Sabia que existem vários tipos de remuneração e não somente a tradicional, que se refere ao salário do colaborador? Pois é, elas podem ser de bens ou serviços e funcionam como parte da compensação do trabalho que o profissional oferece para a empresa.

Para o colaborador, outros tipos de remuneração são tão importantes quanto o salário de fato, sendo fundamental entender quais as variáveis disponíveis no mercado, o perfil de necessidade dos profissionais da sua empresa e o poder aquisitivo que sua organização tem destinado para esse propósito, para então definir as melhores estratégias de implementação desse recurso.

O que você vai ver neste artigo:

Quer entender melhor sobre isso? Então continue a leitura deste artigo e acesse todas as informações sobre os tipos de remuneração e a importância que cada um exerce no contexto empresarial.

Remuneração x salário

De modo geral, a remuneração é a somatória do salário e dos demais benefícios que o profissional dispõe na empresa. É comum pessoas erroneamente pensarem que a remuneração se limita ao salário que um colaborador recebe para cumprir uma atividade por determinado período de tempo, mas ela não se resume a isso.

Existem vários tipos de remunerações. As remunerações podem se dividir entre fixas e variáveis. As remunerações fixas são aquelas previstas na Consolidação das Leis do Trabalho: as gratificações legais (décimo terceiro salário, férias, vale-transporte e comissões) e o salário. Há também as remunerações variáveis, disponibilizadas pela empresa como forma de incentivo ao colaborador. 

Ambas remunerações estão previstas por lei, mais especificamente no artigo 457 da CLT:

§ 1º Integram o salário a importância fixa estipulada, as gratificações legais e as comissões pagas pelo empregador.

§ 2º As importâncias, ainda que habituais, pagas a título de ajuda de custo, auxílio-alimentação, vedado seu pagamento em dinheiro, diárias para viagem, prêmios e abonos não integram a remuneração do empregado, não se incorporam ao contrato de trabalho e não constituem base de incidência de qualquer encargo trabalhista e previdenciário.

§ 4º Consideram-se prêmios as liberalidades concedidas pelo empregador em forma de bens, serviços ou valor em dinheiro a empregado ou a grupo de empregados, em razão de desempenho superior ao ordinariamente esperado no exercício de suas atividades.

Apesar disso, pouco se sabe sobre as demais remunerações que não seja o salário. Por isso, veja, a seguir, outros tipos de remuneração, suas definições e tenha insights sobre como utilizá-las como diferencial competitivo, melhorar a produtividade e deixar os profissionais mais engajados.

Tipos de remuneração

Os benefícios possuem influência direta na retenção de talentos. Organizações que disponibilizam esses acréscimos ao salário dos colaboradores dispõem de mais chances de se tornarem competitivas no mercado, melhorarem a visão da sua marca frente aos stakeholders e atrair talentos.

Confira 6 tipos de remuneração.

  1. Salário indireto

O salário indireto contempla todos os benefícios que a empresa oferece a seus profissionais. Entre os mais recorrentes da lista, ou seja, os mais comuns, estão: vale-alimentação, plano de saúde, plano odontológico, vale-refeição, auxílio combustível e vale-academia.

  1. Remuneração funcional

Remuneração funcional é também conhecida como Plano de Cargos e Salários. Através desse tipo de remuneração, a empresa estabelece regras que definem a remuneração de acordo com o cargo do profissional – todo esse processo é feito a partir de pesquisas de mercado.

É uma maneira de implementar um plano de salário mais justo e de forma igualitária. Além disso, a empresa consegue ter uma maior visão sobre os cargos e os caminhos para crescer na carreira.

  1. Remuneração por habilidades

Na remuneração por habilidade, os colaboradores da empresa têm seu salário construído conforme suas habilidades, adquiridas através de estudos e treinamentos e que facilitam a executar suas atividades de forma eficiente. 

Por exemplo, um profissional fala inglês e tem habilidade de gestão, este vai ganhar mais do que outro colaborador que não dispõe dessas competências.

Essa prática estimula os colaboradores a buscarem aperfeiçoamento profissional continuamente.

  1. Comissões

Bastante conhecida pelas organizações, a comissão é outro tipo de remuneração que busca valorizar o trabalho do colaborador. Ela é paga quando um objetivo pré-estabelecido pela empresa é alcançado. 

Um vendedor que gera uma quantidade x de receita para a empresa recebe um acréscimo ao seu salário fixo, por exemplo.

  1. Participação nos lucros ou resultados

A Participação nos Lucros ou Resultados (PLR) é um tipo de remuneração que o colaborador sabe que ao gerar bons resultados para a empresa, ele se beneficiará disso. 

Isso porque a Participação nos Lucros ou Resultados tem como base conquistar metas e objetivos financeiros que, quando alcançados, são compartilhados com os colaboradores. Ou seja, a empresa determina diretrizes que precisam ser conquistadas e quando elas são, cada profissional recebe um percentual desses resultados.

A partir desse método de remuneração, os profissionais se sentem mais importantes nos processos e resultados da empresa e ainda são estimulados a serem mais produtivos.

  1. Participação Acionária

A participação acionária é um tipo de remuneração que possibilita que o colaborador se torne co-proprietário de uma parte da empresa. É considerado um dos mais complexos tipos de remuneração disponibilizados no mercado e visa desenvolver um senso de comprometimento e identificação do profissional com a organização.

Isso acontece porque o sentimento de dono se torna ainda mais real, mesmo que seja de uma parcela pequena das ações. Assim, o profissional se dedica mais para atingir bons resultados. Isso porque, o profissional entende que seu título irá se valorizar ainda mais se a empresa conquistar excelentes resultados.

Em resumo, apesar de haver diversos tipos de remunerações, todas elas foram desenvolvidas com um objetivo específico: motivar e engajar os colaboradores de uma corporação, visto que a partir desse sentimento eles desenvolvem suas atividades com mais interesse e se dedicam para que grandes resultados sejam conquistados, evidenciando ainda mais a importância da motivação dentro das organizações.

Quer entender melhor sobre a motivação? Temos um e-book que detalha sobre os 8 pilares da motivação que quando implementados na empresa, aumentam a produtividade do colaborador. Confira!

teste-gratis-por-7-dias