O Ensino a Distância, o EAD, se consolidou como uma opção essencial para tornar a educação mais acessível. Esse modelo consegue aproximar estudantes de diversas idades e contextos do conhecimento, reduzindo várias distâncias e barreiras que dificultam o fortalecimento deste importante pilar da sociedade.

Neste artigo vamos mostrar como o EAD permite que muitos possam estudar e como aproveitar seus recursos na realidade, seja em uma instituição de ensino ou empresa. 

EAD: ensino a distância que ultrapassou barreiras

Ter milhões de informações a alguns cliques parece ser, atualmente, algo banal. Porém, há apenas algumas décadas conseguir acessar conteúdos educacionais, disponíveis 24 horas por dia, sete dias por semana, foi algo completamente inovador: afinal, para buscar conhecimento era preciso fazer algum curso presencial, caçar manualmente livros nas livrarias e bibliotecas, entre outras ideias que tomavam tempo e esforços até de deslocamento.

Mas a internet mudou esse cenário. O desenvolvimento e popularização do ensino a distância, o EAD, tornou a educação — seja formal ou corporativa — mais acessível para milhões de pessoas, reduzindo uma série de barreiras que prejudicavam a educação no mundo todo, especialmente no Brasil.

O EAD possibilitou que pessoas com dificuldades de deslocamento e tempo pudessem se capacitar e formar, ampliando suas oportunidades de conhecimento e trabalho. E esta é a realidade de muitos:

  • Quem precisa cuidar de terceiros — como filhos, idosos e demais pessoas dependentes — e que não podem participar dos horários tradicionais de instituições de ensino e, às vezes, não podem sair de casa;
  • Pessoas que vivem em locais afastados, sem infraestrutura educacional;
  • Pessoas com uma rotina atarefada, que não conseguem tempo nem em períodos mais alternativos, mas que podem estudar em situações diversas — como no ônibus, intervalo, antes de dormir;
  • Que não podem pagar por um curso presencial, que costuma demandar maior investimento financeiro.

Milhões de pessoas podem viver em situações parecidas e que, sem a educação a distância, poderiam não ter opção para estudar. Com o EAD diversas barreiras foram superadas, aproximando estes indivíduos do conhecimento e aumentando o seu leque de oportunidades de vida. 

Isso é possível devido diversas características que tornam o ensino a distância mais acessível. 

Como o EAD supera as barreiras

O ensino a distância foi, aos poucos, ganhando espaço no Brasil por oferecer diversas possibilidades que não são encontradas no modelo presencial de ensino. São estas características que tornam o EAD tão popular.

Flexibilidade

As pessoas podem acessar os conteúdos educacionais no EAD de qualquer lugar e a qualquer momento: só pode estudar durante o trajeto de ônibus? Quando o bebê está dormindo? Em casa, antes de dormir? Se estas pessoas teriam dificuldades de frequentar as aulas presenciais, com esta possibilidade dificuldades com estas são superadas. 

Essa flexibilidade de espaço e tempo permitiu com que milhões pudessem estudar e não ficarem presos às condições do modelo presencial, que obriga a adequação da rotina em horários fixos e lugares determinados.

Baixo investimento

Outra barreira que o EAD pode ajudar a superar é referente a questão financeira: essa modalidade de ensino costuma demandar menos investimento, tanto para os estudantes quanto para as instituições de ensino e empresas que adotam essa estratégia. 

Esse é um dos motivos para a expansão de cursos superiores EAD e grande adesão ao modelo no Brasil. Além disso, uma série de gastos que são naturais ao estilo presencial não ocorrem com o online: como a locação de espaços físicos; deslocamento até o local; horário fixo dos profissionais envolvidos; entre outros. 

Recursos multimídia

Uma questão que não é muito considerada, mais que torna o EAD ainda mais acessível, é a possibilidade de usar diversos recursos multimídia no ensino. Opções como e-books, podcasts, vídeos, infográficos interativos, realidade virtual/aumentada e gamificação tornam a experiência de aprendizado mais rica e proveitosa.

Isso é ainda mais importante quando levamos em conta teorias como os diferentes estilos de aprendizagem, que acredita que o formato adotado pode influenciar na assimilação dos conhecimentos dependendo do indivíduo. Assim, não importa se a pessoa aprende melhor com estímulos visuais ou auditivos, por exemplo, ela terá conteúdos especiais que contemple este tipo de formato.

Além disso, essa variedade pode ajudar a melhorar a motivação dos estudantes ao não se restringir a único estímulo, o que pode tornar a atividade monótona. 

Desta forma, o EAD pode ser um grande aliado da educação ao oferecer recursos que ajudam a superar algumas limitações do modelo presencial de ensino. Porém, não adianta apenas aderir a qualquer plataforma ou conteúdo online e achar que está tudo certo: existem algumas dicas para tornar essa estratégia mais eficiente.

Dicas para adotar o Ensino a Distância

As instituições de ensino e empresas podem aproveitar as diversas qualidades do EAD para aprimorar suas atividades educativas, oferecendo um modelo mais flexível, acessível e moderno aos seus estudantes, colaboradores e outros públicos.

No entanto, implementar essa metodologia é uma tarefa que demanda planejamento e investimento, assim como qualquer estratégia. É preciso entender as vantagens de se adotar o EAD e as suas limitações — que existem da mesma forma que tudo tem suas barreiras. 

O perfil do público-alvo e objetivos da estratégia são dois pontos fundamentais para se trabalhar e ter uma metodologia verdadeiramente efetiva. Somente ao conhecê-los profundamente e não perdê-los de foco é possível desenvolver uma plataforma e conteúdos que sejam atraentes, sanem as necessidades de conhecimento e despertem o engajamento dos estudantes. 

Outra dica importante é tentar oferecer variados recursos interativos e multimídia, aliando-se até com outras estratégias como a gamificação, para tornar a experiência de aprendizagem mais rica e motivadora. Além de engajar, estes estímulos irão ajudar os participantes a se manter estudando e a reter melhor as informações adquiridas. 

No entanto, o EAD também tem suas limitações. Nem todas as pessoas estão acostumadas ou preparadas para aderir a este modelo: ele demanda uma postura mais responsável e autônoma de aprendizagem, em que o estudante deve, por conta própria, manter uma rotina e seguir as atividades educacionais. 

Além disso, a mais sofisticada tecnologia  não é capaz de substituir por completo o olho no olho. E muitas pessoas acabam sentindo falta de ter um contato mais próximo com seus professores, instrutores e colegas. 

Entretanto tem uma solução que combina o melhor do EAD e do modelo presencial em uma única estratégia: descubra como fazer isso na sua empresa ou instituição de ensino com o blended learning!