Investir em um processo de gamificação é mais fácil do que se imagina. Com apenas algumas etapas é possível adotar essa estratégia para aprimorar diversas operações de instituições de ensino e empresas, como a suas metodologias de aprendizagem. Porém, é preciso ter um bom planejamento e saber exatamente o que cada passo exige para montar uma dinâmica que seja verdadeiramente efetiva.  

Descubra nesse artigo todas as etapas que são necessárias para se adotar um processo de gamificação na sua empresa ou instituição de ensino!

Gamificação e seus Benefícios

A gamificação é uma estratégia que vem ganhando espaço em diversas áreas — da saúde, política a instituições de ensino e empresas em geral. Não é à toa: essa metodologia tem um grande potencial de motivar as pessoas dos mais variados públicos a realizarem determinadas ações ou mudarem certos comportamentos. 

Em resumo, a gamificação é um método que usa um conjunto de elementos comuns aos jogos em situações que não se resumem ao entretenimento. Esses recursos ajudam as pessoas se engajarem em atividades que poderiam não ser tão atrativas, como estudar matemática e fazer o treinamento corporativo, por exemplo. 

Na educação — do básico ao profissional/empresarial — a gamificação traz ótimos resultados, também contribuindo para reforçar os conhecimentos adquiridos na dinâmica ao associar o aprendizado a estímulos lúdicos.

São várias os benefícios de se utilizar a gamificação, no entanto, é preciso planejar bem antes de investir nesta metodologia para que ela traga os resultados desejados. Mas isto não é tão complicado quanto muito pensam!

Etapas do Processo de Gamificação

Gamificar a sua empresa ou instituição de ensino é mais fácil do que se imagina. Primeiro, é preciso conhecer bem esta metodologia para saber se ela é a mais indicada para a sua estratégia. Após a resposta positiva, basta seguir estes 4 passos:

1- Descobrir as Necessidades

2- Entender o Público-Alvo

3- Planejar o Projeto

4- Implementar, Avaliar e Aprimorar a Estratégia

Vamos descobrir como funciona cada etapa no processo de gamificação?

1- Descobrir as Necessidades

Toda estratégia tenta solucionar um problema ou aproveitar uma oportunidade. Geralmente esta situação está ligada a uma necessidade: os colaboradores estão com problemas em trabalhar em equipe? Os alunos têm dificuldades de aprender história? É preciso fortalecer os conhecimentos técnicos? Aumentar a motivação nos estudos em geral?

Antes de implementar qualquer estratégia é importante saber quais são as necessidades dos alunos, colaboradores, empresa ou instituição de ensino. Somente conhecendo bem estes problemas será possível resolvê-los.

A equipe pedagógica e professores podem fazer diagnósticos a respeito do desempenho dos alunos, analisando suas notas, comportamento e até mesmo os feedbacks direitos, para identificar quais são suas dificuldades e as oportunidades de aprimoramento. 

Já o RH e empresa também podem avaliar como está o desempenho, produtividade e relacionamentos dos funcionários e o clima organizacional para verificar questões como conhecimentos técnicos, comportamentos inadequados e problemas internos nas equipes. No caso específico da educação corporativa, pode-se usar o Levantamento das Necessidades de Treinamento (LNT), uma ferramenta que consegue apontar as lacunas, dificuldades e oportunidades dentro desse processo.

Assim, descobre-se quais são os problemas enfrentados e se a gamificação pode, de alguma forma, ajudar a resolvê-los.

2- Entender o Público-Alvo

Outra pesquisa importante de ser feita antes de sair criando as dinâmicas é em relação ao público-alvo da atividade: é preciso conhecer o perfil dos participantes para montar atividades que sejam verdadeiramente engajadoras e eficientes.

Imagine implementar uma gamificação com história e climatização fantasiosa para um grupo de pessoas que detesta este estilo? Ou então usar palavras mais complexas nas atividades sendo que os participantes são crianças do ensino básico? Acredita que em algum desses casos a estratégia vai realmente engajar os usuários? Esses são apenas dois exemplos da falta de uma pesquisa e planejamento e suas consequências .

Por isso é necessário entender o público-alvo do processo de gamificação, conhecendo seus gostos, necessidades, comportamentos, expectativas e objetivos, para evitar desenvolver uma atividade que não vá trazer os benefícios desejados. Caso contrário, os participantes podem não aderir, abandonar ou não aproveitar a dinâmica como deveriam, gerando um desperdício de tempo, esforços e recursos.  

3- Planejar o Projeto

Com essas duas pesquisas é a hora de planejar como ficará a dinâmica. É possível escolher um estilo analógico ou eletrônico de gamificação: o primeiro tem o charme da nostalgia; enquanto o segundo tem a praticidade, agilidade e facilidade do digital. 

Após isso é preciso ver quem criará a atividade. Há alguém internamente que saiba desenvolver essa metodologia na prática ou será necessário contar com a parceria de uma empresa especialista em gamificação

A escolha sendo feita, agora é a hora de criar! Considerando as necessidades da empresa ou instituição de ensino e o perfil do público-alvo, pode-se pensar em algumas ideias iniciais para adotar na sua realidade. Qual história poderia guiar a dinâmica? Quais são os conhecimentos que deverão ser transmitidos ou comportamentos que serão mudados? Quais recompensas e estímulos serão utilizados?

Existe uma variedade enorme de elementos de gamificação que podem ser aplicados, como:

  • Storytelling;
  • Criação de avatar;
  • Sistema de missões;
  • Pontos de experiência;
  • Moedas;
  • Medalhas;
  • Sistema de níveis de progressão;
  • Dinâmicas colaborativas;
  • Ranking;
  • Outros;

Desta forma, a gamificação pode trazer recursos variados para enriquecer a experiência dos usuários. No caso da educação — formal ou corporativa —, esta questão é ainda mais vantajosa, beneficiando os estudantes que aprendem melhor com estímulos diversificados

4- Implementar, Avaliar e Aprimorar a Estratégia

A plataforma gamificada ou versão analógica já estão prontos? Agora é a hora de colocar a estratégia para funcionar! Mas esta não é a última ação que deve ser tomada nesse processo. Para saber se a metodologia está gerando os resultados desejados é importante avaliá-la constantemente.

Busque os relatórios do desempenho dos usuários ou analise a performance deles nas atividades para identificar quais pontos precisam ser aprimorados, quais estão dando certo e se há um número de desistências considerável. Todos esses indicadores irão ajudar a aprimorar o processo de gamificação, vendo as falhas e as qualidades da metodologia. 

Também é uma boa ideia instigar o feedback dos participantes para saber se estão gostando ou não da dinâmica, gerando uma análise qualitativa sobre a estratégia.

Somente com esse rotineiro acompanhamento será possível colher os bons frutos da gamificação na sua empresa ou instituição de ensino, tornando a metodologia cada vez mais eficaz.

Viu como não é tão difícil fazer um processo de gamificação? Mas para facilitar ainda mais a sua vida e aumentar os resultados dessa estratégia, conte conosco para desenvolver uma plataforma gamificada engajadora e eficiente