As metodologias ativas são ótimas ferramentas para aprimorar o aprendizado. Estes métodos ajudam a engajar os estudantes nas atividades, fortalecendo assim a retenção do conteúdo transmitido. Seja para instituições de ensino ou empresas, adotar essas estratégias traz melhores resultados para os processos de ensino-aprendizagem.

Conheça agora como as metodologias ativas de aprendizagem podem aprimorar a educação na sua instituição de ensino ou empresa — já este ano e nos próximos!

Metodologias Ativas: inovação e engajamento

A educação já não é mais a mesma. O modelo tradicional de ensino, em que o estudante é uma figura passiva — apenas escutando o que o professor/instrutor orienta e copiando as informações — não traz os resultados de antes. Pesquisas indicam que a capacidade de concentração das pessoas está diminuindo a cada ano: imagine como essa situação afeta o desempenho dos indivíduos nos estudos. 

Adotar metodologias ativas é uma excelente alternativa para resolver este problema moderno. Atualmente é necessário empregar métodos mais engajadoras de ensino-aprendizagem, que prendam a atenção dos estudantes — seja de qual idade for — e fortaleçam o seu conhecimento, para ter melhores resultados na educação.

As metodologias ativas de aprendizagem são métodos que exigem uma postura mais autônoma dos estudantes, incentivando a sua proatividade e curiosidade — o que os motivará ainda mais a aprender. Além disso, a abordagem mais prática ajuda na retenção dos conhecimentos e na sua aplicação no dia a dia. 

Outro ponto positivo é que existem vários tipos de metodologias ativas, que podem ser adotadas nos mais diferentes contextos: do ensino básico à educação corporativa. Cada um com suas possibilidades e vantagens.   

Metodologias Ativas: 6 exemplos para sua empresa e instituição de ensino

Para te ajudar a adotar essa estratégia na sua educação corporativa ou instituição de ensino, trouxemos 6 exemplos de metodologias ativas para você apostar ainda em 2019 e ter ótimos resultados nos processos de aprendizagem.  

Sala de Aula Invertida 

Essa estratégia usa o modelo tradicional de ensino, só que com uma pegadinha: em vez do professor/instrutor ser o responsável pela aula, são os estudantes que devem preparar os conteúdos e apresentá-los aos colegas.

A sala de aula invertida é um conceito simples e fácil de ser adotado em instituições de ensino e empresas, permitindo com que os participantes se envolvam mais no seu processo de aprendizagem e montem o seu próprio caminho ao conhecimento.

Após fazer a pesquisa de um tema previamente escolhido, os estudantes podem recorrer ao professor/instrutor para sanar suas dúvidas e debater com os colegas o tema estudado. Isso ajuda a fixar melhor os conhecimentos adquiridos, ainda mais considerando ideias como as da Pirâmide de Aprendizagem, que teorizam os benefícios dessa troca de informações entre os participantes na memorização dos conteúdos. 

Estudo de Caso

Esta opção começa com o professor/instrutor apresentando um exemplo de situações reais que os estudantes devem resolver. O Estudo de Caso ajuda os participantes a aprender a solucionar cenários complexos e adquirir conhecimento em questões práticas, tornando a experiência mais interativa e significativa.

Imagine adotar essa metodologia ativa em sua instituição de ensino ou empresa, usando exemplos de erros e acertos reais para que os estudantes vejam como ocorre na realidade: isso os ajudará a resolver da melhor forma os problemas que encontrarem em seu cotidiano, além de os motivarem a buscar conhecimentos por se tratar de situações que poderão ocorrer com eles. 

O estudo de caso pode se tornar uma atividade ainda mais marcante e engajadora ao também adotar ferramentas como o storytelling, enriquecendo a experiência. 

Hands On

O método “mão na massa” é uma excelente ideia para despertar a autonomia, criatividade, senso crítico, proatividade e outras qualidades que podem ser essenciais aos estudantes no futuro. 

Nas instituições de ensino, esse conceito pode ser adotado com o uso de laboratórios, construção de protótipos e robôs, além de outras formas práticas de aprendizagem. As empresa podem incorporar essa estratégia na educação corporativa ao criar núcleos ou então experiências empreendedoras internas. 

Imagine como essas ações irão aumentar o engajamento dos estudantes nas atividades e melhorar a fixação dos conhecimentos, ajudando a usá-los na prática. Essa metodologia também contribui para despertar diversas habilidades subjetivas,  como as comentadas no início do ítem.

Project Based Learning

Essa metodologia, assim como as duas anteriores que vimos, tem como foco as experiências práticas. O Project Based Learning ou Aprendizado Baseado em Projetos (em tradução livre) traz uma situação com um objetivo específico que os estudantes deverão alcançar.

Além de ensinar questões práticas do dia a dia, esta metodologia ativa permite desenvolver nos estudantes habilidades subjetivas como pensamento crítico, colaboração e comunicação — competências necessárias para resolver os desafios propostos e que também serão importantes para sua vida: seja pessoal; social ou profissional.

O Project Based Learning pode ser adotado nas mais diferentes faixas etárias e contextos educacionais. Primeiro, os conteúdos devem ser transmitidos aos estudantes e então o professor/instrutor deverá lançar um desafio complexo baseado naquilo que aprenderam e em situações que poderiam ocorrer ou que acontecem na vida real. Os participantes terão liberdade para resolver a questão da maneira que acharem melhor, tendo autonomia e proatividade nesse processo de aprendizagem. 

Realidade Virtual/Aumentada

Essa metodologia ativa usa uma inovação tecnológica para criar uma experiência imersiva e interativa de aprendizagem. Usando óculos, programas e aplicativos especiais, é possível montar um programa de treinamento de segurança com situações “reais” ou então levar os alunos a visitar o Egito Antigo.

Apesar de requerer um certo investimento, a realidade virtual (RV) ou realidade aumentada (RA) são ferramentas inovadoras que podem tornar a aprendizagem mais dinâmica, palpável e motivadora a estudantes de todas as idades. 

Gamificação

Aliando elementos comuns aos jogos com objetivos com resultados concretos, esta metodologia vem sendo adotada em diversos níveis da educação: do básico ao corporativo. Storytelling, pontuação e recompensas são alguns dos recursos utilizados para motivar as pessoas a estudarem e realizarem as atividades de fixação de conhecimentos.

O estilo lúdico da gamificação ajuda não só a tornar o aprendizado uma experiência mais engajadora e leve, como também a reter melhor as informações adquiridas nas tarefas: afinal, tudo que é associado a estímulos positivos é mais fácil de ser guardado na memória.

Em sua versão eletrônica, as plataformas gamificadas ainda trazem a vantagem de oferecer relatórios detalhados do desempenho dos estudantes nas atividades, facilitando o controle dos professores, instrutores, equipe pedagógica e RH sobre a estratégia. Desta forma é mais prático e ágil identificar se a metodologia está dando os resultados desejados, quais pontos precisam ser aprimorados e quais estão dando certo, tornando a ferramenta ainda mais eficiente. 

Quer saber mais como essa estratégia pode melhorar a aprendizagem na sua instituição de ensino ou empresa? Converse conosco e conheça mais benefícios da gamificação!