People analytics: como a análise de dados pode mudar a gestão de RH
Educação

People analytics: como a análise de dados pode mudar a gestão de RH

Preencha seu email e receba conteúdos exclusivos
Obrigado pelo seu cadastro!
Oops! Something went wrong while submitting the form.

Apontado como um agente transformador de pessoas dentro de uma organização, o People Analytics é um procedimento que pode mudar a maneira como é feita a gestão de RH da sua empresa. O sistema recolhe, alinha e examina dados sobre a conduta e o crescimento interno dos funcionários, com o objetivo de contribuir para os processos de tomada de decisão dentro das empresas, otimizando o planejamento.

O recurso mais valioso de uma organização é o time de colaboradores. Eles necessitam e merecem um ambiente de trabalho que os motivem, tornando a equipe mais produtiva e engajada. O impacto não poderia ser outro: trabalhadores felizes, resultados satisfatórios para o empreendedor.

Hoje, você vai descobrir o que é esse sistema, como escolher o software mais adequado para essa finalidade e como implantá-lo no RH. Confira!

O que é o People Analytics e como ele funciona

O People Analytics faz uso de alguns elementos para entender a conduta de um colaborador dentro de uma organização. Veja quais bases podem ser usadas como fonte para essa coleta:

  • atividades internas como avaliações e processos de feedback com o funcionário;
  • relatórios de alcance de metas e desenvolvimento interno;
  • postura nos ambientes virtuais, como as redes sociais pessoais ou e-mail corporativo;
  • demais ações que meçam o desempenho do indivíduo e sua atitude perante a empresa.

As informações ajudam na construção de um banco de dados, que auxiliam no reconhecimento dos trabalhadores que são destaque em suas funções.

Esses elementos também atuam como facilitadores na resolução de problemas, como:

Isso acontece porque o People Analytics cria uma base confiável de referências por meio de 4 etapas: coleta de dados, análise da coleta, cruzamento dessas informações e averiguação da causa e efeito das variáveis.

Dessa forma, a empresa consegue melhorar o atendimento ao cliente, manter-se atualizada nas tendências do mercado, criar planos eficazes de desenvolvimento e de carreira e ainda tomar decisões de maneira mais ágil e efetiva.

Como incluir o processo no RH

A implementação do People Analytics no departamento de recursos humanos de uma organização, pode ser basicamente dividida em 3 etapas:

1. Identifique o maior problema do negócio

Qual o maior problema enfrentado pelo RH da empresa? Falta de engajamento, queda na produtividade, atendimento ao cliente, alto índice de turnover? A resposta para essa pergunta é crucial para saber por onde começar a aplicação da metodologia.

A execução pode ser iniciada apenas no setor mais crítico, contudo, é importante que o People Analytics seja aplicado em toda a corporação, uma vez que todos os departamentos estão interligados na busca pelo sucesso individual e da empresa como um todo.

Iniciar por um pequeno projeto também vai ajudar o RH a se habituar a essa nova técnica. Além disso, não é recomendado que as transformações nesse setor aconteçam de maneira radical.

Portanto, os resultados das questões pontuais servirão de exemplo, justificativa e estímulo para facilitar o envolvimento futuro de todas as repartições do empreendimento.

2. Escolha a fonte das informações

É importante que a empresa esteja ciente que o People Analytics não se trata de uma coleta de dados, mas da análise de cada um deles. Por isso, não deve ser resumida a uma simples visita às plataformas sociais online do funcionário, como o perfil no Facebook, Instagram ou LinkedIn.

Depois de estabelecer qual a maior dificuldade, como foi sugerido na primeira etapa, a fonte deve ser decidida de acordo com o modelo de negócio, o setor em que o projeto vai iniciar e quais dados farão diferença no andamento da empresa.

3. Comunique os colaboradores

A transparência é outro fator fundamental para o sucesso de uma organização. É imprescindível que a nova metodologia faça parte do plano de comunicação interna da empresa, esclarecendo para as equipes de todos os setores que as mudanças implementadas irão impactar positivamente no desenvolvimento de suas carreiras profissionais e na evolução do negócio.

Entretanto, essa ação exige cautela. Ninguém quer sentir que está sendo vigiado nas redes sociais, consideradas pela grande maioria dos usuários um ambiente virtual íntimo e pessoal.

Também é importante que os gestores sejam criativos na criação de atividades que forneçam informações, estimulando o interesse dos colaboradores em se destacar nesse novo modelo de gestão de pessoas.

A gamificação como fonte de informação

Uma maneira de coletar dados com eficácia, criatividade e despertando o interesse dos funcionários é fazer uso dos treinamentos gamificados.

A gamificação é uma estratégia que permite obter mais referências sobre os colaboradores, por meio de atividades que utilizam técnicas de jogos, estimulando os participantes a fornecer mais informações sobre eles.

Avaliar a performance individual e da equipe, permite que seja identificado quais os assuntos e processos em que se encontram as dificuldades e talentos de cada um. Paralelo a isso, os usuários absorvem as informações transmitidas com mais facilidade, devido às ferramentas interativas e divertidas de cada atividade.

Cria-se, portanto, um ciclo saudável, em que a empresa fornece conhecimento e desenvolvimento em troca de elementos fundamentais para a solução de problemas, o direcionamento dos seus investimentos e, consequentemente, obtém resultados satisfatórios.

Como escolher o software mais adequado

Para que seja finalmente implementado esse novo modelo de gestão no departamento de recursos humanos, é necessário utilizar um software adequado para cruzar todos os procedimentos apresentados ao longo do texto com inteligência.

O ideal é que a empresa busque por uma plataforma completa, que além de fazer o cruzamento dos dados, ofereça treinamentos e todo o suporte necessário para que a equipe consiga utilizar os resultados dessas análises de maneira eficaz.

É fundamental que o desenvolvedor ofereça um período de adaptação, para que os profissionais possam testar os serviços. Esse é um passo muito importante não só para se adequar ao novo processo, mas também para auxiliar no início do projeto.

Muitas organizações não possuem essa base de dados utilizada pelo People Analytics. Portanto, o estágio de teste vai servir como norte para essa primeira coleta.

Vale ressaltar que o People Analytics pode, ainda, mudar os rumos dos processos de recrutamento e seleção, desenvolvimento de líderes e melhorias de comunicação. Certamente, essa forma inovadora de conduzir o RH tem um grande potencial para revolucionar as atividades do setor.

Quer saber mais sobre as ferramentas revolucionárias para o RH? Então, dê uma olhada neste artigo: Soluções de RH: como a gamificação pode solucionar os desafios do setor? Até breve!

Veja outros conteúdos sobre assuntos relacionados:
O que você achou deste conteúdo?
Conte nos comentários.
Veja outros posts relacionados
icon localização
Av. Nova Independência, 87 - 9º andar - São Paulo/SP • CEP 04570-000
icon telefone
+55 11 5171-6940
logo sioux grouplogo siouxlogo ludos prologo pgblogo movieplaylogo go gamers
icon facebookicon instagramicon linkedin