Os líderes têm um papel extremamente importante em uma empresa. Mas, cedo ou tarde, alguns gestores se aposentam ou saem em busca de novas oportunidades. Por isso, é fundamental investir em um programa de liderança eficiente para garantir que esse espaço será ocupado por um profissional que saiba guiar sua equipe para o sucesso.

Neste artigo vamos trazer dicas para que sua empresa desenvolva um programa de liderança realmente eficiente, transformando seus funcionários em excelentes líderes e aprimorando as habilidades dos que já ocupam essa posição.

O Papel do Líder

Existem vários equívocos em relação a liderança: ela não se resume a apenas ocupar uma função, muito menos a só ficar mandando nos outros, ganhando mais do que os colegas. Ser líder significa ter o compromisso de cuidar de uma equipe para melhorar o seu desempenho, respondendo por seus acertos e erros. Você nunca ouviu a frase: “com grandes poderes vem grandes responsabilidades?”. Pois bem, ela também é verdadeira no contexto empresarial.

O líder tem o papel especial de ajudar seus colaboradores a realizarem o melhor trabalho que puderem, tudo para alcançar mais resultados para a empresa. Isso engloba saber despertar a motivação e engajamento dos funcionários, fazendo-os se sentir parte da organização, além de se esforçar para aumentar a produtividade da equipe.

Um gestor mal treinado consegue prejudicar e desmotivar mesmo os melhores profissionais. Uma pesquisa da consultoria BambooHR, divulgada pelo site da revista Época Negócios, relata que 44% dos entrevistados atribuíram aos “chefes tóxicos” o motivo de seu pedido de demissão. Entre as reclamações estão: líder que não mostra confiança ou dá poder; ignora o excesso de trabalho do funcionário; não dá orientações claras ou autonomia a equipe e até mesmo se apropria do trabalho feito pelo seu liderado – essa última, surpreendentemente, é a questão mais respondida no estudo.

Isso só mostra como as dificuldades de relacionamento com os líderes são mais comuns – e mais problemáticas – do que deveriam ser. Imagine os impactos dessas situações no cotidiano das empresas: uma pessoa despreparada para a posição de liderança não só gera o risco de desmotivar a equipe, o que impacta na sua qualidade de trabalho e produtividade, como também pode acabar aumentando a rotatividade em seu departamento – gerando prejuízos financeiros, produtivos e intelectuais a empresa.

Por isso, antes de escolher alguém para ser o novo líder, é preciso preparar bem esse profissional para assumir o peso desta grande responsabilidade. Mesmo quem tem anos de experiência também pode aprimorar sua gestão por meio de um programa de treinamento e desenvolvimento de lideranças.

Como desenvolver um Programa de Liderança Eficiente?

Não é todo mundo que está preparado para assumir um papel de liderança. Saber lidar com pessoas de diferentes perfis, com a pressão das responsabilidades, ser exemplo, estar em constante aprendizado, vestir a camisa da empresa e da equipe… são várias as cobranças em cima desse profissional. Por isso, mais do que escolher alguém que se destaque na sua função, é preciso analisar o comportamento desse indivíduo sob diversos prismas, selecionando o melhor candidato para ser treinado a assumir essa missão. 

Muitos podem nascer com características associadas aos grandes líderes – como carisma, por exemplo -, mas isso não significa que serão os melhores a assumir esse papel. Todo mundo precisa passar por algum tipo de treinamento para se aperfeiçoar antes de começar uma nova função: e isso também é verdade para os novos líderes. 

Por isso é importante investir em um programa de treinamento de liderança, desenvolvendo um gestor que irá motivar e engajar seus colaboradores a terem um desempenho cada vez melhor. 

Para te ajudar a montar um programa de liderança eficiente, tanto para quem vai assumir a posição pela primeira vez ou para quem já está anos na gestão, separamos 6 dicas para aprimorar esse treinamento:

1- Defina as qualidades do líder da sua empresa

Faça um levantamento das características que seriam importantes para alguém assumir a liderança. Isso ajuda a busca pelo profissional mais indicado ao cargo ou no desenvolvimento de um treinamento mais assertivo. 

Leve em consideração fatores como a dinâmica das equipes, funções, departamentos e até mesmo nas lacunas das gestões atuais, definindo as habilidades ideais para o líder de cada setor. 

Além disso, busque alinhar essas qualidades com os objetivos estratégicos da empresa. A organização que quer assumir uma cultura de inovação deve treinar os líderes a despertar esse espírito em suas equipes, por exemplo.

2- Saiba identificar os profissionais mais aptos

Não adianta escolher o próximo líder apenas considerando quem se destaca em determinada função – o melhor vendedor, o atendente mais simpático, etc. Nem sempre um bom desempenho significa que este profissional será um bom gestor.

Amplie a busca pelos candidatos, sem se prender a parâmetros óbvios, e sempre considere o seu perfil comportamental e anseios dos profissionais. Quem nunca desejou ser um gestor possivelmente não será a pessoa mais indicada a esta posição. 

3- Desenvolva as soft skills dos líderes

Um bom líder não domina apenas as questões técnicas de seu setor, ele sabe lidar e inspirar as pessoas ao seu redor. Por isso é importante investir em treinamentos e desenvolvimento de habilidades sociais no programa de liderança, garantindo que o gestor esteja apto a extrair o melhor de seus colaboradores. Afinal: ele está lidando com seres humanos, que tem seus dias bons e ruins, seus pontos fortes e fracos, suas angústias, expectativas e forma própria de enxergar o mundo. 

4- Promova um treinamento contínuo

Não basta fazer uma ação isolada e espera ter resultados excelentes. É preciso promover um treinamento contínuo, e em constante aprimoramento, para colher os benefícios do programa de liderança. Caso contrário essa estratégia pode se tornar ineficiente ou demorada demais para trazer as vantagens desejadas. 

5- Engaje os líderes

Imagine investir durante um longo período em um profissional para que ele se torne um excelente líder… mas depois ele sai logo da empresa. Se a rotatividade de colaboradores já é um grande problema para as empresas, pior ainda quando acontece com os gestores. Por isso nesse caso é ainda mais fundamental saber engajar esse funcionário, não deixando os talentos escorrerem por suas mãos. 

6-  Use a tecnologia a seu favor

Assim como em outros processos, as inovações tecnológicas tem muito a oferecer ao programa de liderança. Algumas ferramentas podem ser usadas para ajudar a medir os resultados das ações, outras para motivar e engajar os líderes nos treinamentos, tornando-os mais interativos e imersivos e, consequentemente, mais eficientes.


É importante conhecer essas tecnologias para saber como extrair o melhor de cada uma. Descubra como a Gamificação ajuda na formação de lideranças nas organizações e use essa ferramenta para aprimorar o treinamento da sua empresa!