Todo líder tem um papel fundamental em uma empresa, motivando e extraindo o melhor de seus colaboradores. Mas até essa posição clássica passou por transformações por conta das inovações tecnológicas, surgindo o conceito de liderança 4.0.

Descubra neste artigo o que é e como funciona esse modelo voltado para uma relação inovadora e humanizada entre o líder e seus colaboradores!

A Força de uma Boa Liderança

Todos nós temos um exemplo positivo de liderança: seja de casos famosos, antigos ou recentes, como Jesus Cristo, Joana D’arc, Martin Luther King a Nelson Mandela, ou então de histórias pessoais, como um líder comunitário, um familiar, professor e até gestor.

Esse papel, tão antigo, é central em qualquer grupo. Não é à toa que existam diversos livros específicos discorrendo sobre o assunto, inspirando as pessoas a tornarem-se bons líderes — ainda mais dentro das empresas. 

Em uma organização o gestor tem o poder de motivar, inspirar e tirar o melhor de cada um dos seus funcionários. Ele ajuda a resolver conflitos, organizar os trabalhos, definir as estratégias do setor e engajar todos a atingirem os objetivos desejados. 

Mas, só porque esse papel é tão antigo quanto a humanidade, não significa que ele não passe por transformações à medida em que a sociedade também muda. Assim como os avanços tecnológicos impactaram diversas áreas, da forma com que nos relacionamentos a consumimos, eles influenciaram inclusive as relações de trabalho.    

Até mesmo uma posição tradicional também passa por transformações, como o de um líder, permitindo o surgimento de termos como liderança 4.0.  

O que é a Liderança 4.0 e qual o seu diferencial?

A tecnologia transformou a realidade das empresas: novos modelos de negócios foram criados; oportunidades de desenvolvimento de produtos e serviços surgiram; diversos processos foram otimizados; canais inovadores de comunicação passaram a ser adotados; dados se tornaram elementos fundamentais nas estratégias, entre tantas outras alterações na condução das atividades internas.  

Tudo isso exigiu que a mentalidade de empreendedores, colaboradores e gestores também se transformasse, aprendendo a identificar as novas possibilidades, entender as mudanças e adotar o que havia de melhor em seu cotidiano. Nesse sentido surgiu o termo liderança 4.0, que incorpora as mudanças proporcionadas pelos avanços tecnológicos e um estilo mais próximo e humanizado de gestão. 

Existem vários termos atuais que empregam o “4.0” — como empresas, RH, entre outras — , referindo-se a chamada Quarta Revolução Tecnológica: em resumo, a junção entre as inovações e o mundo da forma com que o conhecemos.

Uma liderança 4.0 entende que o mundo mudou, devido às tecnologias, mas que as relações humanas ainda são importantes. Sabe lidar com a agilidade de informações e alta competitividade do mercado, sem deixar de valorizar as pessoas que estão ao seu redor. 

Todo líder precisa desenvolver determinadas competências gerenciais para realizar sua função da melhor forma. No caso desse modelo 4.0, habilidades como empatia, flexibilidade, inteligência emocional e engajamento são fundamentais. 

Esse é um estilo de liderança mais próximo aos colaboradores, incentivando o compartilhamento e comunicação entre os envolvidos. Em vez do modelo vertical de gestão, neste os funcionários têm mais autonomia para resolver seus desafios e espaço para conversar com o gestor. 

Outra mudança desse conceito em relação a uma forma mais tradicional de liderança é a valorização da transparência: um líder que é aberto com seus colaboradores, não escondendo informações importantes. Isso ajuda a aumentar a confiança dos liderados em seu gestor, o que irá impactar positivamente na dinâmica interna. 

Nesse sentido, ter uma postura de feedbacks constantes também contribui para aproximar o líder de seus funcionários, em uma conversa honesta, mas motivadora, para que eles melhorem seu desempenho na empresa. 

Essa proximidade com a equipe exige com que o líder 4.0 saiba lidar com as diferenças entre cada colaborador e a resolver eventuais e naturais conflitos que irão surgir. Assim diversos problemas serão evitados e o clima organizacional será mais saudável para todos — o que também influencia na produtividade e qualidade do trabalho.

Claro, um líder 4.0 também deve estar atento às inovações tecnológicas e à mudanças no mercado, sabendo trazê-las para sua equipe, aproveitando assim o melhor das soluções em sua realidade, ao mesmo tempo em que se prepara os colaboradores para desfrutá-las.

Por isso é importante que este profissional tenha facilidade e agilidade em aprender novos assuntos, além de responder às mudanças que podem ocorrer de uma hora a outra em uma sociedade e mercado que exigem rapidez. 

Além disso, ele também deve se preocupar com os resultados e inovação em seu departamento, guiando os funcionários para atingir os objetivos e melhorar o desempenho do negócio.

Desta forma, uma liderança 4.0 alia o melhor das mudanças tecnológicas com a sensibilidade à natureza humana, motivando os colaboradores e mantendo seu setor e empresa altamente competitivos. 

Como Formar um Líder 4.0?

Contar com uma boa liderança tradicional não é algo tão fácil assim: imagine desenvolver esse estilo inovador! No entanto, é possível preparar as lideranças atuais ou aqueles que irão assumir as responsabilidades desta posição para esta realidade 4.0.

Existem várias formas de fazer esse trabalho:

  • Investir em atividades de autoconhecimento, para que o profissional descubra seus pontos fortes e aqueles que podem ser aprimorados. Isso ajuda os líderes a tornarem-se cada vez melhores em suas funções e no relacionamento com os colaboradores. Por mais que seja uma tarefa individual, o RH pode incentivar esse trabalho, até mesmo por meio de sessões de coaching. 
  • Realizar um treinamento técnico para que o líder se atualize nos últimos avanços tecnológicos e novidades do mercado e setor em que atua. Desta forma saberá quais soluções e ideias serão positivas para sua equipe, preparando seus colaboradores para adotá-las e modernizar o departamento;
  • Programa de treinamento, pois, além dos conhecimentos técnicos nas inovações, é importante que um líder 4.0 tenha competências sociais fundamentais, como uma boa comunicação, empatia e resiliência. Talvez a liderança não possua todas as habilidades necessárias, mas é possível despertá-las por meio de uma ação específica para esta posição e com o objetivo de trabalhar essas qualidades. 

Esse último item é fundamental para capacitar qualquer gestor a lidar com seus colaboradores e extrair o melhor de cada profissional. Quer saber como adotar essa estratégia? Conheça 6 dicas para desenvolver um programa de liderança eficiente!