Fortalecer as competências técnicas dos colaboradores é fundamental para aumentar o desempenho da empresa e garantir o seu espaço no mercado. No entanto, nem sempre as organizações sabem como investir nessa questão ou qual é a melhor forma de fazer isso. 

Neste artigo vamos explicar como funcionam as competências técnicas e dar dicas para que sua empresa trabalhe efetivamente estas habilidades em seus colaboradores.

O que são as Competências Técnicas?

Todos conhecimentos e habilidades adquiridos — seja com educação formal ou não — que impactam o desempenho de suas funções profissionais são consideradas competências técnicas. Elas também são chamadas de hard skills e podem ser conquistadas por meio de ações como treinamentos corporativos, palestras, cursos e até mesmo de forma autodidata.

As competências técnicas são habilidades objetivas, comprovadas por certificados ou ações concretas dos colaboradores, como um curso de língua estrangeira, graduação e especialização ou o domínio de um determinado software ou ferramenta de trabalho. 

Desta forma, as competências técnicas influenciam diretamente a qualidade do serviço dos colaboradores, pois, sem ter os conhecimentos necessários a função, dificilmente os funcionários irão render como a empresa espera deles.

Alguns acabam confundindo as competências técnicas com as habilidades subjetivas — também chamadas de soft skills. Essas são comportamentos e posturas individuais que, de uma forma ou outra, influenciam a produção. Ter senso de organização ou saber trabalhar em equipe são alguns exemplos destas qualidades comportamentais, que também podem ser desenvolvidas assim como as hard skills. 

Apesar de precisar do empenho pessoal dos colaboradores para aumentar suas competências técnicas, as organizações podem e devem incentivar a busca por conhecimento e aprimoramento profissional para assim ter melhores resultados.

Os benefícios de se investir nas Competências Técnicas

Uma empresa que não investe na qualificação técnica dos seus colaboradores corre sérios riscos. Os funcionários podem acabar não rendendo tanto quanto poderiam caso tivessem os conhecimentos específicos exigidos para o cargo, ou então ficarem desatualizados nas melhores práticas da função — o que também prejudica a sua produtividade e qualidade do trabalho.

Não acompanhar as mudanças na área é um problema que fica mais agudo com a evolução da tecnologia. Um profissional de RH que não busca novidades em sua atuação pode deixar passar oportunidades de aprimorar a gestão de pessoas ao desconhecer ferramentas como o EAD, LMS ou Gamificação, por exemplo.

Vendo na prática, a necessidade de investimento nas competências técnicas é ainda mais clara. Imagine a diferença entre alguém que não tem experiência com administração e quem tem formação na área, ou então um indivíduo que nunca trabalhou com RH e outro especializado no assunto: fica fácil entender como as competências técnicas fazem a diferença nesse cenário.

Mas essa questão não é afetada apenas por diplomas. Dominar uma ferramenta ou software usado na empresa também afeta o desempenho do colaborador, reduzindo o tempo que se leva para completar uma tarefa ou então confundindo o profissional que não sabe usá-la, gerando desperdício de tempo e de esforços com o retrabalho.

Qualificar o colaborador também contribui para evitar uma grande rotatividade de pessoal, algo que prejudica a empresa tanto financeira, quanto produtiva e intelectualmente. Isso porque o profissional terá um bom desempenho e se sentirá valorizado pela organização, reduzindo assim o risco de demissão ou saída voluntária.  

Além disso, as competências técnicas ajudam o funcionário a trazer novas ideias e soluções à empresa por se manter atualizado às novidades do setor e função. Isso, com o aumento de sua produtividade e qualidade de trabalho, acabam gerando uma vantagem competitiva sob suas concorrentes.  

Porém, não adianta começar a investir em treinamentos aleatórios ou separar recursos para mandar os seus colaboradores irem estudar sem ter qualquer planejamento. Isso pode terminar em desperdício de dinheiro, tempo e esforços. É preciso montar uma estratégia bem definida para que as ações tragam os resultados desejados. 

Dicas para aprimorar as Competências Técnicas dos colaboradores

Assim como todos os outros processos de uma empresa, as estratégias de gestão de pessoas precisam ser bem planejadas para que tragam as vantagens desejadas. Existem algumas questões que devem ser levadas em consideração antes de investir nas competências técnicas dos seus colaboradores. 

Mapeie as competências

Antes de montar os treinamentos ou buscar cursos para os seus funcionários é preciso saber quais são os conhecimentos e habilidade necessários a sua equipe e empresa. Quais são as lacunas na educação dos seus funcionários? Quais são as áreas que podem ser aprimoradas?

Por isso é fundamental mapear quais são as competências técnicas exigidas pelos cargos e organização e compará-las às de seus atuais colaboradores. Pense:

  • Os seus funcionários realmente dominam as ferramentas/softwares usados na empresa?
  • Todos os colaboradores têm formação em suas respectivas áreas de atuação?
  • Essas áreas costumam sofrer mudanças constantes (como marketing digital, T.I, jurídico…)?
  • Quais são as competências essenciais para bem desempenhar as funções de cada cargo da sua empresa?
  • Sua organização trabalha com clientes internacionais, precisando assim de colaboradores que dominem outras línguas?

Essas e outras questões podem ajudar a fazer uma lista de competências que faltam a sua equipe atual e quais precisam ser trabalhadas para aumentar o desempenho dos colaboradores e, consequentemente, da empresa. 

Uma dica é usar ferramentas como o Levantamento das Necessidades de Treinamento (LNT) para descobrir essas respostas.  

Recrutamento por Competências

As organizações podem pensar nas competências técnicas desde o processo seletivo, priorizando os candidatos com conhecimentos específicos e domínio de ferramentas usadas no cotidiano. Assim, já se evita contratar colaboradores que não tenham os requerimentos mínimos para assumir o cargo e assim acabar perdendo tempo com a eventual saída do profissional.

Além de exigir os certificados e o currículo dos candidatos, o recrutador pode aplicar testes — até práticos — para medir o conhecimento dos profissionais em diversas questões relevantes à oportunidade.

Investir em Treinamentos

No caso dos colaboradores, a melhor maneira de aprimorar suas competências técnicas é investindo em treinamentos corporativos. Essa estratégia deve levar em conta os conhecimentos e habilidades mapeados na primeira dica, buscando capacitar os funcionários para resolver as lacunas educacionais.

O treinamento não pode ser uma ação isolada, caso o contrário só solucionará problemas pontuais. Investir em estratégias contínuas ajuda a atualizar os colaboradores nas melhores práticas e mudanças de sua área de atuação, além de contribuir para aumentar a sua produtividade e qualidade de trabalho.

Mas, também não adianta usar metodologias ultrapassadas e pouco engajadoras que não irão reter a atenção dos colaboradores. Para trazer os resultados desejados, fuja do comum e invista em treinamentos inovadores para a sua equipe!