Investir em treinamentos é uma estratégia fundamental para uma empresa ter um bom desempenho. Melhor ainda é quando os funcionários se engajam tanto no processo ao ponto de repassar os conhecimentos adquiridos aos seus colegas. Quando isso acontece, a organização estimulou a presença de multiplicadores internos: agentes importantes para a gestão do conhecimento e continuidade das boas práticas dentro da companhia.

Mas, o que são esses multiplicadores internos e por que sua empresa deve investir neles? Descubra as respostas nesse artigo e melhore o desempenho da sua organização ao apostar na educação corporativa!

O que são os Multiplicadores Internos?

Em linhas gerais, os multiplicadores internos são os funcionários da empresa que ensinam práticas e técnicas aos seus colegas, disseminando conhecimentos importantes entre as equipes. Esses atores colaboram com a transmissão de informações que tem o potencial de aprimorar o trabalho de todos, beneficiando tanto os profissionais como a organização.   

Investir na educação dos colaboradores é uma das melhores formas de aumentar o desempenho da empresa, tornando sua equipe mais qualificada tecnicamente e com competências subjetivas importantes para realizar sua função com maior eficiência. Essa estratégia permite com que a organização tenha melhores resultados e possa alcançar um lugar de destaque no mercado.

Por isso é fundamental o investimento em estratégias como treinamento corporativo e ações de desenvolvimento de pessoas, cuidando do seu público interno para que a empresa ganhe como um todo.  

Nesse sentido, ao participar das ações, é natural que um colaborador acabe ensinando o seu colega algo que aprendeu no treinamento e até mesmo em outras experiências na sua vida, que não tenham sido promovidas diretamente pela empresa. Assim, esse funcionário ajuda a aumentar a circulação de conhecimento na equipe e organização, enriquecendo o aprendizado e o capital intelectual da companhia.

Aproveitar esse comportamento natural para estimular a presença de multiplicadores internos é uma excelente estratégia para as organizações, que irão fortalecer os relacionamentos internos, a gestão de conhecimento e qualidade do trabalho desenvolvido na empresa.

Porque valorizar os Multiplicadores Internos

Estimular a presença de multiplicadores internos é uma estratégia bastante vantajosa para as empresas por diversos motivos.

Primeiro, é uma forma de melhorar a gestão do conhecimento, fazendo informações importantes para o trabalho circularem entre os colegas. Um colaborador que tenha feito um curso extra fora da organização pode acabar repassando boas práticas da função, novidades e outros conteúdos ou posturas que vão aprimorar o serviço, consequentemente impactando os resultados do negócio. 

Nesse sentido, caso este colaborador acabe saindo da empresa, esses conhecimentos não irão embora com ele: sim farão parte da organização e serão usados por seus colegas para tornar seu trabalho mais produtivo e eficiente. 

Essa troca de experiências entre os funcionários irá melhorar a qualidade do serviço, disseminando conhecimentos técnicos ou até práticos na equipe e, assim, aprimorando as competências dos colaboradores da empresa. Tudo isso sem precisar investir recursos extras nessa capacitação.

Além disso, a própria experiência de ensino pode contribuir para fortalecer os conhecimentos no profissionais. Diversas teorias, como a Pirâmide de Aprendizagem, consideram que as pessoas retêm melhor as informações quando tem uma postura mais ativa no processo de aprendizado, incluindo transmitindo-as a outros. Assim, quem ensina acaba aprendendo ainda mais.

Essa dinâmica de troca de conhecimentos pode também ajudar a melhorar o senso de inovação na equipe e também contribuir com o engajamento profissional, estreitando os relacionamentos internos e o laço com a própria empresa. Desta forma, os funcionários se sentirão parte da organização, dedicando-se mais ao trabalho e usando sua criatividade para melhorar o desempenho de todos. 

No fim das contas, incentivar a presença de multiplicadores internos é uma boa ideia para aumentar o capital intelectual da empresa, capacitando, engajando e motivando os colaboradores.

Como estimular os Multiplicadores Internos?

Apesar de ser uma postura até natural, as empresas podem e devem estimular que os colaboradores troquem conhecimentos e assumam esse papel de multiplicadores internos.

Cultura de Colaboração

Primeiro, é preciso desenvolver uma cultura organizacional que estimule a troca de ideias e a colaboração entre os funcionários. Imagine uma equipe onde todo mundo apenas se importa com o próprio trabalho, sem ligar se seus colegas estão fazendo suas funções da forma mais adequada ou cometendo uma série de equívocos: possivelmente ninguém vai levantar um dedo para ajudar o próximo — não sem ter algum incentivo.

A cultura tem um papel importante em guiar o comportamento dos funcionários da empresa, e desenvolver uma postura de colaboratividade, ainda mais com o bom exemplo das lideranças, será um bom começo para estimular que os funcionários tenham um relacionamento mais saudável com os colegas.

Invista em Treinamentos

Outro ponto fundamental para a presença dos multiplicadores internos é que o conhecimento e senso de aprimoramento sejam vistos como importantes pela empresa. Uma forma concreta de fazer isso é investindo em treinamentos corporativos e ações de desenvolvimento de pessoas, capacitando tecnicamente seus colaboradores e despertando neles habilidades subjetivas essenciais para sua função.

Essas estratégias serão ainda mais efetivas ao utilizar metodologias inovadoras de treinamento, que tornarão a experiência agradável e interativa, fugindo da monótona técnica expositiva de sala de aula tradicional. 

Assim, seus colaboradores irão obter conhecimentos importantes que poderão ser disseminados ou reforçados ao lidar com seus colegas, tornando-os assim multiplicadores internos. 

Melhore o Engajamento

Assim como o conhecimento é fundamental para esse dinâmica, o engajamento é uma peça importante para o surgimento dos multiplicadores internos. Vimos no primeiro item que a cultura de colaboração incentiva os funcionários a se ajudarem: se eles não ligarem para a empresa, dificilmente irão ter uma postura proativa que irá beneficiá-la. 

Despertar o engajamento significa fazer o colaborador se sentir parte da organização, estreitando os laços de confiança e afetividade entre ele e o grupo. Essa sensação faz com que o funcionário vista a camisa e aja como se o sucesso da empresa fosse o seu próprio.

Promover Ações Diversas

Todas essas estratégias irão ajudar seus colaboradores a terem uma postura mais próxima a de um multiplicador interno, mesmo que informalmente. Mas a empresa pode fazer mais: é possível montar ações concretas para estimular a participação dos funcionários nessa dinâmica.

Uma delas é designar as equipes ou até determinados funcionários para montar pequenas palestras com o objetivo de ensinar os seus colegas a respeito de alguns temas — como um vendedor de destaque mostrando uma técnica eficiente de persuasão, um programador explicando as novas ferramentas de um software usado ou comercializado pela organização, entre outras ideias. 

Assim, os colaboradores serão instigados a dividir o seu conhecimento e a se relacionar mais ativamente com a empresa e seus colegas. 

Quer saber como fomentar ainda mais essa troca de informações na sua empresa? Confira nosso artigo Unindo a gestão do conhecimento com a educação corporativa!