O feedback assertivo é aquele que o retorno quanto ao comportamento ou ao resultado de determinado profissional é feito de modo que ele não se sinta constrangido, mas interessado em melhorar possíveis pontos e contente pelo reconhecimento de outras características.

Apesar de toda a fama de complexidade existente acerca do tema feedback, este assunto não precisa e nem deve ser tratado como difícil, pois é uma questão de saber quais são e como aplicar as técnicas aos seus liderados. 

Este artigo vem para desmistificar a complexidade do feedback assertivo e trazer mais informações sobre os atributos e técnicas que estão por trás desta ação, bem como ensinar a você a dar feedbacks assertivos aos seus funcionários ou atribuir um feedback para o chefe.

Entendendo o papel de um feedback assertivo

Para dar feedbacks assertivos primeiro é fundamental entender o que são, pois é comum achar que o feedback tem como único e exclusivo objetivo o de dar avaliações negativas quando na verdade devem ser retornos feitos em conversas entre gestores e profissionais para:

  • diagnosticar as atividades dos profissionais;
  • indicar melhorias de desempenho e comportamento;
  • estabelecer novas metas e objetivos;
  • e alinhar as expectativas e os resultados obtidos pelos trabalhadores analisados.

Todo esse alinhamento entre expectativa e realidade que o feedback assertivo pode ocasionar tem como objetivos melhorar a produtividade dos profissionais, aprimorar os resultados da corporação e desenvolver as carreiras dos colaboradores, e não o de dar lição de moral, como normalmente acreditam.

O conceito feedback busca aproximar o funcionário e seu gestor de modo que possam ser compartilhadas dicas e orientações para contribuir com o crescimento de ambos. Por isso  deve ser visto como um momento natural e positivo. Já a palavra “assertivo” surge com a ideia de fazer o feedback de maneira clara, honesta e direta ao contexto, de modo que não viole o direito da pessoa que o está recebendo.

Para que um feedback assertivo aconteça, ele precisa se encaixar nas seguintes características:

  • Ser aplicável: O feedback precisa ser dado em relação a uma atitude que pode ser mudada, como o atraso recorrente, o uso de gírias nas reuniões ou em uma conversa com o cliente. São ações que podem ser melhoradas.
  • Ser neutro: Principalmente quando o feedback tem como objetivo indicar melhoria no comportamento ou no desempenho do colaborador, ele pode vir com julgamento ou generalização, o que é um erro. É fundamental em um feedback assertivo que ele seja feito com neutralidade, indicando as situações que tem atrapalhado um bom desempenho do profissional, mas sem condenação.
  • Ser específico: O feedback precisa ser voltado a uma característica específica e não à pessoa, então, antes de fazê-lo, atente-se a entender qual é o foco.
  • Ser oportuno: O feedback assertivo precisa ser empregado o mais próximo da situação ocorrida e também deve acontecer em uma ocasião em que não haja nenhum constrangimento por parte de quem o receberá.
  • Ser direto: O feedback só se tornará assertivo se for exposto de forma clara; qual é a conduta ou entrega do profissional que não tem correspondido com as expectativas do ambiente corporativo?
  • Ser comprovado: É preciso citar quais as situações que ocasionaram a necessidade de um feedback para o que colaborador consiga ter como exemplo para se basear. Então ao invés de dar um feedback generalizado como “suas vendas diminuíram” é importante evidenciar os números anteriores, fazer comparações de outros meses, por exemplo.

Qual é a importância do feedback assertivo?

O feedback assertivo é uma forma de melhorar o desempenho da equipe e dos gestores de sua corporação, isso porque é por meio dele que estes profissionais entendem quais são os pontos que eles devem melhorar para corresponder com as expectativas da empresa e, ainda, de que maneira fazer isso.

Quando feito de maneira certa, o feedback construtivo pode ser visto como uma conversa amigável, como um conselho que se ouvido pode gerar frutos positivos ao profissional. Por isso, o processo é visto como uma oportunidade de crescimento e o profissional vê tal iniciativa como algo natural e importante.

Como dar um feedback assertivo?

Agora que você entende quais são as características que estão por trás de um feedback assertivo e a importância para a comunicação empresarial que ele possui, você precisa compreender como fazê-lo na prática. Confira as dicas a seguir.

Tenha clareza e seja direto

Vá direto ao ponto e tenha certeza de que sua fala esteja clara para que o funcionário entenda qual situação você está se referindo.

Sem julgamentos

É preciso dispor de inteligência emocional para fazer feedbacks assertivos, pois você não se pode deixar levar por qualquer interferência da vida pessoal ou de sua relação com a pessoa no próprio ambiente de trabalho. 

Evidencie o problema e a consequência dele

Se o feedback tem como objetivo mostrar mudança significativa e negativa de comportamento ou de desempenho da parte do colaborador, então procure evidenciar quais os problemas identificados e as consequências que eles podem trazer para a equipe e para a organização como um todo.

Foque em mudanças e soluções

O objetivo principal não é ficar evidenciando o problema, mas encontrar uma solução para ele, ou seja, instigar a mudança de comportamento do colaborador. Portanto, mostre alternativas que ele possa utilizar para aperfeiçoar tal desempenho ou conduta. Também deixe claro que está à disposição para ajudar e volte a falar sobre o assunto, principalmente quando houver mudanças positivas.

Feedbacks têm mais de um objetivo

Como já foi compartilhado por aqui, os feedbacks não têm somente a função de destacar eventuais problemáticas que os profissionais possam ter, ao contrário, este retorno deve ser feito de forma estratégica como objetivo de engajar e motivar sua equipe. Então procure mudar a cultura de que o feedback é algo ruim, mostre o que cada colaborador tem de melhor e reconheça a importância dele para a instituição.

Quer receber mais dicas práticas para implementar na sua rotina de trabalho e, assim, melhorar seus resultados? Não deixe de assinar nossa newsletter para acompanhar outros conteúdos sobre gestão de equipe.