Implementar e acompanhar indicadores de desempenho é uma necessidade para as empresas que querem se manter e ter sucesso no mercado. Não usar as métricas certas significa pilotar um avião à noite e sem radar: um grande risco que deve ser evitado.

O que você vai ver neste artigo:

Diversas áreas de uma empresa podem contar com indicadores de desempenho específicos, que irão ajudar a identificar lacunas, falhas e oportunidades. Confira neste artigo 10 métricas para adotar em seu negócio: 

O que são e para que servem os Indicadores de Desempenho?

Basicamente, os indicadores de desempenho são ferramentas que ajudam as empresas a avaliar seus processos, estratégias e atividades, descobrindo se elas estão gerando os resultados desejados ou se será preciso investir em mudanças para corrigir falhas ou aproveitar oportunidades. 

Essas métricas podem fornecer tanto resultados quantitativos quanto qualitativos — tudo depende do tipo de pesquisa, objetivo e metodologia adotadas. Assim, é possível acompanhar diversas questões relacionadas à empresa: dos processos internos à satisfação dos públicos interno e externo. 

Geralmente algum tipo de indicador e metas já são listados no planejamento estratégico de um negócio. No entanto, existem muitos outros que são indispensáveis, mas que acabam passando batido. Confira 10 métricas importantes para avaliar diversos setores da sua empresa: 

1- Lucratividade

Toda empresa precisa ter lucro para sobreviver. Por isso, acompanhar essa métrica de perto e constantemente é fundamental para a saúde e sucesso de qualquer negócio. Essa ferramenta calcula a relação entre as vendas totais e o lucro da organização, considerando o total em forma de porcentagem. 

Além de calcular a lucratividade em si, é importante definir vários outros indicadores financeiros para acompanhar de perto essa questão e evitar que a empresa fique no vermelho ou tenha grandes complicações nessa área.  

2- Rentabilidade

Não é só o lucro que importa na gestão financeira de um negócio: também é importante saber quanto custa deixar a empresa de pé e quanto dinheiro entra no caixa, descobrindo se é possível manter suas atividades no ritmo atual e se há sobras para investir na organização e recompensar as pessoas envolvidas. 


Essa diferença entre o valor investido e o lucro, medido em porcentagem, é o índice de rentabilidade de um negócio — que deve ser acompanhado constantemente pelos gestores. 

3- Produtividade

Uma das maiores preocupações de qualquer negócio é em relação a sua produtividade. Esse elemento depende tanto de questões físicas, como equipamentos e espaço de estoque, quanto da habilidade dos colaboradores. 

jornada-da-gamificacao

É possível calcular a quantidade de recursos ou tempo empregados e o resultado dos trabalhos para saber se o índice de produtividade está bom ou se precisa de melhorias. Um exemplo de métrica dessa situação é o FTE (Full Time Equivalent), que avalia o desempenho dos colaboradores nessa área. 

4- Qualidade

Esse tipo de indicador avalia se houve desvios ou falhas na produção das mercadorias ou execução dos serviços. Quando se há diferenças entre o prometido e o resultado final, pode-se haver problemas com a satisfação dos clientes. 

Por isso, deve-se aplicar métricas voltadas para analisar a qualidade dos produtos e serviços, além de outras áreas, para garantir uma ótima entrega ao público. 

5- Capacidade

Uma métrica que pode ajudar na produtividade da empresa é o indicador de capacidade. Essa ferramenta ajuda a medir o potencial de produção da organização, de suas equipes e colaboradores. 

Os indicadores de capacidade também auxiliam na avaliação do desempenho e da competitividade da empresa no mercado, oferecendo dados estratégicos para o sucesso do negócio. 

6- Desempenho dos colaboradores

Uma empresa não funciona sem seus funcionários: são eles os responsáveis por diversas etapas essenciais de um negócio, da produção e execução dos serviços ao atendimento ao cliente. Por isso, se eles têm uma boa performance, a organização tem uma boa performance. 

Um dos indicadores fundamentais para se acompanhar essa questão é a avaliação de desempenho, uma ferramenta que considera os aspectos técnicos e comportamentais dos colaboradores (que também influenciam na performance da equipe) para identificar pontos que precisam ser melhorados e o que está dando certo nas atividades do profissional e do grupo como um todo. 

7- Clima organizacional 

Mesmo questões subjetivas podem influenciar na dinâmica interna e afetar a produtividade e qualidade do serviço da equipe. Quem consegue manter altos resultados em um ambiente tóxico, conflituoso, estressante e desmotivador?

Para diagnosticar problemas e oportunidades de mudança nessa situação, é preciso avaliar o clima organizacional, realizando pesquisas com os colaboradores para descobrir a verdade sobre a dinâmica interna e até sobre a postura da liderança e o impacto dela no relacionamento da equipe.  

8- Turnover

Todas essas situações negativas podem ter uma consequência ainda pior: a saída dos talentos. Qualquer desligamento traz prejuízos financeiros, produtivos e intelectuais a empresa. Imagine quando isso ocorre com uma grande frequência — um sinal vermelho soa no RH. 

O indicador certo para avaliar essa questão é o cálculo do turnover. Essa ferramenta ajuda a calcular se a quantidade de desligamentos (que são naturais) está muito alta ou ainda está em níveis aceitáveis. Assim o RH sabe se a situação precisa de alguma intervenção ou não. 

9- Responsabilidade social

Algo que vem chamando a atenção no mundo corporativo é o fato de que as pessoas não estão comprando apenas devido a qualidade ou preço de um produto ou serviço: atualmente a reputação e os valores da empresa são bastante considerados na hora de efetuar a compra ou até mesmo boicotar a organização. 

Por isso, é cada vez mais fundamental que as marcas aprendam a se posicionar e a mostrar seu impacto positivo na sociedade. E é possível metrificar essa questão por meio dos indicadores de responsabilidade social, que avaliam diversas questões para dizer se uma empresa tem uma boa reputação ou não.  

10- Satisfação do cliente

Agradar o cliente é fundamental para qualquer tipo de empresa. Sem isso, não há vendas e, consequentemente, não há lucro. Investir na satisfação do público é a chave para ter sucesso nos negócios. 

Existem vários indicadores que podem ser adotados para avaliar a opinião do cliente a respeito de diversas áreas — da qualidade do produto ou serviço ao atendimento e pós-venda. Um deles é o Net Promoter Score (NPS): uma ferramenta simples para descobrir se o consumidor indicaria a marca a um amigo (com resultados quantitativos) e, se desejar, descrever algo negativo ou positivo sobre o negócio (resposta qualitativa). 

Satisfazer o público é essencial para vender e ter lucro com a empresa. Melhor ainda quando se é possível fidelizar esses compradores: descubra 7 Dicas para aplicar e melhorar a retenção de clientes!

teste-gratis-por-7-dias
O que são e para que servem os Indicadores de Desempenho?

Os indicadores de desempenho são ferramentas que ajudam as empresas a avaliar seus processos, estratégias e atividades, descobrindo se elas estão gerando os resultados desejados ou se será preciso investir em mudanças para corrigir falhas ou aproveitar oportunidades.