Cada geração tem o seu modo de enxergar o mundo e de se comportar diante dele. Esta realidade oferece um grande desafio às empresas, RH e gestores, que deverão conhecer um pouco das características comuns às faixas etárias para saber se comunicar com os colaboradores e extrair o melhor de cada um. No caso dos millennials, também chamados por geração Y, o estilo de líder democrático é o que mais combina com seu perfil.

Mas você sabe o que é o líder democrático? E por que esse tipo de liderança agrada tanto a geração Y? Descubra no artigo e saiba como atrair e reter os jovens talentos da sua empresa!

A Geração Y ou Millennials

Existem algumas variações entre a delimitação temporal que define a geração Y, porém, em geral, são considerados millennials as pessoas nascidas entre 1980 até o ano 2000. Ou seja, quem está entre seus 20 a 40 anos de idade, compreendendo assim tanto quem acabou de iniciar no mercado de trabalho como profissionais já estabelecidos.

Mas o que une esse público aparentemente tão diverso é a tecnologia. Essa geração teve a oportunidade de migrar de um mundo completamente analógico para um contexto digital: televisão a cabo; videogames; computadores; internet; smartphones; aplicativos; redes sociais – os millennials acompanharam o início da última revolução tecnológica, tendo acesso a uma enorme quantidade de informações e estímulos que seus pais e avós não tiveram com essa idade. E esse acontecimento histórico mudou completamente as expectativas, desejos, habilidades e desafios para essa galera.

Vamos conhecer algumas características dos millennials?

Multitarefas

Por crescerem em um mundo cheio de novas plataformas e dispositivos, essa geração se acostumou a realizar diversas atividades ao mesmo tempo. É fácil encontrar um millennial estudando ou trabalhando e escutando música ao mesmo tempo, por exemplo, ou mexendo nas redes sociais e conversando paralelamente com um conhecido.

Autenticidade

Os millennials não tem a mesma relação com marcas e empresas como as gerações passadas. Eles costumam buscar um relacionamento autêntico, sendo assim buscam criar uma conexão com a organização e ter a sensação que ela compartilha seus valores pessoais. A geração Y tem uma grande preocupação em realizar atividades que tenham sentido e desejam impactar positivamente o mundo.

Flexibilidade e autonomia

Uma das qualidades que os millennials costumam valorizar é o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional. Por isso a flexibilidade no trabalho é bastante apreciada por esse público, que não se sente muito confortável com regras rígidas e tanta seriedade.

A autonomia também é algo importante para os millennials. Eles gostam de se sentir desafiados e estimulados, e essa postura é necessária para manter sua motivação em diversas atividades, inclusive nos empregos.

Tecnologia

Os millennials estão completamente familiarizados com a tecnologia, sabendo dominar as ferramentas para alcançar resultados que as gerações anteriores têm maior dificuldade. Por isso valorizam o uso de recursos tecnológicos no dia a dia, que facilitam e agilizam seu trabalho. Uma empresa que não aposta nessa tendência possivelmente perde pontos com esse público.

Geração Y e empresas

Pensando nessas características e o impacto da tecnologia na vida dessa geração, já é possível imaginar o desafio de RHs, gestores e líderes ao lidar com esses profissionais. Os millennials precisam de autonomia e liberdade para crescerem e oferecerem o seu melhor, porém também prezam por feedbacks constantes para saberem se estão no caminho certo e para aprenderem ainda mais.

A valorização por autenticidade se reflete no relacionamento com a empresa e seus gestores. Eles precisam acreditar na transparência da organização e de seus líderes para se engajarem, caso contrário perdem a confiança e respeito e podem rapidamente deixar o cargo.

E essa é uma das questões que costumam assustar as gerações anteriores: os millennials não tem a mesma fidelidade à empresa como seus antecessores. Se eles não se sentem satisfeitos (pela falta de flexibilidade, sentido, desafio, transparência, etc) com seu trabalho, logo eles procuram outra oportunidade. Isso representa um risco a aumentar o turnover da organização, prejudicando-a financeira, intelectual e produtivamente.

Por isso é preciso entender o que a geração Y valoriza para saber como reter os talentos e não deixá-los irem parar na concorrência. E a liderança tem um papel estratégico nessa questão.

Líder democrático e Geração Y

O perfil da liderança é um dos fatores que influenciam a satisfação no emprego e isso serve para qualquer geração. Um bom gestor pode aumentar a motivação e engajamento dos colaboradores, enquanto um chefe problemático pode reduzir o ânimo da equipe, prejudicar seu desempenho e até causar a demissão de alguns funcionários.

No caso dos millennials, ter um gestor que respeite seus valores e saiba extrair seu melhor é fundamental para reter os profissionais na empresa. E o perfil do líder democrático é um dos que mais pode se aproximar aos anseios dessa geração.

O líder democrático é aquele que permite a participação ativa dos colaboradores na liderança, dando espaço a suas opiniões, feedbacks e contribuições para a soluções dos problemas. Ele age mais como um orientador, estimulando o trabalho em equipe, e dando maior liberdade aos seus funcionários. Essa gestão horizontal permite fortalecer os relacionamentos internos, aumentando o engajamento e o sentimento de dono nos colaboradores.

Agora, imagine essas características com colaboradores da geração Y? Um líder democrático estimula novos desafios, mantendo os millennials em constante aprendizado e alimentando sua motivação. A liberdade proporcionada nesse modelo – diferente do estilo mais rígido de liderança tradicional – agrada esse grupo, dando mais flexibilidade e protagonismo.

Um líder democrático sabe escutar, dar feedbacks e criar um relacionamento autêntico e respeitoso com seus liderados. Isso ajuda a desenvolver um clima agradável aos millennials, ajudando sua satisfação com o trabalho e, consequentemente, sua permanência na empresa.

Além do líder democrático, a empresa pode apostar em outras estratégias para atrair, treinar e reter os profissionais da geração Y em sua equipe. Uma dica é apostar em metodologias inovadoras como a gamificação para tornar a experiência desses colaboradores mais engajadora e produtiva.

A gamificação é uma estratégia que alia elementos de jogos com a realização de atividades com benefícios concretos. Esse método costuma ser aplicado em processos como recrutamento, treinamento corporativo, onboarding de novos funcionários, comunicação interna e até mesmo nas tarefas cotidianas.

Os millennials precisam de estímulo e motivação, além de serem altamente familiarizados com os recursos tecnológicos. Adotar a gamificação na empresa é uma forma de tornar atividades possivelmente maçantes em tarefas motivadoras, imersivas, interativas e, assim, mais eficientes com esse público.

Quer saber como essa estratégia pode fazer a diferença na sua empresa? Converse conosco e conheça mais benefícios da gamificação na gestão de pessoas!