conta a história de Ken Carter (Samuel L. Jackson), um ex-jogador de basquete que é convidado para ser treinador do time de sua antiga escola. Porém, seu estilo rígido encontra resistência ao exigir que os estudantes tenham bom desempenho escolar para jogar.

Coach Carter traz diversos exemplos para a vida: primeiro, a importância de se dedicar ao aprendizado. Mesmo no ambiente empresarial, a educação é fundamental! Investir nisso faz com que os colaboradores tenham desempenhos melhores, adotando boas práticas em suas funções e desenvolvendo habilidades pessoais que irão impactar seu trabalho.

Outro ponto é a importância da disciplina e respeito. Ambos são fundamentais em uma empresa – como cumprir suas funções e ter um bom relacionamento com os colegas sem essas duas características? Aos poucos Carter vai ensinando os jovens a valorizar essas qualidades, algo que o líder deverá também fazer com sua equipe.

Além disso, Carter sempre dava feedbacks para seus jogadores – uma ação simples, mas que traz bastante impacto. Dar retornos sobre o desempenho dos funcionários é uma ótima forma de ajudá-los a identificar seus pontos fortes e fraquezas, permitindo que trabalhem aquilo que precisa ser modificado e, desta forma, melhorem seu rendimento. Mas é importante cuidar com a maneira com que esse comentário é passado: a mensagem deve estimular o colaborador a crescer, e não ser um elemento desmotivador.

3- O Discurso do Rei (2010)

Após seu irmão abdicar do trono, o príncipe Albert (Colin Firth) se torna o próximo rei da Inglaterra. Porém, existe um problema: ele é gago – algo que pode prejudicar a sua imagem com o povo, ainda mais em um período conturbado que iria culminar na Segunda Guerra Mundial.

A esposa do agora Rei George V, Elizabeth (Helena Bonham Carter), resolve ajudá-lo ao contratar o nada convencional fonoaudiólogo Lionel Logue (Geoffrey Rush) para superar a gagueira e ter mais confiança ao liderar a nação.

Baseado em fatos reais, esse filme traz um ponto central bem importante: a humildade do líder – um rei, ainda por cima – de identificar pontos que poderiam prejudicar seu trabalho e se esforçar para melhorá-los. Todo líder tem questões que precisa melhorar e tudo bem pedir ajuda para superá-las

Outra lição é a importância do líder transmitir confiança em tempos de crise. Uma guerra estava a porta da nação, e o rei precisava assumir o poder e organizar todos para enfrentarem a situação. Não é tão dramático na empresa, mas, quando as coisas vão mal e sua equipe está com um péssimo desempenho, você consegue motivá-los a lutar? Ou deixa o caos e a insegurança tomarem conta do time?

4- A Rede Social (2010)

Outro filme mostrando que estar na liderança não é nada fácil. A história retrata a famosa ascensão do Facebook e seu criador Mark Zuckerberg (Jesse Eisenberg), que junto aos seus amigos cria um negócio bilionário.

Muitos podem ter a impressão que ser o chefe irá trazer uma vida mais sossegada, só de benefícios e riqueza. Pelo contrário, é um caminho de muito trabalho duro e superação de pressões para que sua equipe tenham um bom rendimento e seja valiosa para a empresa.

Além disso, podemos também analisar a importância de ter pessoas com habilidades que complementam as fraquezas do gestor em sua equipe. O tímido Zuckerberg precisava da parceria do amigo Eduardo Saverin (Andrew Garfield), que tinha melhores aptidões sociais, para tornar uma pequena ideia de universitários em um gigantesco negócio. E isso é fundamental em uma organização: contar com profissionais que irão agregar valores diferentes e, assim, tornar a empresa um sucesso.

E aí, gostou das nossas dicas de filmes? Comente qual líder da ficção é o seu preferido e compartilhe nosso artigo nas redes sociais!