Por que oferecer "salário emocional" para seus funcionários?
Comportamento

Por que oferecer "salário emocional" para seus funcionários?

Preencha seu email e receba conteúdos exclusivos
Obrigado pelo seu cadastro!
Oops! Something went wrong while submitting the form.

Recompensar seus colaboradores é uma ótima forma de fazê-los se sentirem apreciados e motivá-los a realizar um trabalho cada vez melhor. A remuneração tradicional e outros benefícios são básicos nas relações trabalhistas, porém existem outros meios para gratificar seus colaboradores. Você já ouviu falar de salário emocional?


Neste artigo, explicaremos o que é o salário emocional e como adotar essa estratégia pode trazer diversos benefícios para sua empresa. Vamos lá?


O que é o salário emocional?


Esse conceito nada mais é do que um conjunto de fatores emocionais e motivacionais que estimulam o colaborador a realizar um bom trabalho e se manter na empresa. Esses elementos costumam ser subjetivos, por isso seu significado varia entre os profissionais - algo que o RH deve estar bem atento.


Não ficou bem claro o que é o salário emocional? Vamos a alguns exemplos de fatores relacionados ao este conceito: perspectiva de crescimento dentro da instituição; reconhecimento e cultura organizacional - todos são elementos não monetários, mas que influenciam na motivação dos colaboradores e até mesmo na decisão de continuarem ou não na empresa.


Ou seja, o salário emocional não é algo descrito na carteira, nem é um incentivo financeiro. Porém, é extremamente necessário para fazer com que os talentos da sua empresa se mantenham e, assim, reduzir o temido turnover - que causa diversos prejuízos financeiros, intelectuais e produtivos.


A importância do salário emocional


Esses fatores subjetivos e emocionais tem mais importância na qualidade do trabalho dos colaboradores e até mesmo em sua permanência no emprego do que possa parecer.


Segundo a pesquisa do portal Love Mondays feita em Novembro de 2018, 70% dos profissionais brasileiros que usam a plataforma desejam sair de seus atuais empregos. Menos de ¼ deles relacionaram essa vontade ao fato de estarem insatisfeitos com o seu salário. O maior motivo relatado foi a busca por um trabalho mais alinhado ao seu propósito de vida (29,6%) e, em seguida, a sensação de ter poucas oportunidades de crescimento nas organizações (28,9%). Outras respostas foram: liderança insatisfatória; baixa qualidade de vida e ambiente ruim.


Entre os que responderam querer continuar no emprego atual, apenas 18,4% escolheram a boa remuneração e/ou benefícios oferecidos no trabalho como motivo principal.


Esses dados mostram que, apesar do lado financeiro pesar nas decisões, existem outros fatores - geralmente subjetivos - que influenciam na motivação e desejo dos colaboradores de continuarem em seus empregos. Nesse sentido, entender e aplicar o conceito de salário emocional é fundamental para segurar os bons profissionais na sua empresa, e não acabar perdendo-os para a concorrência.


Mas não é apenas por conta do turnover que sua empresa deve investir em estratégias de gestão de pessoas, como o salário emocional. Apostar na qualidade profissional e pessoal dos seus colaboradores é uma postura que traz benefícios para todos os lados.


Funcionários motivados não fazem seu trabalho apenas por obrigação, somente pensando na compensação financeira. Eles encontram significado em seus serviços, dão o melhor de si em cada tarefa, se engajam na organização - vestindo a camisa da marca -, sabem colaborar com a equipe para que todos saiam ganhando. Desta forma, são mais proativos, produtivos e seu trabalho é de melhor qualidade em comparação ao realizado pelos colaboradores desmotivados.


Assim, investir no salário emocional é uma forma de melhorar os resultados da sua empresa e torná-la mais competitiva no mercado. Quem não valoriza seus colaboradores só perde com isso - os talentos acabam deixando a organização, a produção não acompanha as expectativas dos clientes, as vendas diminuem e, assim, o lucro desaparece do caixa.


Por isso, é fundamental ter um RH estratégico que esteja atento à estas questões, além de investir em ações para motivar, treinar e engajar seu público interno.


Como oferecer salário emocional aos seus colaboradores


Apesar de serem fatores subjetivos, existem alguns pontos e qualidades que os profissionais costumam buscar nas empresas e que ajudam a reter os talentos. Alguns desses critérios são mais direcionados aos indivíduos, porém outros são consequência das relações coletivas. Em qualquer um dos casos, o RH pode e deve intervir na dinâmica interna para tornar o clima mais harmonioso e as pessoas mais felizes no trabalho.


Vamos conhecer alguns fatores relacionados ao salário emocional dos colaboradores?


  • Oportunidade de crescimento interno
  • Liderança inspiradora/eficiente
  • Clima organizacional saudável
  • Bons relacionamentos interpessoais
  • Reconhecimento pelo trabalho
  • Projetos desafiadores
  • Sentir-se parte da organização
  • Investimento em seu aprendizado profissional e pessoal
  • Atenção às necessidades do colaborador
  • Avaliações objetivas e diretas
  • Transparência nos processos da organização
  • Recompensas e outros benefícios


Outro fator que pode ser colocado na lista é a flexibilidade. Ainda mais no cenário atual, as pessoas estão procurando equilíbrio entre sua vida profissional e pessoal: ninguém quer passar o tempo todo trabalhando e perder momentos importantes na vida dos filhos; ter problemas de estresse ou adoecer por não ter um hobby ou atividade de lazer ou deixar os projetos particulares de lado.


Pelo contrário, uma dica para engajar ainda mais os colaboradores é a empresa adotar uma postura de atenção a esses assuntos: oferecer benefícios para as famílias, envolvendo-os também na vivência interna; propiciar momentos de saúde e descontração para o público interno e apoiar os projetos pessoais dos funcionários . Tudo isso manda uma mensagem clara de que os empregados são valiosos para a instituição - o que os motivará a devolver esse mesmo cuidado a ela.


Além dessas ideias, existem várias estratégias que podem contribuir com o salário emocional dos colaboradores, como apostar em metodologias como psicologia organizacional, pedagogia empresarial, programa de promoções, treinamento de lideranças, desenvolvimento de pessoas e várias outras.


Nesse sentido, a tecnologia pode ser uma grande aliada para motivar e engajar seus colaboradores. Estratégias como a gamificação - em sua versão eletrônica - tem como objetivo transformar atividades monótonas e pouco engajadoras em experiências imersivas e interativas.


Aplicada no contexto empresarial em ações como treinamento corporativo, recrutamento, onboarding de novos funcionários e até nas tarefas cotidianas, a gamificação torna essas atividades mais dinâmicas e motivadoras, aumentando assim a sua eficácia. Em vez de encarar esses processos como obrigação, os colaboradores irão se envolver com os elementos de jogos e, assim cumprir os objetivos propostos.


Quer saber mais sobre como a gamificação pode ajudar na gestão de pessoas da sua empresa? Venha bater um papo conosco e descubra mais benefícios dessa estratégia!


No items found.
Veja outros conteúdos sobre assuntos relacionados:
O que você achou deste conteúdo?
Conte nos comentários.
Veja outros posts relacionados
logo sioux grouplogo siouxlogo ludos prologo pgblogo movieplaylogo go gamers
icon linkedinicon instagramicon facebook