A alta rotatividade de pessoal é um grande problema que as empresas estão enfrentando atualmente. Uma constante troca de funcionários gera diversos prejuízos financeiros, produtivos e intelectuais, por isso o RH deve acompanhar de perto essa métrica, fazendo com certa frequência o cálculo de turnover.

Nesse artigo vamos explicar o que é e quais são os problemas acarretados pela alta rotatividade, te ensinando a fazer o cálculo do turnover e saber o que fazer para controlar essa situação.

blog-1024x360

O que é o Turnover e quais problemas ele pode gerar? 

A rotatividade de pessoal é, basicamente, o processo ocasionado pela saída de um profissional e contratação de outro em seu lugar. Essa dinâmica também é chamada em inglês por turnover. 

Enquanto essa situação é normal e ocorre em todo negócio — seja por que o colaborador está insatisfeito, recebeu uma oferta mais alinhada aos seus anseios, por aposentadoria ou outros motivos pessoais; ou então pois não correspondeu às expectativas da empresa. Porém, quando essa troca de pessoal acontece com frequência, um alerta vermelho deve soar no RH.

Uma alta rotatividade na empresa pode acarretar uma série de problemas: 

  • Despesas financeiras: com o acerto dos valores ao ex-colaborador e no processo de seleção, recrutamento e contratação de um novo funcionário para substituí-lo;
  • Perda de capital intelectual: toda expertise adquirida pelo antigo empregado acaba indo embora com ele, caso não exista uma boa gestão do conhecimento na organização;
  • Prejuízos produtivos: a redução da produtividade com a lacuna temporária na função que era desempenhada pelo ex-colaborador, ou então a sobrecarga de um dos seus colegas se dividindo entre seu cargo e as atividades do outro.
  • Piora no clima organizacional: a constante saída de colegas pode gerar insegurança nas equipes, impactando negativamente o seu trabalho e motivação — o que pode até influenciar na partida de mais colaboradores.

Tudo isso representa consequências negativas ao negócio, abalando a produtividade e qualidade do trabalho dos colaboradores e prejudicando o desempenho da empresa a curto, médio e longo prazo. 

Por isso é importante que o RH esteja atento ao aumento nas rescisões trabalhistas, acompanhando as taxas de rotatividade para evitar todos esses desgastes. Para fazer esse acompanhamento é simples: basta usar o cálculo de turnover!

Cálculo de Turnover: como fazer?

Descobrir se a taxa de rotatividade na empresa está alta não é uma tarefa que exige um grande estudo ou especialização em matemática. Na verdade, fazer o cálculo de turnover é prático e pode se resumir em fórmulas simples:

Vamos a um exemplo para entender melhor?

Em uma empresa, durante um mês, foram feitas 5 admissões e 3 desligamentos. 

Essa mesma organização possui 40 funcionários, ou seja:

4 / 40 = 0,1

Multiplicando o resultado por 100 — para encontrar a porcentagem — o índice de turnover dessa empresa ficaria em 10%.

Para se ter uma ideia, alguns autores acreditam que 10% deve ser o teto anual para as organizações. Ou seja, avaliando o mês estudado nesse exemplo, pode-se considerar que há uma alta rotatividade.

No entanto, é importante ressaltar: deve-se sempre levar em consideração o segmento de mercado e o tipo de empresa, pois alguns setores possuem uma rotatividade maior do que outros. Além disso, é preciso avaliar o contexto como todo, analisando o desempenho anual e de outros meses antes de decretar o alerta vermelho. 

Mesmo assim, quanto menor for o índice de rotatividade, melhor será para o seu negócio.

Outra possibilidade para fazer o controle do turnover é calcular o índice de acordo com cada departamento, avaliando se o problema é geral ou se é uma situação isolada em algum setor. 

Também é possível usar a seguinte fórmula para saber se a empresa está conseguindo reter os talentos ou se eles estão escapando:

Desligamentos dos Funcionários 

————————————————————- 

Número de Funcionários Ativos

Esse segundo modelo é ideal para as organizações que estão expandindo, pois não considera as admissões na fórmula — algo que poderia distorcer os resultados.

Após fazer o cálculo de turnover, você descobriu que a taxa está alta na sua empresa: o que fazer agora?

Como diminuir o índice de Turnover na empresa

Uma alta rotatividade de pessoal é um sintoma originado por diversas causas:

Esses e outros motivos podem contribuir para a saída — seja voluntária ou não — dos profissionais, elevando assim a taxa de rotatividade. 

Porém, antes de qualquer coisa é preciso fazer um diagnóstico: descobrir se o índice de turnover é alto na empresa como todo ou em departamento(s) específico(s), além de investigar quais seriam as causas desse sintoma. 

É preciso avaliar a percepção e satisfação dos colaboradores, seja com a organização, sua liderança direta ou com o serviço em si, verificando se há elementos que gerem uma desmotivação no trabalho. O líder, por exemplo, tem bastante influência na permanência ou não de um profissional em uma empresa — por isso o RH deve ter um cuidado especial no treinamento dos gestores. 

Além disso, é importante verificar se não há uma grande diferença nas competências exigidas para os cargos e os profissionais atuais que desempenham a função. Uma disparidade entre os dois pode indicar problemas no processo de recrutamento e na educação corporativa. 

O RH pode solucionar esses dois casos ao adotar metodologias eficientes, que ajudem a selecionar os melhores candidatos e a treiná-los para assumir sua função com todos os conhecimentos técnicos e habilidades subjetivas necessários para  desempenhá-la bem.

E existe uma ferramenta que pode ser usada nos dois processos: a gamificação. Essa estratégia alia elementos de jogos em contextos que não se resumem ao entretenimento, como treinamentos corporativos, recrutamento e aumento da motivação dos colaboradores, tornando esses processos mais eficientes e engajadores. 

Quer saber mais sobre essa metodologia? Descubra como utilizar a gamificação empresarial em diferentes processos e dê um UP na sua organização!