O onboarding, ou programa de integração, é um processo importante para ajudar os novos colaboradores a se adaptarem à empresa. Essa operação os prepara para assumir suas funções, entender melhor o funcionamento e cultura da organização e a estar pronto para realizar as atividades com eficiência e motivação.

Você ainda tem dúvidas sobre como funciona esse processo? Confira tudo que você precisa saber sobre onboarding e mais uma dica especial para tornar esse programa engajador e eficaz. 

O que é o Onboarding?

Essa ação é um programa especial para integrar os novos funcionários à empresa, educando-os a respeito de suas funções, rotina, expectativas e cultura interna, para que eles estejam mais preparados para assumir essa oportunidade. 

Todo recém-contratado deve ser visto como uma tela em branco, especialmente se este é o seu primeiro emprego: ele não conhece o ritmo, cultura e processos particulares da empresa e, direta ou indiretamente, essa falta de familiaridade irá impactar a sua produção nesse momento. 

Imagine um atendente que não conhece os protocolos, um profissional de marketing que não sabe as estratégias adotadas no setor e um vendedor que não está familiarizado com o produto/serviço: é fácil entender como essa lacuna de conhecimento vai impactar seu trabalho negativamente, mesmo que nos primeiros dias.  

Esse período de adaptação é importante para o colaborador se encaixar na dinâmica interna, conhecer melhor a empresa onde está e até descobrir se esta oportunidade de emprego é adequada às suas expectativas ou não. 

Mesmo os mais talentosos e sociáveis profissionais precisam de um tempo para se adaptar ao novo cargo, colegas, líderes e organização, se ajustando às exigências do cargo, pressões, dinâmica da equipe e rotina do dia a dia. 

Porém, o RH pode ajudar a tornar esse processo de adaptação mais amigável e preparar melhor esse novo funcionário às suas funções. Basta montar um programa de integração!

A Importância do Onboarding na Empresa

Fazer todo o processo de recrutamento e seleção até encontrar um bom funcionário é algo que demanda tempo, esforços e recursos. Não é interessantes desperdiçar tudo isso ao receber o novo colaborador sem qualquer planejamento e cuidado, não é mesmo?

Implementar um programa de integração para os novos funcionários é algo essencial a qualquer negócio, independentemente do seu tamanho ou segmento de mercado. Deixar o recém-contratado começar sua jornada sem alguma orientação é uma atitude prejudicial a todos: o profissional ficará perdido no meio de suas obrigações, levando mais tempo para realizar suas tarefas corretamente e, inevitavelmente, influenciando de forma negativa a produção.

Além disso, esse novo colaborador terá dificuldades de se relacionar com os colegas e até com a própria empresa, reduzindo as chances de logo criar um laço de confiança e engajamento com a organização. Isso significa que ele não será tão dedicado a sua função quanto poderia e, pior, pode decidir não continuar no emprego.

Investir no onboarding de novos funcionários é uma maneira de receber este recém-contratado de braços abertos, diminuindo sua insegurança e ansiedade ao não deixar nenhuma dúvida sobre as expectativas em relação ao seu trabalho e como a organização funciona, mostrar uma atenção especial ao seu bem-estar e prepará-lo para os desafios do cargo.

Desta forma, o novo colaborador poderá trabalhar com maior qualidade e produtividade, além de ter um relacionamento mais saudável com a empresa em que está, aumentando o seu engajamento e reduzindo o risco desse talento ir embora. 

Um onboarding bem feito ajuda o colaborador a começar com o pé direito, adaptando-se mais rápido a rotina e evitando que todos os esforços empregados na sua contratação sejam jogados pela janela ao não aproveitar seus talentos da melhor forma e acabar perdendo-os mais tarde.  

Como Fazer o Onboarding na Organização

Existem uma série de questões que devem fazer parte do programa de integração dos novos funcionários. A primeira delas é reforçar os aspectos técnicos do cargo, como alinhar os conhecimentos necessários para a execução das tarefas, os processos adotados na equipe, as expectativas para o cargo e, se preciso, até ensinar como usar os softwares e equipamentos da empresa.  

Porém, não só de aspectos técnicos vive o onboarding: também é preciso trabalhar com as questões mais subjetivas e institucionais nesse programa, pois elas são importantes no dia a dia da empresa e podem até afetar a produtividade e relacionamento com a organização. 

Uma delas é a cultura organizacional. O colaborador deverá entender os valores, visão, missão e outros ideais fundamentais para a identidade da empresa, assumindo essas qualidades para si e usando-as no dia a dia. 

Uma instituição que valoriza a inovação, por exemplo, precisa transmitir a importância dessa questão para os seus novos funcionários, deixando claro que eles terão liberdade e responsabilidade para criar. Além disso, outras habilidades sociais também podem ser trabalhadas nos novatos, lapidando seus talentos e comportamentos para se adequarem à dinâmica interna. 

No onboarding também é importante explicar as regras da empresa, seu funcionamento geral, histórico e o cotidiano, para que o recém-contratado se sinta parte do todo e não fique nenhuma dúvida ou mal entendido pairando no ar. 

Mas tudo isso não precisa ser feito de forma monótona, com o novo funcionário tendo que ficar sentado escutando um profissional do RH explicando cada detalhe em uma longa apresentação de slides. Isso não seria uma recepção muito animadora e acolhedora, certo?

Existem algumas formas mais engajadoras e dinâmicas de fazer o onboarding de novos funcionários na empresa, garantindo que o recém-contratado tenha uma experiência positiva e verdadeiramente eficiente para começar o seu trabalho com força total.

Uma das metodologias mais engajadoras é a gamificação, uma estratégia que usa elementos e lógica dos jogos para motivar as pessoas a realizarem determinadas atividades e até mudarem certos comportamentos. 

Esse método vem sendo adotado em áreas como saúde, segurança, educação e negócios, trazendo resultados impressionantes. Nas empresas a gamificação costuma ser implementada em processos como treinamento corporativo, comunicação interna, tarefas cotidianas, recrutamento e onboarding de novos funcionários. 

Essa estratégia pode criar uma experiência imersiva e interativa para integrar o recém-contratado a empresa, tornando esse momento mais amigável e efetivo. Saiba mais sobre as vantagens dessa metodologia com o nosso e-book gratuito Gamificação no Onboarding de Funcionários!