A tecnologia transformou diversas áreas da nossa sociedade, impactando também as empresas e seus processos. Os avanços abriram um mundo de possibilidades com as automações, dados e digitalizações, quebrando paradigmas e desenvolvendo novas formas de se relacionar — inclusive com os líderes, surgindo o conceito de liderança digital.  

Neste artigo vamos explicar o que são os líderes digitais, como eles se relacionam com os colaboradores e a sua importância nas empresas, especialmente na atualidade. 

Tecnologia e Empresas: uma relação transformadora

Os avanços tecnológicos nos propiciaram muitas coisas: meios de mobilidade mais baratos; centenas de programas de tv e filmes a cliques de distância; mapas do trânsito em tempo real ou até mesmo conversar com alguém do outro lado do mundo de forma instantânea. Além dos impactos na vida pessoal e social, essas inovações também mudaram o cotidiano das empresas.

Uma série de transformações podem ser vistas dentro das organizações: agora é possível automatizar diversos processos, aumentando a produção, otimizando os recursos e reduzindo o custo e os riscos de erros. Isso, por si só, está mudando o trabalho dos colaboradores, exigindo habilidades diferenciadas dos profissionais — competências que não podem ser replicadas pelas máquinas.

Neste cenário tecnológico, como que fica a liderança? Qual papel esses profissionais deverão desempenhar nessa história?

Liderança Digital: os líderes na era tecnológica

Os velhos conceitos de liderança não irão servir mais no futuro do trabalho: a figura do chefe que supervisiona os empregados, ordenando-lhes e sendo a cabeça da operação está com os dias contados. As gerações mais novas, algumas já nativas digitais, procuram por líderes mais democráticos, que sejam flexíveis em diversas questões — inclusive com o tempo e espaço de trabalho, afinal a tecnologia possibilitou o surgimento de modalidades como o home office.

Assim, os gestores precisarão se reinventar nesse novo cenário, se abrindo a novidades como a liderança digital. Esse conceito é um modelo mais horizontal de gestão, que busca dar maior autonomia aos colaboradores para que eles experimentem e inovem em suas atividades e até mesmo tragam soluções para a empresa como um todo. 

Assim, um líder digital não impõe regras rígidas a seus funcionários, e sim incentiva o progresso, inovação e independência deles, tornando-se um facilitador e orientador. De certa maneira, este modelo está ligado ao conceito de gestão humanizada, pois esse relacionamento mais próximo e individualizado será cada vez mais desejado pelos colaboradores.

Esse relacionamento humanizado, incentivo a autonomia e flexibilidade são as maiores características deste tipo de líder, permitindo com que os colaboradores tenham liberdade para se desenvolver e firmar seu espaço na empresa.

Além disso, a liderança digital deve abraçar as soluções tecnológicas em seu dia a dia, aproveitando as facilidades oferecidas por estas inovações. Ele também deve basear sua decisões em dados — oferecidos pelas ferramentas — e, ao mesmo tempo, estar pronto para agir rapidamente caso imprevistos e mudanças ocorram de uma hora para a outra. Afinal, no mundo hiperconectado, uma informação de última hora pode fazer a diferença para um negócio.

Encontrar esse equilíbrio pode ser difícil, por isso o profissional que assumir a liderança ou já estiver nessa posição precisa ser bem treinado — tanto tecnicamente quanto em suas habilidades sociais — para conseguir balancear todas essas situações, sendo verdadeiramente um líder digital. 

Mas, todo esse trabalho irá trazer diversas vantagens tanto para a empresa, como para colaboradores e gestores. 

Quais são os Benefícios gerados pelas Lideranças Digitais? 

Esse modelo inovador de liderança pode gerar uma série de impactos positivos na organização, inclusive no clima interno e no relacionamento com os colaboradores. 

Estímulo à Inovação

Um líder digital permite que os seus funcionários experimentem, testem e pensem em novas soluções para a empresa. Isso, claro, resulta em várias falhas — mas, consequentemente, também trará várias inovações para a organização.

Essas novas ideias poderão ser adotadas para otimizar os processos internos, desenvolver produtos ou serviços melhores para os clientes, aprimorar o relacionamento e fidelização do público… uma infinidade de inovações podem ser propostas pela equipe, impactando positivamente o desempenho da empresa e dando-lhe vantagem competitiva sobre seus concorrentes.

Aumento da Motivação e Engajamento

Um relacionamento mais próximo com a liderança digital e a possibilidade de autonomia são questões que ajudam na motivação dos colaboradores, fazendo-os se sentirem valorizados e desafiados pela organização. Esse espírito contribui para que produzam mais e melhor, impactando diretamente os resultados da empresa.

Além disso, o engajamento dos colaboradores também será impactado com este modelo de liderança. Isso significa que os funcionários se sentirão parte da organização: eles irão vestir a camisa e o sucesso da empresa será o seu próprio. 

As duas questões contribuem para manter um clima interno saudável e reduzir o temido turnover, que iremos falar mais abaixo. 

Retenção dos Talentos

Os líderes digitais, por sua relação próxima, conseguem identificar quais são os melhores profissionais da equipe, descobrindo verdadeiros talentos e sabendo valorizá-los. Isso ajudará a mantê-los na empresa, em vez de deixá-los escaparem — ainda mais para a concorrência. 

Esse cuidado, junto com o aumento da motivação e engajamento, irá ajudar na redução da rotatividade na empresa: um índice danoso, pois a saída dos colaboradores gera despesas financeiras, produtivas e intelectuais. 

Assim, a equipe será formada pelos melhores profissionais, dispostos a usar seus talentos para aumentar o desempenho da empresa. 

Tudo parece muito bonito na teoria… mas como faz para se tornar um líder digital na prática?

Liderança Digital: como desenvolver essa habilidade?

Assim como diversas competências, é possível despertar as habilidades necessárias para desenvolver uma liderança digital. As principais estratégias usadas são as ações de treinamento corporativo e desenvolvimento de pessoas. 

Essas ferramentas ajudarão a trabalhar as habilidades dos líderes, futuros ou atuais, desenvolvendo competências fundamentais como empatia, diálogo, inteligência emocional e flexibilidade — além de educá-los a lidar com as soluções tecnológicas adotadas pela empresa. 

A mesma estratégia pode ser usada para capacitar os colaboradores a serem mais produtivos, despertar seu espírito de inovação e fortalecer sua motivação e engajamento no trabalho. Assim, a liderança digital terá ajuda para trazer ainda mais resultados.
Porém, tudo começa com líderes bem qualificados e motivados. Saiba como treinar esses profissionais com o nosso artigo 6 Dicas para desenvolver um programa de liderança eficiente e torne seus gestores em lideranças digitais!