Ludos Pro

Plataforma de aprendizagem corporativa

Português PT
jornada-da-gamificacao

O funil de recrutamento é uma técnica usada para atrair, avaliar e contratar talentos para a empresa. Essa estratégia pode ajudar na triagem de candidatos, selecionando de um grande número de profissionais aqueles que mais se alinham às necessidades e cultura da organização. 

O que você vai ver neste artigo:

Monte uma equipe de sucesso! Saiba como usar o funil de recrutamento nos processos seletivos e encontre talentos para sua empresa. 

Funil de Recrutamento: o que é e quais são suas vantagens? 

O processo de recrutamento e seleção é um dos mais importantes para o RH. Atrair os talentos certos para a empresa, tanto do ponto de vista técnico quanto comportamental, é fundamental para montar um time de sucesso e alavancar o desempenho do negócio. 

Esse assunto é tão importante que muitas organizações estão investindo em metodologias diferenciadas, como o recrutamento inteligente, para obter melhores resultados nesse processo. No entanto, é importante conhecer todas as estratégias que possam tornar essa operação mais eficiente para implementar aquela que for mais adequada para a realidade da empresa.

Entre tantas opções, há a técnica de funil de recrutamento — em que todo processo é dividido em etapas para atrair, avaliar e contratar os candidatos a fim de encontrar os melhores talentos para a equipe. 

A ideia de funil é bastante adotada em estratégias de marketing digital. Nela, desenha-se uma “jornada” que leve as pessoas do desconhecimento ou poucas interações com a marca à finalizar uma venda e se tornar um cliente fiel. 

Funil-de-Recrutamento-853x1024

Todo esse caminho passa por várias etapas e o uso da imagem do funil não é por acaso: muitos são impactados pelas mensagens iniciais, mas poucos chegam até o fim e efetivam a venda. No entanto, se numericamente são poucos, a qualidade da venda é maior, pois eles terão um senso maior do que a marca pode fazer por eles

Assim as estratégias de funil são elaboradas para atrair e reter clientes por meio de táticas de engajamento. Esse modelo é bastante usado no marketing e vendas, porém, seu sucesso fez com que outras áreas passassem a adotar a mesma lógica em seus processos: inclusive o recrutamento e seleção. 

Se o objetivo no marketing é fechar a venda e conquistar o cliente, nessa operação o fim é encontrar e contratar o profissional mais adequado às necessidades da vaga ofertada e que esteja alinhado à cultura organizacional e aos comportamentos desejados. 

O funil de recrutamento aplica a metodologia na seleção de colaboradores para a empresa, organizando melhor as etapas dessa operação para fazer uma triagem mais eficiente dos candidatos. 

Existem vários tipos de recrutamentos — e esse modelo em específico pode gerar alguns benefícios e facilidades para tornar esse processo mais eficiente. As principais vantagens de se usar o funil são: 

  • Otimização: permite a adoção de ferramentas para selecionar e avaliar os candidatos, agilizando o processo e melhorando a triagem;
  • Melhora da experiência dos candidatos: detalha as exigências, benefícios e expectativas do cargo ao longo do processo, evitando frustrações e equívocos; 
  • Maior assertividade: ao ter uma triagem eficiente e um processo estruturado, as chances de se contratar um profissional tecnicamente capacitado e alinhado às necessidades da empresa são maiores.

Dessa forma, é possível fortalecer o processo de recrutamento e seleção por meio de uma técnica estruturada e eficiente. 

Como Aplicar o Funil de Recrutamento

Basicamente, o processo do funil de recrutamento é dividido em 5 etapas, cada uma com sua abordagem:

1- Atração

É o momento de jogar as redes o mais longe possível para atrair os mais diversos profissionais e, assim, ter condições de encontrar os melhores. Nesse momento é importante usar ferramentas como redes sociais, plataformas e outros canais de divulgação para expandir o alcance da publicação.

Nessa etapa também é fundamental definir quais elementos e possibilidades podem ser usadas para atrair a atenção e interesse dos candidatos à vaga, como benefícios corporativos, flexibilidade no trabalho e salário emocional, por exemplo. Itens como estes são capazes de diferenciar a sua empresa de outras oportunidades, atraindo os melhores profissionais.

2- Conversão

Nem todos que veem a vaga de emprego vão realmente se interessar e se candidatar a ela — às vezes isso ocorre por não se enquadrarem no perfil buscado ou pela oportunidade em si não ter atraído sua atenção. 

Além das condições e diferenciais constarem no anúncio, é importante considerar quais palavras, descrições ou mecanismos podem tornar esse momento mais amigável aos candidatos e a operação mais eficiente. 

Formulários muito longos, que pedem a mesma informação repetidamente ou que demandam análises profundas logo no início do processo podem acabar afastando alguns candidatos. Assim como realizar essa operação em plataformas inadequadas e não oferecer uma versão em mobile, por exemplo. 

Muitas empresas aproveitam soluções como inteligência artificial e machine learning para otimizar esse processo e selecionar os currículos e descrições que mais se aproximam do perfil desejado. 

3- Convocação

É o momento de conhecer pessoalmente os candidatos e descobrir seu perfil comportamental. Nas outras etapas já foi possível reduzir o número de profissionais e deixar no processo apenas os mais próximos daquilo que a empresa deseja. 

Mas ainda é preciso ir além: aplicar métodos, questionários e testes que ajudem a compreender o verdadeiro perfil dos candidatos e verificar se estão de acordo com os interesses da vaga e organização. Essa etapa deve fazer parte inclusive do recrutamento misto e interno. 

Outras ferramentas tecnológicas podem ser adotadas nesse processo para a comodidade dos candidatos e entrevistadores, além de serem usadas para otimizar e agilizar essa operação. 

É importante que nessa etapa, e até nas anteriores, os candidatos sejam bem informados sobre o que lhe será esperado no caso de serem contratados pela empresa. Assim, expectativas e necessidades serão alinhadas para ambos os envolvidos, evitando equívocos e frustrações futuras.  

4- Oferta

Esse é o momento mais aguardado por todos os candidatos: quando a empresa entra em contato para dizer que a vaga é dele. Essa comunicação pode ser feita por meio de ligação, e-mail, SMS, entre outras ideias, que podem adotar uma abordagem mais personalizada e inovadora para encantar o novo colaborador antes mesmo dele começar a trabalhar. 

Caso todas as outras fases tenham sido feitas com eficiência, o profissional aceitará a proposta e será o mais alinhado às necessidades do cargo, equipe e empresa. 

5- Contratação

É a oficialização da relação: após aceitar a oferta, todos os processos burocráticos são realizados e o profissional assina o contrato. Mas essa etapa é só o começo — é preciso investir em estratégias como o onboarding de novos funcionários para fazer o processo de integração.

Essa ação ajuda o profissional a entender melhor suas responsabilidades e o funcionamento e cultura da empresa, adaptando-se mais facilmente a sua nova rotina. Quer saber mais sobre essa estratégia? Descubra tudo o que você precisa saber sobre o onboarding de novos funcionários e torne esse processo mais eficiente!

teste-gratis-por-7-dias

Fale com um consultor

Preencha os campos abaixo e receba o contato de um especialista.

X
Imagem semi-disco Imagem triângulo

Obrigado!

Entraremos em contato o mais breve possível