Existem algumas habilidades de liderança fundamentais para qualquer gestor. Sem elas, é mais difícil lidar com todas as responsabilidades e exigências que essa posição demanda, do cuidado com os colaboradores à tomada de decisões estratégicas.

O que você vai ver neste artigo:

Quer saber mais sobre quais são estas competências? Confira as 10 habilidades de liderança fundamentais para a gestão de sua empresa:

10 Habilidades de Liderança Fundamentais para um Gestor

Ser um gestor em uma empresa não é nada fácil: são tarefas burocráticas que se acumulam na mesa dia após dia; a cobrança por resultados a todo momento; a responsabilidade por decisões estratégicas; a necessidade de motivar, engajar e extrair o melhor dos colaboradores, organizando suas atividades e verificando seu desempenho… São tantas as obrigações que exigem as mais variadas competências para resolver e evitar problemas, além de aumentar a produtividade e qualidade do setor. 

Não é à toa que muitos buscam cursos, formações, mentorias e outras soluções para se tornarem gestores mais eficientes, cativando seus empregados, desenvolvendo estratégias e tomando decisões acertadas para obter mais resultados ao negócio. 

Alguns até buscam inspiração em filmes que abordam a liderança, aprendendo com exemplos positivos (e negativos) do que se fazer e quais comportamentos adotar em situações complexas, ainda mais no relacionamento interpessoal com funcionários, demais gestores, fornecedores e outros públicos. 

De tantas orientações, existem algumas competências que são essenciais para qualquer gestor, independentemente do porte e atividade da empresa em que atua. Saiba mais sobre as 10 habilidades de lideranças fundamentais: 

1- Planejamento

Todo gestor precisa saber planejar. Essa habilidade é necessária desde o momento de criar a empresa ao dia a dia. Não usar essa competência e ferramenta em seu favor é como guiar o negócio em um túnel sem o auxílio de qualquer iluminação: a probabilidade de tropeçar e, até mesmo cair em um burraco, é alta demais para se arriscar à toa. 

Um líder que tem essa característica sabe organizar as demandas, pesquisar a área e contextos em que o negócio e setor estão inseridos, traçar estratégias e consegue coletar dados importantes para guiar suas ações, tendo assim maiores chances de acertar em suas escolhas. 

2- Pensamento crítico

Um bom líder que sabe pensar por conta própria, sem se deixar levar por considerações equivocadas de terceiros, é de grande valor para uma empresa. Esse gestor é capaz de extrair ótimas ideias e oportunidades de opiniões e situações diversas, em vez de se deixar influenciar por algo que pode mais tarde prejudicar o negócio. 

Ter pensamento crítico é fundamental para qualquer funcionário — para o gestor, que conduz todos os trabalhos e estratégias, ele é indispensável. A habilidade pode inclusive ajudar a aumentar a inovação ao investir em soluções fora das tradicionais e adotadas largamente no mercado. 

3- Flexibilidade

Ao mesmo tempo em que é necessário ter planejamento, também é igualmente importante ter abertura para se adaptar às situações e pessoas ao redor. Afinal, gerir uma empresa não é algo estático: os desafios cotidianos exigem adaptabilidade e jogo de cintura, ainda mais quando algo completamente imprevisto ocorre. 

Essa flexibilidade também deve ser observada no relacionamento com os colaboradores. Cada pessoa é diferente: tem suas necessidades; desejos; motivações; vivências; dificuldades e expectativas — saber lidar com todas as contradições e individualidades dos funcionários é fundamental para cultivar um ambiente saudável e motivar cada profissional. 

4- Empatia

No sentido do relacionamento com os colaboradores há outra habilidade fundamental: a empatia. Como cada pessoa é diferente, é preciso saber se aproximar da equipe, um por um, sabendo escutar suas demandas e realidades para desenvolver uma relação saudável.

Agir com empatia ajuda a conquistar a confiança dos funcionários, aproximando o líder do empregado — tudo para motivá-lo no trabalho e engajá-lo na empresa.

5-  Inteligência emocional 

Uma das competências mais faladas, ainda mais quando o assunto é liderança, é a inteligência emocional: ao se relacionar com pessoas é fundamental saber profundamente como lidar com os seus próprios sentimentos e os dos outros, ajudando a desenvolver relacionamentos mais saudáveis. 

6- Motivação

Um elemento essencial para qualquer trabalhador é a motivação no trabalho. Sem os incentivos certos e ânimo para realizar as atividades, dificilmente o profissional será produtivo e cumprirá suas tarefas na mesma qualidade de antes. 

A liderança deve ser exemplo para os funcionários, inclusive na motivação, atuando na rotina com dedicação e se engajando com a empresa. 

7- Boa comunicação

Ter uma boa comunicação interpessoal parece ser algo banal, no entanto é uma habilidade fundamental para o funcionamento e relacionamento em uma equipe. Saber ser claro em suas orientações, avaliando o desempenho de cada colaborador sem pressionar demasiadamente, além de motivá-los com as palavras certas, faz a diferença na dinâmica interna. 

8- Saber delegar

Um líder, por melhor que seja, não é capaz de fazer tudo sozinho. Por isso, é fundamental saber distribuir as tarefas e confiar que os colaboradores serão competentes para resolvê-las. Nem sempre é fácil ter essa postura, porém é essencial para a saúde do próprio gestor, para fortalecer a segurança dos funcionários e ter mais (e melhores) resultados. 

9- Assumir responsabilidades (e riscos)

Mesmo em equipes mais autônomas, ainda sim existem atividades que somente o líder pode resolver, como bater o martelo nas decisões estratégicas do setor. Por isso, todo gestor deve ser capaz de assumir as responsabilidades e riscos inerentes a sua função, usando ferramentas como planejamento e testes para reduzir a margem de equívocos.

10- Atenção às inovações

Nenhum líder pode se acomodar em sua função, assim como nenhuma empresa pode se acomodar no mercado. Esse tipo de conduta faz com que alguns negócios fiquem para trás, deixando a concorrência ganhar espaço. Uma das formas de evitar isso é investindo em inovações, alcançando resultados como a otimização de processos e destacamento da organização em seu segmento.

O gestor tem um papel importante nessa dinâmica, tanto que surgiu o termo liderança 4.0 — aquela que está atenta aos avanços tecnológicos, mas sem deixar de lado o lado humano em sua atuação. 

A tecnologia tem muito a contribuir para os gestores e em diversos processos de uma empresa, inclusive na educação daqueles que já ocupam essa função ou que irão assumir a responsabilidade. Descubra como a gamificação ajuda na formação de liderança nas organizações e fortaleça os resultados do seu negócio! 

teste-gratis-por-7-dias