As ações de educação corporativa precisam ser planejadas com eficiência para trazerem os resultados desejados. Além de pensar no público-alvo e na metodologia adotada, o RH deve definir o cronograma de treinamento para ter melhor controle da atividade e conseguir atingir seus objetivos.

Ainda não sabe como elaborar o seu cronograma de treinamento — do planejamento a execução? Confira esse artigo e monte uma estratégia matadora!

A Importância do Planejamento

O treinamento empresarial é uma ação que pode gerar uma série de benefícios a empresa: tornar os colaboradores mais tecnicamente capacitados; despertar qualidades subjetivas importantes; melhorar sua produtividade e até mesmo aumentar sua motivação e engajamento.

Porém, tudo isso só é possível quando a estratégia é feita com planejamento. Graças essa palavrinha mágica, o RH tem controle sobre todas as etapas, desenvolvendo atividades que sejam verdadeiramente eficientes e engajadoras — para que os colaboradores não desistam e sim absorvam o conhecimento passado —, e possam aprimorar constantemente essa ação.

Entre todas as questões que o RH deve organizar para fazer o treinamento sair do papel, é preciso elaborar o cronograma de atividades, definindo o que cada profissional tem que fazer, todas as etapas de produção, revisão e aplicação das atividades, além da análise dos resultados.

Assim, a estratégia de treinamento corporativa é organizada nos mínimos detalhes, ajudando o RH e empresa a terem controle sobre as atividades. 

Como fazer o Cronograma de Treinamento

Organizar as atividades das ações de educação corporativa não é algo difícil: é preciso identificar as tarefas que devem ser cumpridas para tirar a estratégia do papel, definir o prazo de cada etapa e criar um plano prático. 

A elaboração do treinamento, em geral, pode ser dividida em 4 passos — do levantamento das necessidades, planejamento, a execução das atividades e análise de resultados. É principalmente nesta segunda etapa, de planejamento, que o RH deve definir o calendário das atividades. 

E, para te ajudar a montar uma estratégia eficiente, fizemos esse pequeno guia para elaborar o cronograma de treinamento — do seu planejamento a execução:

1- Definir os objetivos e resultados desejados

Após identificar as necessidades de aprendizado na equipe, descobrindo quais são os temas, conhecimentos e habilidades que precisam ser desenvolvidas nos colaboradores, o RH deve definir os objetivos da ação, como, aumentar as vendas ao treinar os funcionários da área em técnicas mais eficientes ou melhorar o engajamento dos colaboradores e sua conexão com a empresa. 

Ao elaborar essas metas, o RH tem claro qual o resultado que se deve alcançar e o que é preciso fazer para chegar lá — o que será fundamental no próximo passo.   

2- Dividir as atividades em etapas

Agora é a hora de colocar no papel ou planilha tudo que será necessário fazer para que o treinamento aconteça. Liste todas as tarefas e obrigações práticas que devem ser realizadas para montar a ação e divida tudo isso em etapas, como: 

Escolha das metodologias e parceiros

  • Falar com parceiro em potencial 1;
  • Falar com parceiro em potencial 2;
  • Falar com parceiro em potencial 3;
  • Avaliar qual opção é mais adequada a empresa e perfil do público-alvo;
  • Contratar a empresa parceira.

Produção do treinamento

  • Definir os conteúdos que devem ser ensinados no treinamento;
  • Pesquisar os assuntos;
  • Separá-los em grupos/aulas;
  • Redigir/roteirizar as aulas;
  • Revisar cada aula;
  • Validar cada aula. 

ou

  • Alinhar os conteúdos com a empresa parceira;
  • Revisar o material produzido pelo parceiro;
  • Validar o conteúdo.

Assim é mais fácil identificar tudo que precisa ser feito para tirar o treinamento do papel, montar um calendário realista e desenvolver uma estratégia verdadeiramente eficiente. 

Lembre-se de também separar as tarefas de análise do desempenho e retorno dos treinamentos!

3- Pensar no prazo de cada etapa

Após listar todas as tarefas que deverão ser feitas para montar o treinamento, é a hora de estimar quanto tempo cada uma levará para ser completada. Por exemplo, pesquisar sobre as diversas metodologias de aprendizagem — tentando entender como funcionam e analisar se são acessíveis a empresa — é algo que pode demorar e não vai levar apenas uma tarde para decidir.

Além de estimar o prazo da realização da tarefa em si, é preciso levar em conta a disponibilidade do responsável pela atividade, para não sobrecarregar o profissional ou  acabar montando um cronograma que não poderá ser cumprido. 

4- Montar o calendário do planejamento

Definido as datas e validando-as com os responsáveis, você terá um cronograma do que precisa ser feito para tirar o treinamento do papel. 

Uma boa ideia é formalizar esse cronograma com uma representação visual, marcando os responsáveis por cada etapa, prazo e estado de realização. Isso ajudará todos os envolvidos a ter melhor controle sobre suas tarefas, não se perdendo nas obrigações e correria do dia a dia. 

5- Ver o tempo de cada treinamento

Passando essa etapa de planejamento e indo para a execução dos treinamentos — é o momento de analisar se o treinamento produzido está longo ou curto demais, ou se sua duração se encaixa na estratégia (como no caso de um microlearning, que demanda conteúdos breves). 

O RH deve calcular quanto tempo a palestra, videoaula ou atividade gamificada irá levar em sua prática para saber como encaixá-las na rotina dos colaboradores, o que é a etapa seguinte.

6- Definir as melhores datas e horários para aplicação

Cada treinamento tem o seu público-alvo — seja um departamento, profissionais específicos ou para todos. O RH deve verificar qual horário será melhor para realizar as atividades, levando em consideração a rotina de cada equipe e quais são os momentos de maior atividade e os de menor demanda. 

Por exemplo: não se coloca o time de vendas em treinamento quando a loja está cheia ou no momento de pico de movimento/ligação. O RH deve conhecer bem o público que irá fazer os treinamentos, até mesmo para desenvolver atividades engajadoras e que realmente preencham as necessidades de aprendizado dos colaboradores. 

Assim é possível encaixar os treinamentos na rotina dos funcionários, usando o seu tempo com sabedoria para melhorar seu desempenho. 
Porém, não é uma atividade isolada que irá mudar o cenário da empresa. A educação corporativa precisa ganhar destaque para trazer os resultados desejados. Saiba por que no nosso artigo A importância do treinamento contínuo para organizações.