Adotar a gestão humanizada é uma ótima estratégia para transformar o clima interno nas empresas, aumentando o engajamento dos colaboradores, retendo os talentos e melhorando a produtividade. Esse conceito pode ser implementado em negócios de todos os tamanhos, segmentos de mercado e realidades, trazendo uma nova maneira de relacionamento com os funcionários.

Descubra neste artigo os benefícios da gestão humanizada e como aderir a essa mudança de cultura na sua empresa!

Empresas e Pessoas

O maior ativo de uma empresa são as pessoas. No entanto, na correria e pressões do dia a dia, a busca por resultados pode acabar prejudicando o clima organizacional, impactando os relacionamentos internos e até mesmo desmotivando os colaboradores

Tudo isso vai influenciar no desempenho da empresa, podendo reduzir a produtividade e qualidade dos serviços, além de aumentar índices negativos como o absenteísmo e rotatividade. Em mercados competitivos, essa questão pode ser crucial para o sucesso ou não da organização. 

Por isso o RH deve sempre buscar formas de engajar os colaboradores e melhorar o clima interno, aumentando os resultados da empresa ao cuidar das pessoas que trabalham nela. E uma das maneiras de se fazer isso é por meio da gestão humanizada.

Gestão Humanizada: o que é?

Esse conceito considera a subjetividade dos colaboradores, ou seja, eles como seres humanos — com suas particularidades, desejos, expectativas e dificuldades. A gestão humanizada busca desenvolver um ambiente saudável na empresa, mesmo com metas a serem batidas e a pressão do dia a dia.

Essa estratégia transforma as relações dentro da organização, aproximando os líderes dos colaboradores e tornando esse contato mais humanizado ao oferecer-lhes suporte emocional. Para isso é preciso conhecer quem trabalha ao seu lado, para então se conectar e criar um laço de confiança e companheirismo na equipe. 

A gestão humanizada parte de um relacionamento mais flexível com os funcionários, respeitando sua história de vida e particularidades. Por isso é necessário cultivar uma cultura organizacional que valorize a diversidade, empatia e respeito — um trabalho que envolve todas as lideranças e o RH. 

Isso não é uma tarefa fácil, porém, adotar a gestão humanizada pode trazer resultados impressionantes para a empresa. 

Os Benefícios da Gestão Humanizada

A estratégia da gestão humanizada parece bela em teoria, mas quais seriam os efeitos práticos de se adotar esse conceito nos negócios? 

Um estudo do Projeto Empresas Humanizadas no Brasil, da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da Universidade de São Paulo (USP), trouxe um panorama animador: as organizações que participaram da pesquisa mostraram um aumento na satisfação dos clientes em 240% e, no caso dos colaboradores, de 225%. Elas ainda, em um período de 4 a 16 anos, mais que dobraram sua rentabilidade financeira, se comparadas à média das 500 maiores empresas do país. 

Mas o que essas organizações fazem para alcançar esses resultados? Consideram o perfil do colaborador no contexto do grupo, buscam envolvê-lo nas tomadas de decisões e oferecem salários e benefícios considerados justos. Ou seja, os funcionários são valorizados e respeitados por sua individualidade, contribuindo de forma mais proativa na organização.

Esses números são resultado de uma série de mudanças no clima interno, proporcionadas pela gestão humanizada. E essa estratégia impacta o cotidiano da empresa de diversas formas.

Aumento do Engajamento

A gestão humanizada permite com que os funcionários se sintam valorizados em sua individualidade e ajuda a construir um relacionamento mais próximo com os seus líderes, desenvolvendo laços de confiança e respeito. 

Consequentemente, os colaboradores terão uma conexão mais forte com a empresa, aumentando assim o seu engajamento. Isso significa que irão vestir a camisa: o sucesso da organização é o próprio sucesso. 

Aumento da Produtividade

Outra consequência desse engajamento é o impacto na produtividade da empresa. Se os funcionários vestem a camisa e estão motivados a fazer o trabalho mais satisfatório que puderem, terão um desempenho quali e quantitativamente melhor. 

Em vez da pressão excessiva das metas, um relacionamento mais humano irá motivar os colaboradores a alcançarem resultados cada vez mais significativos, aumentando assim a produtividade da empresa. 

Atração de Talentos

Não são somente as compensações financeiras que atraem olhares: um clima e cultura interna saudáveis são grandes chamarizes para os bons profissionais. Seja por meio do boca-a-boca dos colaboradores satisfeitos ou com as pesquisas de melhores lugares para se trabalhar, os talentos irão conhecer a sua empresa e, se tudo der certo, farão parte do quadro de funcionários. 

Ao adotar uma gestão humanizada, a organização estará se tornando um espaço privilegiado para esses talentos crescerem, se firmarem e gerarem ótimos resultados.

Redução da Rotatividade 

Trabalhadores motivados e valorizados raramente saem da empresa. E um dos maiores problemas que o RH enfrenta atualmente é justamente a rotatividade: um índice alto gera prejuízos financeiros, produtivos e até intelectuais — afinal, todo investimento feito para qualificar o colaborador vai embora com ele. 

Por isso é tão importante trabalhar a motivação, engajamento e satisfação do público interno, garantindo que os talentos permaneçam e usem todo o seu potencial. Sem eles, uma organização não vai muito longe.

Como adotar a gestão humanizada na empresa?

Implementar essa mentalidade não é algo que ocorre da noite para o dia. É preciso bastante dedicação do RH e dos líderes para fazer a gestão humanizada se tornar realidade efetivamente e não ser apenas um discurso. 

É necessário trabalhar essa mudança cultural, tirando o foco da produção e privilegiando as pessoas. O RH deve se preparar para dar apoio aos líderes e aos colaboradores, ajudando nessa valorização do capital humano. 

Nesse sentido, uma ideia é investir em ações para aumentar a motivação e melhorar os relacionamentos internos, tornando o clima interno mais agradável. Isso já trará resultados positivos, mudando a dinâmica na empresa.

No entanto, a peça fundamental nessa transformação é a liderança: os gestores devem aprender a lidar melhor com os funcionários, criando relacionamentos sinceros, de respeito mútuo e valorização. Para isso, precisam desenvolver habilidades sociais importantes, como a empatia, diálogo e a inteligência emocional. 

Essas qualidades são desenvolvidas em treinamentos, despertando os comportamentos necessários para assumir a gestão de uma área e preparando esse profissional para o desafio.
Quer saber como treinar líderes qualificados? Confira o nosso artigo 6 Dicas para desenvolver um programa de liderança eficiente!