Entenda como a psicologia de aprendizagem para adultos norteia a formação nas empresas
Comportamento

Entenda como a psicologia de aprendizagem para adultos norteia a formação nas empresas

Preencha seu email e receba conteúdos exclusivos
Obrigado pelo seu cadastro!
Oops! Something went wrong while submitting the form.

Ensinar adultos pode parecer fácil, mas entender como o cérebro absorve as informações nesta fase da vida está longe de ser algo simples, ainda mais quando é preciso alinhar o aprendizado de conteúdos com a estratégia de produtividade do trabalho.

Entenda neste post como a implementação da Andragogia, uma psicologia de aprendizagem para adultos, pode ter efeito positivo sobre toda a educação corporativa da empresa. Confira!

Os princípios da psicologia de aprendizagem para adultos 

O termo Andragogia foi criado pelo alemão Alexander Kapp ainda no século XIX, mas só se tornou popular a partir de década de 70, quando o educador Malcolm Shepherd Knowles passou a utilizá-lo para dar nome a uma ciência com a função de auxiliar a compreensão do modelo de aprendizagem para adultos.

Os estudos de Knowles reconheceram seis pontos que ajudam nessa aprendizagem: necessidade do saber, autoconceito, experiência, prontidão para aprender, orientação e motivação. Para o estudioso, a reunião desses elementos resultaria em um sistema de aprendizagem mais efetivo, voltado à autogestão, qualidade de vida, criatividade e autorrealização.

Nos próximos tópicos, reunimos cada um dos pontos de aprendizagem para ajudar você a avaliar os benefícios do método em uma educação corporativa inovadora. Confira!

A necessidade do saber 

Cada fase de aprendizagem na vida apresenta uma série de vantagens e desvantagens. O maior benefício entre a fase infantil e adulta está na facilidade de direcionamento. Enquanto as crianças seguem com mais facilidade as orientações, sejam dos pais ou dos professores, na idade adulta as imposições são aceitas com dificuldade e relutância.

A andragogia mostra que o processo efetivo de aprendizagem de um adulto começa antes da abertura de qualquer material. Nessa fase, é preciso ter conhecimento prévio sobre o porquê do ensino e de que forma ele vai se desenvolver, gerando maior sensação de confiança.

Por conta desses dois fatores, é preciso dedicar algum tempo para a elaborar um plano de ensino. No documento, especifique a motivação que leva à necessidade do aprendizado e as atividades que vão ajudar a alcançar os resultados. Se o plano parecer vantajoso, os funcionários serão mais receptivos ao conteúdo, as presenças serão mais interativas e haverá menor índice de absenteísmo.

O autoconceito do aprendiz

Se uma desvantagem do processo de aprendizagem para adultos é a resistência, uma vantagem dessa etapa é a posição mais centrada e responsável que os profissionais assumem em comparação com posturas apresentadas em outras fases da vida.

No momento de autoconceito, é essencial que o aluno continue enxergando o sentido do aprendizado e que se sinta parte importante do processo, pois tem grande carga de responsabilidade na adequação do conteúdo aprendido e na complementação do conhecimento fornecido pela empresa.

Para ajudar a desenvolver essa autonomia nos funcionários, dê exemplos da aplicabilidade do conceito na prática e crie canais para o envio de informações e para a realização de discussões online. O ambiente deve sempre estimular o funcionário a tentar melhorar suas fraquezas por meio das interações com os colegas.

As experiências anteriores ao processo de aprendizagem

Empresas bem estruturadas e criativas geralmente optam pela diversidade de perfis na hora de compor seu quadro de funcionários. Se por um lado isso traz pluralidade ao debate, por outro pode dificultar o processo de absorção do conhecimento, já que as bagagens anteriores trazem, muitas vezes, estereótipos e preconceitos.

Para não deixar que as experiências atrapalhem a educação corporativa, é importante que o método de aprendizagem leve em consideração casos práticos do dia a dia, no sentido de aproximar o profissional dos desafios que ele vai enfrentar.

Outra dica interessante para essa etapa é mapear experiências anteriores e estabelecer metas. Assim fica fácil encontrar os pontos de resistência do funcionário e traçar uma linha de progresso entre o nível atual de conhecimento e o nível pretendido pela empresa.

A prontidão para aprender

Por conta da resistência a mudanças na vida adulta, as novas experiências são quase sempre voltadas para uma necessidade, seja ela aprender uma nova habilidade com o objetivo de assumir um novo cargo ou procurar soluções para problemas recorrentes.

Nesse sentido, manter uma estrutura de cargos e salários bem planejada na empresa pode ajudar o profissional a ter em mente quais são seus desafios na carreira e se preparar com antecedência para enfrentá-los.

Como comentamos, adultos são mais receptivos quando entendem a importância do aprendizado, mas antes é preciso que a empresa se mostre capaz de suprir as suas necessidades.

Inclua nos exercícios atividades voltadas para a solução de problemas de sua rotina e insira recursos comumente utilizados no dia a dia, como redes sociais, trabalhos em grupo e feedbacks.

No items found.

A orientação adequada para a aprendizagem

Contexto é a palavra-chave na hora de indicar a direção que seu funcionário precisa seguir. Transforme o aprendizado em algo dinâmico e lembre-se que orientar é mostrar caminhos e deixar que seu funcionário fique livre para tomar suas próprias decisões.

Uma das ferramentas que podem ajudar a dinamizar o aprendizado é a gamificação. O termo vem da palavra game e consiste em aplicar conceitos como desafios (missões), etapas, níveis de dificuldade e recompensas. Nessa situação, o colaborador é constantemente motivado a se superar, avançar de nível e se preparar para eventualidades.

A motivação para aprender

No modelo da andragogia, as pessoas adultas são mais impulsionadas por valores e objetivos internos (desenvolvimento profissional, satisfação pessoal e autorrealização) do que por fatores internos, como promoções e aumentos salariais.

Um fator-chave para que o funcionário se sinta motivado é a valorização. É preciso que o colaborador sinta que a evolução dele é uma preocupação compartilhada com a empresa. Uma das maneiras de fazer isso é por meio do engajamento, que também é a melhor estratégia de retenção de talentos.

A psicologia de aprendizagem para adultos mostra que a aplicação das ferramentas certas e o estímulo da autonomia na educação corporativa aumentam a produtividade e, consequentemente, geram resultados mais efetivos para a empresa.

Se você gostou deste post sobre andragogia, siga as nossas páginas nas redes sociais para acompanhar todas as atualizações. Estamos no Facebook e no Instagram!

Veja outros conteúdos sobre assuntos relacionados:
O que você achou deste conteúdo?
Conte nos comentários.
Veja outros posts relacionados
logo sioux grouplogo siouxlogo ludos prologo pgblogo movieplaylogo go gamers
icon facebookicon instagramicon linkedin