Ludos Pro

Plataforma de aprendizagem corporativa

Português PT

Ter um processo de tomada de decisão é uma ótima estratégia para fazer escolhas mais assertivas, buscando melhorar os resultados para alcançar o sucesso com a empresa. Sem investir nesse método, ações equivocadas podem ser realizadas e gerar prejuízos ao negócio.

O que você vai ver neste artigo:

Descubra neste artigo como funcionam os processos de tomada de decisão, usando-os para melhorar as deliberações feitas na empresa e alavancar seus resultados!

A Importância do Processo de Tomada de Decisão

Em algumas organizações, tanto os processos quanto as tomadas de decisão são feitas de forma intuitiva: o empreendedor, lideranças e colaboradores fazem o que acham melhor, de acordo com suas percepções subjetivas. Nesse caso, não é possível fugir da conduta do “eu acho” ou “eu penso que”, com ações realizadas sem base em outras fontes.

Essa postura pode prejudicar um departamento e o negócio como todo, justamente por partir de uma visão subjetiva, ou então ocorrer de maneira desordenada, impactando negativamente as decisões que são fundamentais para o sucesso da empresa, seja em relação a suas estratégias, setores ou atividades.

Imagine que toda estratégia de marketing é desenvolvida para conquistar uma persona masculina, entre 30-50 anos, praticante de golfe, pois o líder acredita que esse é o público-alvo da organização. No entanto, sem fazer uma pesquisa detalhada, ele não percebe que o mesmo produto ou serviço tem um apelo ainda maior a um cliente de perfil feminino, entre 40-60, que faz yoga. 

Enquanto todo orçamento do setor é deslocado para um grupo apenas devido à opinião de uma pessoa, há uma grande oportunidade desperdiçada e que poderia ter sido encontrada ao se investir em outras fontes de informação. 

Outro exemplo para melhor compreensão: a empresa resolve otimizar alguns processos e investe em um software, que acreditaram ser moderno, sem fazer qualquer pesquisa ou conversa com os colaboradores. No entanto, os funcionários não conseguem se adaptar à ferramenta ou ela não resolve os verdadeiros problemas do setor. Nesse caso, o investimento acaba sendo jogado fora em uma ação ineficiente. 

Esses são apenas alguns exemplos do que uma decisão equivocada, feita somente de forma intuitiva e sem passar por um processo, pode fazer em uma organização: desperdiçar oportunidades; recursos; tempo e esforços em algo que não irá gerar os resultados desejados. 

Por isso é fundamental elaborar um processo de tomada de decisão para a empresa em geral, departamentos e colaboradores, evitando fazer escolhas com base em informações e percepções equivocadas.

Como Funcionam os Processos de Tomada de Decisão

Existem algumas etapas importantes para montar um processo de tomada de decisão. Esse caminho ajudará a fazer escolhas mais assertivas e não as equivocadas, que gerem problemas como desperdícios, retrabalho ou crises em geral, seja na empresa ou em um determinado setor. 

Alguns passos podem parecer óbvios, no entanto, na correria do dia a dia e no momento de intuição, acabam passando batidos ou não tão valorizados quanto deveriam.

1- Definir o problema

Toda tomada de decisão tenta resolver um problema. Quando não se há clareza sobre o que é este problema, suas causas e consequências, é mais fácil acabar escolhendo e investindo em soluções equivocadas, que não irão solucioná-lo da melhor forma. 

Por isso, o primeiro passo antes de mais nada é identificar, avaliar e entender a situação que precisa ser resolvida: é vender um produto que encalhou? Fazer um lançamento de um novo serviço? Melhorar os resultados do treinamento comercial? Essa análise é fundamental para ter decisões acertadas. 

2- Pesquisar dados e informações

O segundo passo é aprofundar os conhecimentos sobre o problema. Sempre há ideias pré-concebidas que temos sobre os temas, mas que caem por terra após uma pesquisa de 5 minutos. Em vez de se ater às opiniões equivocadas, que não refletem a realidade da situação, deve-se investigar todo contexto relacionado à decisão a ser tomada. 

Usar dados, como na estratégia de big data analytics, e outras fontes confiáveis de informação é uma excelente forma de se basear as escolhas feitas na empresa e departamentos. Imagine encontrar uma pesquisa que relata o crescimento do interesse de um determinado público-alvo em uma das áreas de atuação do negócio: não seria essa uma oportunidade a ser, ao menos, considerada?

3- Incentivar a participação dos funcionários no processo

Outra ótima fonte de informações são os colaboradores. Como eles participam de atividades estratégicas na organização — conversando diretamente com o cliente, fabricando o produto, executando o serviço —, eles podem ter conhecimento de questões importantes para o seu setor e para a empresa como um todo, e que poderiam passar despercebidas pelos gestores. 

Existe até mesmo uma estratégia voltada para melhorar a participação dos funcionários nas tomadas de decisão: o Employee Voice. Ações como essa podem ajudar a melhorar questões como inovação, motivação e desempenho na empresa, aproveitando os talentos internos para aumentar os resultados. 

4- Avaliar as alternativas

Com todas as informações confiáveis à mão, é a hora de analisar todas as opções envolvendo determinado problema. Considerar os pontos positivos e negativos de cada proposta é importante para descobrir qual delas seria mais adequada para a realidade da empresa ou departamento. 

Essa etapa inclui avaliar o orçamento das ações, ferramentas, expertises e dados (ou a falta deles) relacionados à situação, além de outras questões pertinentes.  

5- Implementar e monitorar

Tomar a decisão não é o fim do processo: é fundamental acompanhar toda operação de implementação e os impactos que a escolha terá na empresa e nos departamentos. Esse cuidado contribui para descobrir se, na dura realidade, o problema está sendo resolvido ou se algo importante na dinâmica foi esquecido. 

O ideal é estabelecer objetivos e prazos para focar os trabalho e evitar procrastinação ou atropelos nas ações. O uso de ferramentas como as metas SMART pode ajudar nessa parte, fortalecendo as medidas de monitoramento para montar estratégias de melhoria em todo processo. 

Assim, mais do que um tiro no escuro, a organização irá tomar decisões acertadas, impulsionando suas atividades para alcançar o sucesso. 

A Importância do Coletivo nas Decisões

Algumas empresas têm problemas com as decisões ao ignorar a expertise dos colaboradores em determinados assuntos. Como dito antes, muitas vezes são eles que estão na linha de frente e, por isso, têm uma visão privilegiada sobre determinadas questões. 

Nesse sentido, valorizar a opinião e vivência dos funcionários é uma ótima ideia para tomar decisões e fortalecer alguns processos no negócio. E existe uma estratégia que pode ajudar nessa situação: descubra o que é organograma invertido e as vantagens de se usar essa representação!

Teste-por-7-dias-gratis-1024x286

Fale com um consultor

Preencha os campos abaixo e receba o contato de um especialista.

X
Imagem semi-disco Imagem triângulo

Obrigado!

Entraremos em contato o mais breve possível